O VII Festival Canto Aberto terminou na noite deste sábado (06), na Praça Cônego Victor em Três Pontas e já deixou saudades. O público mostrou que o evento agradou. Os apaixonados pela boa música enfrentaram muito frio e chuva, mas não desanimaram e lotaram a Praça da Matriz.

O Canto Aberto trouxe cultura e arte e mostrou a musicalidade de muitas pessoas que ainda eram desconhecidas. Que o Município é um celeiro de grandes artistas todo mundo já sabe. Mas há talentos de adolescentes e jovens anônimos, das escolas da cidade, que cantaram pela primeira vez para um grande público. Receberam aplausos e tiveram torcida organizada. Eles participaram do Festival Estudantil antecedendo os shows de grandes nomes da MPB, como Renato Teixeira e a Banda 14 Bis, que tem 35 anos de estrada e se reinventam a cada apresentação. Os trespontanos da Banda Improváveis também subiram ao palco e o músico Nano Vianna campeão do Festival Nacional da Canção, com muita simpatia ficou na cidade os dias todos, caminhou junto aos trespontanos e visitantes e encerrou com chave de ouro o festival que ressurgiu em 2018.

A disputa local na quinta-feira (04) teve 10 apresentações e cinco garantiram passaporte para a final no sábado. Na sexta-feira (05) foi a vez dos artistas do Brasil, na fase nacional com 15 músicas. Vieram artistas de várias regiões do País, acostumados com os festivais, mas que fizeram questão de mostrar o talento na cidade, que tem como referência Milton Nascimento, ídolo de milhões que tentam um lugar ao sol e de milhares de nomes já consagrados pelo público.

No sábado (06), foram as finalíssimas com artistas da cidade e do Brasil, os que foram classificados nas etapas local e nacional, num total de 15 apresentações.

O secretário municipal de Cultura, Lazer e Turismo Alex Tiso Chaves, faz um balanço positivo do Festival Canto Aberto e diz que os méritos são de toda a equipe e do apoio que recebeu das demais secretarias e dos apoiadores. “Trabalhamos para chegar o mais perto da perfeição”, acrescentou. Ele destacou também o apoio imprescindível da Cocatrel que foi fundamental para que mais uma edição do Festival fosse concretizada com sucesso.

E ano que vem tem mais. O VIII Festival Canto Aberto de 2020 já tem inclusive data marcada. Entre os dias 02 e 04 de julho, também dentro das comemorações do aniversário da cidade, como foi este ano.

Foto: Dioninho Solo/Equipe Positiva

Veja a lista dos vencedores:

Etapa Local

1º Lugar – Flores Virtuais

Autores: Sérgio Ricardo de Melo Barboza / André Luís dos Santos Barbosa

Intérpretes: Vivian Peloso

2º Lugar – Botequim

Autora e Intérprete: Elis Theophilo

3º Lugar – A Imagem da Fé

Autores: Matheus Rodrigues e Danilo Santos

Intérprete: Danilo Santos

Etapa Nacional

1º Lugar – Sá Maria Benzedêra

Autor: Ronildo Prudente – Três Corações/MG

Intérprete: Borná de Xêpa

2º Lugar – De Mar e de Drummond

Autor: Clayton Próspreri – Três Pontas/MG

Intérprete: Compasso Lunar 

3º Lugar -Calango na Cidade

Autor e Intérprete: Bilora – Contagem/MG

Melhor Intérprete

Junior Almeida

Música: Silêncio – Formiga/MG

Música Mais Comunicativa – Calango na Cidade

Autor e Intérprete: Bilora – Contagem/MG

Vencedores Fotografia

1º Lugar

Pedro Augusto Freitas da Silva

(E.E. Pref. Jacy Junqueira Gazola) 

2º Lugar

Laura Eduarda Malaquias Cassimiro

(E.E. Cônego José Maria) 

3º Lugar

Miguel Batista Heitor (Colégio Travessia)

Escultura

Escola Estadual Cônego José Maria

Música

1. E.E. DEP. TEODÓSIO BANDEIRA

2. COLÉGIO NOVO MILÊNIO – COOTEC

3. COLÉGIO TRAVESSIA

Conto

1. RAÇA E CONQUISTA – Stephanny Silva Oliveira (E.E. Mons. João Batista da Silveira)

2. VICENTE AMADO – O GRIÔ DE TRÊS PONTAS – Lucas Gabriel do Rosário Fidélis (CAIC)

3. O SONHO CAPOEIRISTA – Samuel Chagas Rosa (Colégio Prósperi)

Fotos: Maurinho Bueno

COMPARTILHAR