Fotos: Equipe Positiva

 

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, a Apae de Três Pontas entregou na tarde desta terça-feira (28), um novo espaço em sua estrutura e acredita que a inauguração é mais um marco na oportunidade de oferecer ainda mais qualidade de vida para seus alunos e usuários. A celebração de mais esta conquista, integra a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla 2018, realizada de 21 a 29 de agosto.

A cerimônia de inauguração contou com a presença de diretores, profissionais da instituição, voluntários, alunos, pais, autoridades políticas e familiares da homenageada “Laura Miari Campos” que empresta seu nome ao espaço da instituição.

Ocuparam lugar de destaque o casal de autodefensores do Conselho Regional Sul II Carlos Leandro da Silva e Gabriela Cristina da Silva, o presidente do Conselho Municipal da Criança e Adolescente – Clóvis José de Araújo Castro, a Superintendente do Centro Especializado de Reabilitação Física e Intelectual (CER II) e a 1ª diretora secretária da Federação das APAEs do Estado de Minas Gerais – Maria Rozilda Gama Reis, a presidente da Apae – Maria Aparecida Dionísio Silva, o vereador e secretário da Mesa da Câmara Municipal de Vereadores Maycon Douglas Vitor Machado, a secretária municipal de Assistência Social Aparecida Maria Chaves Garcia e o prefeito de Três Pontas Marcelo Chaves Garcia (MDB).

 

O Espaço “Laura”

Realizada em parceria com diversos colaboradores, dentre eles os funcionários da CEMIG – Programa Ai6% e Supermercado Moacyr, através do aporte financeiro do Conselho Municipal da Criança e Adolescente, esta readequação visa ampliar o espaço existente na instituição, com o objetivo de expandir a convivência e integrar os usuários, estreitando os vínculos familiares, através de atividades de lazer e recreação, além de proporcionar momentos de repouso e maior qualidade de vida.

O espaço era um parque comum. Ao ser totalmente remodelado, ganhou cores, flores, e com isso mais vida, ficando mais acessível e útil para os usuários com autismo e deficiências mais graves. Foram adquiridos novos brinquedos, instalados dois redários, uma cama elástica que foi adaptada ao parque e equipamentos de ginástica ao ar livre, servindo tanto para a parte recreativa como terapêutica. Foi montado um jardim sensorial para desenvolver as habilidades nas pessoas com deficiências principalmente aquelas com deficiência visual. A Apae também entregou duas piscinas; a raia que será utilizada para treinamento daqueles que participam de campeonatos esportivos; e a piscina praia para recreação das crianças e dos autistas. As melhorias promovidas permitem que as pessoas com deficiência intelectual e múltipla tenham um espaço que atenda a especificidade de cada um, integrando crianças, jovens e adultos no mesmo espaço, envolvendo-os de forma significativa e fortalecendo convivência.

 

“Laura”

A menina Laura foi levada pelos pais Hélio Campos e Andréa Torres para a Apae em 2010 com autismo. Eles chegaram como tantos outros chegam, aflitos. Encontraram estrutura, profissionalismo, compromisso e comprometimento, mas acima de tudo,amor ao próximo. O relato foi feito por Andréa durante a solenidade é que após o falecimento da filha, em 28 de agosto de 2012, aos 21 anos de idade, a exatamente seis anos, ela se engajou na causa filantrópica e vem prestando assessoria tanto em eventos e também na reestruturação arquitetônica da instituição, já que Andrea é formada em engenharia. Em função do apoio voluntário da mãe, a Apae resolveu homenagear a filha.

Na leitura de seu discurso meio as lágrimas que escorria no rosto, Dona Andréa que já era seu desejo se oferecer como voluntária. Quando isto aconteceu, começou a trabalhar e se envolver cada vez mais com esta causa. Quando seu maior tesouro partiu, perdeu o chão. E foi na Apae que encontrou forças para continuar; a princípio sobrevivendo, porque a instituição sempre esteve ao seu lado e não a deixou cair.

Sobre o espaço, a engenheira diz que a ideia do Parque de Convivência Integrada é proporcionar a autonomia individual, a inclusão pela igualdade de oportunidade ao lazer e esporte, evidenciando que a deficiência é apenas mais uma característica da condição humana. Agradecida com a homenagem, Andréa Torres disse que se orgulha do seu trabalho e junto com seu marido, a emoção era tanta que não cabia dentro deles.

O atual presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente Clóvis José de Araújo Castro, reafirmou a parceria com a Apae em projetos que vão beneficiar crianças e adolescentes. Ele aproveitou para parabenizar todos os envolvidos na readequação Parque de Convivência Integrada.

Na visão de Rozilda Gama, as ações desenvolvidas pelas Apaes fazem com que a qualidade de vida cresça e expectativa de vida também. Ela comentou as melhorias que estão acontecendo, a implantação do Centro Especializado de Reabilitação (CER II). O Centro atua na habilitação ereabilitação de pessoas com deficiência intelectual e física e será referência na microrregião, atendendo cerca de 126 mil pessoas. Além dos usuários de Três Pontas, os moradores de Santana da Vargem, Coqueiral, Boa Esperança e Ilicínea, terão o Centro de Reabilitação da Apae de Três Pontas como referência; e uma demanda estimada em 12.700 pessoas com deficiência.

Demonstrando as dificuldades enfrentadas diárias e principalmente no fim do mês para fechar as despesas e pagar todos os funcionários, Rozilda justificou que o apoio do poder público e da comunidade é fundamental. Aliada a isto, ainda tem os projetos confeccionados para angariar recursos de parceiros, que lhe tiram noites de sono, mas é recompensado a cada recurso que chega. “A gente precisa continuar avançando. E com a vinda da Laura para cá foi uma grande conquista”, registrou Rozilda.

Ao informar a importância desta conquista, a presidente da Apae Maria da Aparecida Dionísio Silva descreveu que o projeto de construir o Espaço de Convivência Integrada, foi pensando no bem-estar daqueles que tem deficiência intelectual e múltipla na faixa etária de 0 a 60 anos. O serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para pessoas com deficiência será, segundo Maria Aparecida, realizado em grupos e organizado de modo a garantir aquisições progressivas das pessoas com deficiência intelectual e autismo, de acordo com o seu ciclo de vida, prevenindo a ocorrência de situações de risco social, assegurando o espaço de referência para o convívio grupal e social e o desenvolvimento de relações de afetividade, solidariedade e encontros intergeracionais, melhorando e promovendo sua convivência familiar. “Esperamos contudo, fortalecer ainda mais os laços entre instituição, alunos, usuários, familiares e comunidade trespontana através do espaço inaugurado”, concluiu a presidente.

Para abrilhantar ainda mais a tarde, os alunos da Apae fizeram uma apresentação artística de dança, de Medley de Michael Jackson. Eles prestaram uma homenagem ao cantor, compositor e bailarino e presenteou os convidados com uma mensagem de auto estima, demonstrando que cada um de nós é capaz, apesar das limitações que todos tem.

A APAE aproveita em tempo para agradecer aos caros voluntários, Águida da Silva e Edison Heleodoro pelas inúmeras contribuições à instituição.

Autoridades, convidados e familiares desfizeram o laço da fita de inauguração
Depois descerram a placa comemorativa que marca a inauguração do novo espaço na instituição
COMPARTILHAR

Comentários