O clima da sessão ordinária desta segunda-feira (14), na Câmara Municipal foi mais sereno, mas, a oposição não deixou de recordar a polêmica em torno da votação da derrubada da Lei do Diploma. O projeto do Poder Executivo que tira a obrigatoriedade de secretários municipais e presidente da Câmara ter curso superior, foi aprovado por cinco votos na sessão anterior, depois da tentativa do bloco oposicionista de barrar a votação.

Antes da aprovação da ata, o vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS) em nome dos demais colegas, solicitou que ficasse explícito que eles se retiraram, baseados no que permite o Regimento Interno do Poder Legislativo. O presidente da Câmara Luis Carlos da Silva (PPS), considerou que eles foram contrários, registrando inclusive na folha de votação e na ata. Luisinho entendeu que como eles haviam participado de outras votações, os colegas deveriam ter votado sim ou não, por isto, considerou que eles foram contrários. O presidente se comprometeu a constar na ata desta semana o pedido feito.

Sérgio esclareceu que não foi covarde, como alguns os intitularam e justificou que abandonaram o Plenário por falta de estudo do projeto nas Comissões Técnicas e uma tática utilizada, já que na visão dele, seria necessário dois terços para aprovar, mas votaria tranquilamente contrário a proposta esta semana. Serjão diz que nem sempre concordou com a decisão do Plenário, mas aceita. O vereador socialista, concluiu denunciando que havia sido procurado para comprarem seu voto. Ele não quis dizer o nome, mas acrescentou que se o apertarem diria quem tentou oferecer uma vantagem para votar com o Executivo a Lei do Diploma.

No Pequeno Expediente o vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB), líder da oposição condenou e achou deselegante a atitude do prefeito Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD), em citar na entrevista concedida à Equipe Positiva na semana passada, nomes de pessoas que estiveram em uma reunião a portas fechadas na Câmara. Sobre as críticas do prefeito às leis e emendas feitas pelos vereadores, Érik falou que o prefeito teria criticado a lei do vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP), que garante folga no dia do aniversário aos servidores municipais, aprovada pela Câmara e que teve que ser promulgada pelo Legislativo. No mandato passado de acordo com o vereador tucano, por um longo período foram emitidos dezenas de atestados médicos licenciando o funcionário da Prefeitura de faltar ao trabalho, quando na verdade, os próprios beneficiados postavam em redes sociais demonstrando que o motivo da ausência era por motivos de viagem, festas, churrascos e inclusive na companhia do médico que fez o documento.

O vereador Antônio Carlos de Lima (PSD), comentou sobre a pane elétrica que provocou um acidente com um ônibus da Secretaria Municipal de Educação que deixou ferido um dos cerca de 40 alunos que estavam no ônibus, na Comunidade das Bananeiras. Ainda sobre o transporte escolar, o líder do prefeito anunciou a chegada de mais dois microônibus escolares, totalizando ao todo oito, em apenas em sete meses de governo. Ele parabenizou o prefeito Luiz Roberto, o secretário de Educação Paulo Vitor da Silva e o deputado federal Diego Andrade (PSD-MG) que indicou os veículos permitindo que o Município invista apenas cerca de R$50 mil em contrapartida.

O vice presidente da Câmara Donizetti Benício Baldansi (PSL) comentou no Pequeno Expediente da visita neste sábado (12), do vereador de Belo Horizonte, Bim da Ambulância (PSDB), que conheceu os Socorristas Voluntários de Três Pontas “Anjos da Vida” e a estrutura que eles utilizam para prestar atendimentos à população. Benício quer que o coordenador do serviço Frederico Ribeiro “Fred” vá até a Câmara explicar sobre a ambulância que o grupo irá receber nos próximos dias.

PROJETOS – A discussão em torno dos projetos que estavam na pauta praticamente não existiu. Apenas o vereador Érik dos Reis, reafirmou que mudanças no Orçamento como os três projetos que estavam na Ordem do Dia é normal e corriqueiro, mas, que os remanejamentos constantes feitos pela atual Administração demonstram que a gestão anterior planejou bem o ano orçamentário de 2017.

As leis foram aprovadas por unanimidade, autorizam as aberturas de créditos adicionais suplementares nas secretarias de Transportes e Obras, Administração e Recursos Humanos, nos valores de R$7.390,19 e R$10.483,01 e R$110.000,00 mil, respectivamente. Todas tinham pedido de votação em regime de urgência.

HOMENAGEM AOS PAIS

Pais ocuparam cadeiras no Plenário para receber a homenagem dos vereadores

Os vereadores escolheram 13 pais para serem homenageados pelo Poder Legislativo. A maioria dos vereadores foram indicações de pais que se destacam na comunidade, mas, alguns preferiram levar seus próprios genitores. Além deles, o pai do Ano indicado pelo Lions Clube de Três Pontas, Antônio Miranda Pereira e Seu Nilo de Brito Mesquita escolhido pelo Centro do Idoso receberam o reconhecimento do Legislativo. Os outros são: Carlos Roberto Sarto, Duílio Bondi de Andrade, Expedito Floriano, Joaquim Baldansi, José Anselmo Lopes, José Dias dos Reis, José Loreto de Brito, José Rogério do Prado, Sebastião Balbino Vinagre, Vicente de Paula Silva e Waldivino Machado.

A sessão solene contou com a musicalidade dos professores do Conservatório Heitor Villa Lobos, Lidyane Brito, Beto Maciel e Wander Scalioni, que cantaram em nome aos homenageados. Alguns deles retribuíram com agradecimentos na Tribuna, outros, acanhados com o microfone, preferiram o silêncio, mas todos saíram satisfeitos com a honraria.

COMPARTILHAR

Comentários