Os vereadores da Câmara Municipal de Três Pontas fizeram sua tradicional sessão ordinária nesta segunda-feira (05), mas, sem projetos na pauta. Por isto, a reunião foi rápida, sem discussões, apenas com o Pequeno Expediente. Antes de irem para o Plenário Presidente Tancredo Neves, todos os legisladores tiveram um encontro as portas fechadas com profissionais do Conservatório de Música Heitor Villa Lobos. Os oradores puderam gastar seus cinco minutos no Pequeno Expediente e os que não estavam inscritos puderam falar no final, em comum acordo com todos.

O primeiro a falar foi Roberto Donizetti Cardoso (PP), que lembrou a cassação da prefeita de São Thomé das Letras Marisa Maciel de Souza (PT) por não responder requerimentos feitos pela Câmara. Robertinho tocou no assunto para mencionar que somente ele, tem 11 ofícios pedindo informações ao Poder Executivo que não foram respondidos. Por isto, vai referendar todos os ofícios novamente e esperar o prazo de 30 dias. Depois, caso não receba respostas de todos eles, vai encaminhar à Promotoria de Justiça.

Já Maycon Douglas Vitor Machado (PDT) desejou melhoras à vereadora colega de partido Marlene Lima, ausente na sessão mais uma vez por problemas de saúde. Ele comentou a viagem que fez a Brasilia e agradeceu a liberação de recursos pelos parlamentares federais Diego Andrade, Dâmina Pereira e Dimas Fabiano. O deputado Bilac Pinto também ficou de ver a possibilidade de destinar recursos ao Município. Maycon agradeceu o trabalho que está sendo feito de revitalização das quadras esportivas nos bairros da cidade, mas cobrou que ainda é pouco diante da grande demanda de locais que necessitam de melhorias. Disposto a colaborar, buscando apoio da iniciativa privada, o secretário da Mesa se colocou a disposição.

O tucano Érik dos Reis Roberto (PSDB), lamentou os motivos com que as pessoas da terceira idade não estejam conseguindo o Cartão do Idoso. Érik soube que o problema anteriormente havia sido a falta de papel. Agora é que não tem tinta na impressora que emite o documento, o que teria sido confirmado por servidores da Secretaria de Administração. Ele também falou da viagem a Brasilia e da visita que fez ao gabinete do senador Antônio Anastasia (PSDB). Mesmo sem fazer agenda, ele e Sérgio Silva conseguiram falar com o senador sobre a possibilidade de direcionar recursos financeiros ao Município.

O vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS), classificou como política suja e sórdida, as ações praticadas pela situação. Ele comentou as denúncias feitas ao facebook da reportagem publicada pela Equipe Positiva da transmissão do cargo de presidente feita ao ex-prefeito Paulo Luis Rabello (PPS), quem assumiu a direção do partido. Isto provocou que todo o conteúdo do portal linkado a rede social fosse retirado. Serjão comentou sobre a dificuldade de mães com a questão do zoneamento, que provocou a transferência de crianças que não mudaram de endereço, mas tiveram que ser matriculadas em outras escolas. Uma delas foi informada que era preciso a votação de um projeto de lei da Câmara para resolver o problema. Ele condenou que mais uma vez a culpa esteja recaindo sobre os vereadores. Serjão cobrou ofício de como foi feito este zoneamento que está gerando reclamações.

O discurso que mais chamou a atenção foi do vereador Geraldo José Prado (PSD) “Coelho”. Ele anunciou e agradeceu recursos disponibilizados pelo deputado federal Diego Andrade (PSD-MG) para o setor da saúde.

Em seguida, Coelho que foi critico ferrenho da Administração do prefeito Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD) comentou sobre as visitas que fez junto com o gestor em terrenos sujos, estradas esburacadas e córregos que precisam de melhorias. Luiz Roberto garantiu ao parlamentar e colega de partido, que em 30 dias tudo estará solucionado. Ele considera o prefeito uma pessoa boa, de bom coração e que não merece tantas críticas como ele vinha fazendo. Coelho admitiu que errou ao brigar tanto e não ter as respostas dos seus pedidos que faz pela população. O parlamentar pediu desculpas, diz que talvez tenha errado, por ter levado problemas aos secretários, sem conversar com o prefeito, aquele quem realmente manda. Por isto, Coelho diz que vai acreditar na palavra de Luiz Roberto. “As vezes o vereador fica aqui batendo e brigando em vão”, desabafou em tom bem calmo na Tribuna. O parlamentar minimizou as dificuldades enfrentadas, apontando que todos os municípios da região passam por crise financeira. Ele concluiu dizendo que está estendendo a bandeira da paz, diante da promessa de que será ouvido pelo prefeito.

O presidente da Câmara Luis Carlos da Silva concluiu a sessão fazendo um pedido que gerou discussão entre os legisladores no término da reunião. É que a Construtora Dharma de Lavras pediu a realização de uma Audiência Pública para debater sobre a possibilidade de abrir um loteamento localizado no bairro Século, criando assim, o Jardim Greenville II. A Audiência foi aprovada, teve os votos contrários de Érik e Robertinho e deve ser marcada ainda este mês no Plenário da Câmara. A intenção de se tornar a área residencial é antiga, vem desde 2009, quando um projeto foi aprovado. O Ministério Público moveu uma ação na Justiça tentando barrar o loteamento. Em fevereiro de 2012, um projeto de lei do vereador José Henrique Portugal (MDB) revogou a autorização, porque o local se trata de área de preservação ambiental.

COMPARTILHAR

Comentários