Os vereadores que participaram da reunião nesta segunda-feira (03), entre o Ministério Público (MP) e os pais de alunos que moram na zona rural e tiveram as escolas fechadas por conta da nucleação realizada pela Secretaria Municipal de Educação (SME), mesmo sem saberem o desfecho do debate usaram a Tribuna da Câmara para demonstrar a insatisfação com a decisão tomada durante o recesso parlamentar.

Paulo Vitor da Silva (PP), disse que gostaria de acompanhar alguns colegas a viagem a Belo Horizonte, porém, fez questão de ficar em Três Pontas por conta desta reunião promovida com a Promotoria de Justiça. As justificativas da Administração que admitiu que errou, segundo a promotora Dra. Ana Gabriela Brito Melo Rocha, não convenceram Paulinho. Ele lembrou de quando foi secretário de Educação que também fechou uma escola rural, nos Potreiros. Antes disso, tentou de todas as formas evitar, mas a própria comunidade entendeu que era preciso. Ele terminou lamentando não a nucleação, mas a forma como ela foi conduzida.

Já no Grande Expediente, Paulinho colocou o presidente em exercício Geraldo Messias Cabral (PDT) na parede. Uma hora ou outra iria acontecer, como o próprio Paulinho alertou. É que no encontro que o secretário de Educação Érik dos Reis Roberto (PSDB) teve com os pais e mães ele disse que hora nenhuma foi convidado para reunião com eles. Geraldo chegou a dizer que fez um convite, informal ao secretário, mas que ele já tinha compromisso. O próprio Paulinho sugeriu que isto fosse feito por escrito, documentado, mas Geraldo preferiu fazer de ‘boca’. “Como não há este documento e Érik não apareceu, alguém mentiu”. Quem? E foi esta a pergunta que fez.

Geraldo poderia responder, ou ficar quieto, como sugeriu Sérgio Silva (PPS), mas disse que ele e ninguém mentiu e justificou. “Como estávamos em período de recesso não estaria dentro da lei, convocá-lo”.

Chico Botrel parabenizou o empenhou da Promotora Dra. Ana Gabriel em ouvir os moradores e fazer o que o Município não fez, sentar e acertar o impasse que está causando desconforto nos pais e crianças das Escolas Lolita de Brito Dias (Fazenda Caxambu), Walda Tiso Veiga (Peroba/Pitangueiras) e Sobradinho (Sobradinho).

Servidores que serão beneficiados com a gratificação acompanharam a primeira sessão do segundo semestre
Servidores que serão beneficiados com a gratificação acompanharam a primeira sessão do segundo semestre

VOTAÇÕES

A pauta seguiu sem nenhuma discussão e as votações foram rápidas. Os vereadores aprovaram a criação de uma gratificação por produtividade aos Técnicos do Executivo V, que trabalham com fiscalização de posturas, urbanística e tributária, bem como aos Técnicos em Saúde V, cuja especialização seja a fiscalização sanitária”. A gratificação de produtividade fiscal será apurada, mensalmente, em pontos, no limite máximo de 700 ao valor correspondente de R$ 1, por ponto obtido, até o limite máximo de R$ 700.

Solidário a Paulinho, o presidente Geraldo aceitou o pedido de retirar da pauta o Veto do Executivo ao projeto que cria o Programa de Recuperação Fiscal (REFIS), relativo aos Débitos Fiscais com o Fisco Municipal. Em votação, o Plenário decidiu em retirar o veto e votar na próxima semana, já que o autor do projeto, vereador José Henrique Portugal (PMDB) estava ausente e também os vereadores Edson Vitor “Piu”,(PMN), Joy Alberto (PMDB) e Antônio Carlos de Lima (PSD).

COMPARTILHAR

Comentários