O projeto foi aprovado, mas precisou do voto do presidente da Câmara Luis Carlos da Silva (PPS), para que a Câmara Municipal autorizasse o Poder Executivo, a adquirir no valor de R$15 mil, uma área de 104 metros quadrados na Peret para que os usuários tenham acesso a Unidade Básica de Saúde (UBS).

A obra foi concluída recentemente pela atual Administração, mas foi iniciada no mandato da ex-prefeita Luciana Ferreira Mendonça. Apesar da população daquela região ganhar mais um local de prestação de serviço à saúde, a localização gera críticas e divide opiniões. É que o prédio fica a beira do Córrego dos Bambus e, toda vez que chove mais forte, há inundação em casas e estabelecimentos comerciais.

O vereador Paulo Vitor (PP) logo saiu em defesa e já rebateu quanto a dificuldade em chegar ao imóvel e questionou como que os materiais usados na obra chegavam e ironizou que deve der descido de avião. A sugestão dele é que seja construída uma ponte, que pega da Avenida José Lagoa ao Posto de Saúde.

Mesmo assim, Paulinho votou contra como nesta área não pode ser construída, o Executivo deveria ser feita a servidão.

O vereador José Henrique Portugal (PMDB) falou abertamente que é contra do Posto onde ele está, por causa do risco da enchente.

02O líder do prefeito na Câmara Sérgio Eugênio Silva (PPS), foi direto ao ponto e rasgou o “verbo”. Disse que os opositores não querem que a obra que a ex-gestão começou e não teve competência de concluir seja inaugurada. Na opinião dele, faltou ainda planejamento e o local é péssimo e deveria ser no bairro Cidade Jardim.

O vice presidente da Câmara Geraldo Messias Cabral (PDT) acrescentou que votar contra o projeto seria votar com a população trespontana.

Foram muitas idas e vindas e o presidente Luis Carlos teve que conter os discursos inflamados, já que eles voltaram a tratar da obra e não da compra do terreno.

Em votação, votaram favoráveis Geraldo Messias, Valéria Evangelista, Francisco Cougo, Sérgio Silva, Vitor Bárbara, Alessandra Sudério, Joy Alberto e Luis Carlos. Foram contrários Antônio Carlos de Lima, Itamar Diniz, Paulinho, Edson Vitor, José Henrique, Professor Popó e Chico Botrel.

Por último na pauta, Luisinho teve um projeto de Decreto Legislativo aprovado. Ele concede o Título de Cidadania Honorária Trespontana à pastora Isabel de Fátima Vitorino Francisco. Ela é natural de Elói Mendes, mas reside em Três Pontas desde 2006 e é Conselheira na Associação de Igrejas Evangélicas de Três Pontas.

COMPARTILHAR

Comentários