*Plenário autorizou a realização de licitação de mais cinco terrenos para a instalação de empresas na cidade 

O Plenário Presidente Tancredo Neves aprovou oito projetos de leis, todos de autoria do Poder Executivo durante a sessão ordinária desta segunda-feira (26). As autorizações para realização de licitações de áreas públicas para instalação de indústrias gerou amplo debate durante a votação de cinco itens da pauta. Duas informações divulgadas durante o Pequeno Expediente chamaram a atenção. O gasto com a folha de pagamento que está em 53,6% e a perda de uma verba indicada pela deputada federal Dâmina Pereira (PSL), que segundo vereadores da base foi por falta de uma certidão e não o simples cancelamento como havia divulgado a Administração. A reunião foi presidida pelo presidente Luis Carlos da Silva (PPS) que retornou após passar por uma cirurgia. A ausência foi da vereadora Marlene Rosa Lima Oliveira (PDT).

O vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP) foi o primeiro a subir na Tribuna e usar seus cinco minutos ao microfone. Ele parabenizou pela conquista de uma ambulância que o Município recebeu por indicação do deputado estadual Sávio Souza Cruz (MDB), mas, lamenta que uma van seminova com 20 mil quilômetros rodados tenha fundido seu motor. Segundo o vereador a Prefeitura está com dois carros apreendidos e ninguém sabe onde eles estão.

Robertinho contou que estava na Câmara na reunião de Comissão quando foi chamado por um motorista de van na sede do Peti que fica anexo ao Conselho Tutelar. Uma criança com necessidades especiais teria sido trancada dentro da sede do programa. Junto com os colegas Maycon Machado e Érik dos Reis eles foram até o local e ficaram sem reação. A Polícia Militar foi chamada por volta das 19:00 horas, mas, o pai não quis expor a criança e não foi registrado boletim de ocorrências. Ele quer saber que atitude a Secretaria de Assistência Social tomou contra a diretora, que teria dito que ao saírem não percebeu que tinha alguém no Peti.

O secretário da Mesa Diretora Maycon Douglas Vitor Machado (PSDB), lamentou o ocorrido com a criança e acrescentou que ele trabalha numa instituição de ensino especial e que estas crianças merecem atenção redobrada. “Vi como o pai ficou preocupado e a gente sem saber o que falava. Os responsáveis precisam ter mais um pouco e se colocar no lugar do outro, dos pais desta criança”, analisou.

O vereador tucano divulgou duas notícias: primeiro que esteve junto com o presidente da Câmara Luis Carlos da Silva (PPS) no Córrego da Avenida Conceição Queiroz Marinho que desbarrancou recentemente e que a Secretaria de Transportes e Obras já estava no fim do dia iniciando as obras no local. Depois, que em resposta ao ofício da Secretaria de Administração referente ao Programa Internet Para Todos, a vereadora Marlene Lima (PDT) e ele, indicaram em conjunto as localidades para receberem o sinal – Escola Municipal José Vieira Mendonça, Postos de Saúde Pontalete e Morro Vermelho e todos da zona urbana, escolas estaduais e municipais e Terminal Rodoviário.

O parlamentar Sérgio Eugênio Silva (PPS) pegou um ‘gancho’, na questão da Avenida Conceição Marinho e disse que já havia alertado através de ofício, sobre a necessidade da limpeza dos córregos. Mas a desculpa foi sempre às questões ambientais e a situação só piorou. Sérgio demonstrou sua preocupação quantos aos gastos com a folha de pagamento da Prefeitura. Na Audiência Pública realizada foi mostrado que ela está em 53,6%, impossibilitando de contratar e criar novos cargos. A condição só não está pior, porque não foi pago no fim do ano a assiduidade que é direito das educadoras.

Já Geraldo José Prado (Coelho – PSD) continuou falando sobre a erosão na Avenida Conceição no cruzamento com a Barão da Boa Esperança. Ele fez um vídeo, postou em uma rede social e alertou que a cratera iria piorar. Mesmo assim a Secretaria de Obras se manteve inerte, nem resposta ou providência foi tomada. Ele terminou solicitando ofício à Promotoria de Justiça para investigar caso de corrupção na Guarda Civil Municipal (GCM). De acordo com Coelho o caso já foi denunciado.

Érik dos Reis Roberto (PSDB) pediu novamente que a Prefeitura envie para ele o relatório de todos os veículos, com gastos com peça, manutenção, combustível e tudo detalhado. Ele não quer planilha no Excel ou Word e sim no sistema que o Município possui, basta a equipe “técnica” da Administração saber.

Em tom irônico, Érik parabenizou o atual governo. Começou pela economia anunciada em rede social de 70% de gastos com peças, em relação a Administração em que ele era o vice prefeito. “A economia é fruto de muito empenho, de falta de consultas médicas, exames, medicamentos na Farmácia Municipal, pó de café nas repartições e até de papel higiênico nos banheiros”, criticou batendo palmas na Tribuna. Ele diz que “tira o chapéu” para o Governo Municipal que agora faz com que os servidores façam ‘vaquinhas’.

Base anuncia que Prefeitura perdeu emenda por falta de certidão

O vice presidente da Câmara Donizetti Benício Baldansi (PSL), anunciou que a deputada federal Dâmina Pereira (PSL) vai tentar rever a emenda parlamentar que havia destinado ao município de Três Pontas, no valor de R$ 300.245,00, mas revelou que o recurso não foi cancelado sem motivos pelo Governo Federal como disse a Administração e sim por falta da certidão do CAUC, que estava irregular. Benício esteve em Brasília na semana passada, junto com Coelho e Antônio do Lázaro. Mais tarde, no Grande Expediente, Coelho também comentou o assunto e reforçou que a culpa foi da equipe de Dr. Luiz Roberto que não regularizou toda documentação. O caso aconteceu em 29 de dezembro, quando a Administração informou em nota à Equipe Positiva que o município estaria rigorosamente em dia com suas obrigações legais para o recebimento de recursos federais. O dinheiro seria utilizado no asfaltamento de ruas da cidade.

Geração de emprego predomina na votação da pauta

A pauta começou com a mudança de um artigo de uma lei municipal aprovada em setembro de 2017, em que a empresa que venceu determinado processo licitatório e recebeu uma área do Município, teria que assumir os encargos durante 20 anos, mas em todos os processos deste tipo o período é de apenas 10, igualando esta as outras concessões realizadas. O projeto foi aprovado por unanimidade com referência a empresa que recebeu a área.

O que mais prolongou as manifestações foram as licitações de áreas públicas para a implantação de indústrias e empresas pela cidade. Foram cinco projetos aprovados, não por unanimidade. São vários terrenos grandes, o maior deles com mais de 3,5 mil metros quadrados – que estão nos bairros Francisco Vieira Campos, Village das Palmeiras que entrarão em concorrência.  Alguns vereadores acharam que a Administração deveria se empenhar em leiloar a área do antigo Matadouro, como pressionou o Poder Legislativo e centralizar no Distrito Industrial, as empresas que queiram aportar em Três Pontas. Coelho, Sérgio, Robertinho e Érik falaram das promessas que foram feitas de gerar emprego e renda, mas na prática isto não está acontecendo. Não por culpa da Câmara, mas por ineficiência do Poder Executivo. Eles reconhecem que a crise está acentuada e que conseguir que algum empresário invista na cidade não é tarefa fácil. Porém, lembraram que várias licitações já foram autorizadas em 2017 e até hoje não saíram do papel. Antônio do Lázaro disse que é preciso dar um voto de confiança. Érik minimizou e respondeu que a resposta foi dada nas urnas na última eleição com uma diferença esmagadora de 8.150 votos de frente. O tucano também cobrou novamente o pedido que ele e outros colegas fizeram sobre a quantidade de doações que foram feitas, mas a resposta até agora não chegou.  “Até quando vamos ficar leiloando a cidade, doando terrenos. Se precisar depois de construir um Posto de Saúde, uma creche ou uma escola. Nós não teremos local,” antecipou Érik. Ele foi contra a todos os projetos e justificou que é por zelo pela coisa pública. Robertinho votou em consideração ao seu irmão, que é o secretário de Indústria e Comércio Sebastião de Fátima Cardoso. Sérgio até votou favorável, mas alfinetou que está se doando vários terrenos, mas nada de concreto se viu ainda. Ele também afirmou que a geração de emprego que a Administração as vezes dá publicidade, se deve a competência dos empresários e não a atuação da atual gestão na ampliação dos postos de trabalho.

Dois projetos entraram na pauta a pedido do vereador Antônio do Lázaro. Uma é a autorização para que seja utilizado R$ 126,16 de rendimentos de um recurso que veio para a compra de equipamentos para a atenção básica e por último abertura de crédito suplementar no valor de R$ 25.142,22, fruto de superávit financeiro para complementar as ações de vigilância e controle de endemias.

COMPARTILHAR

Comentários