*Crianças da educação infantil e do ensino fundamental retornaram quinta-feira. Já da rede estadual voltam às aulas nesta segunda, com exceção da Escola Cônego José Maria onde alunos só regressam na terça-feira 

O ano letivo começou nesta quinta-feira (03), nas escolas da rede municipal de ensino. Em 2017 são 5.255 crianças e adolescentes atendidos nas escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI’s).

A Secretaria Municipal de Educação ainda não definiu se irá adquirir materiais escolares didáticos que foram distribuídos gratuitamente para quase todos os alunos ano passado. Segundo o secretário de Educação Paulo Vitor da Silva, a forma como foi feito a compra pode ser diferente. Em 2016, o investimento foi de cerca de R$400 mil.

Em seis das setes escolas que compõem a rede estadual de ensino, as aulas voltam nesta segunda-feira (06). Ao todo são 5.048 alunos, sendo que 560 estudantes da Escola Cônego José Maria, só retornam na terça-feira (07), por causa do término do processo de designação de professores.

Movimento de pais na porta das escolas Antonieta Ferracioli e Solange Mendonça Reis

Na Escola Estadual Deputado Teodósio Bandeira, são cerca de 1,2 mil estudantes em três turnos. O prédio ainda está passando por reforma, após ter sido incendiado em junho de 2016 por quatro menores de idade. O crime aconteceu durante a madrugada e o caso repercutiu em todo o estado de Minas Gerais. A sala da vice diretora que foi completamente destruída está pronta, faltam apenas recolocar móveis e instalar um ventilador. O espaço ganhou piso de granito e onde havia uma divisória de madeira foi construído uma parede ganhando mais luminosidade. Segundo o diretor Bruno Miari, faltam apenas alguns detalhes, mas nesta segunda-feira, a sala já será utilizada.

As vices diretoras Evane Aparecida Oliveira Máximo e Márcia Cardoso e o diretor Bruno Miari no centro, na sala que foi reformada

O sistema elétrico ainda está sendo refeito por servidores da própria escola. A sala do Arquivo Morto, onde estava o histórico escolar de todas as pessoas quem passaram pelo estabelecimento educacional e o diário dos professores ainda está fechada e espera para ser reformada. Foi neste local que o Corpo de Bombeiros precisou abrir um enorme buraco na parede para retirar a grande quantidade de papel e conter as chamas.

Toda a reforma foi feita com recursos da escola, da comunidade e dos próprios alunos, que se mobilizaram após o incêndio.

Os menores foram identificados, ficaram detidos no Presídio e depois de cinco dias foram liberados e ainda respondem pelo ato infracional.

Bruno Miari está cheio de expectativas com o novo ano letivo e espera que seja tranquilo. Vários projetos serão desenvolvidos com o apoio de toda a equipe que já se reuniu e vai “vestir a camisa” do “Estadual”.

COMPARTILHAR

Comentários