O Carmelo São José recebeu na terça-feira (21), a positio, livro que resume toda a documentação da Madre Tereza Margarida do Coração de Maria, Nossa Mãe. O documento foi enviado pelo postulador da Causa Dr. Paolo Vilotta. A análise da Positio, em sua primeira etapa, é feita por oito consultores teólogos mais o Promotor da Fé. Na segunda, por uma comissão de cardeais, arcebispos e bispos membros do dicastério. A terceira etapa, pelo Papa, que emite um Decreto Pontifício declarando que o “Servo de Deus” praticou as virtudes em grau heróico, passando a ser chamado de “Venerável” na sua Diocese.

Para as irmãs carmelitas, mais este passo no processo de beatificação é um grande estímulo a fim de que sejam reconhecidas pela Igreja a santidade da Serva de Deus Madre Tereza Margarida, como se reza em sua oração pela beatificação: “se for para vossa glória e o bem da Igreja, que ela seja elevada à honra dos altares”.

As religiosas contam com as orações de todos em favor desta causa, para que os exemplos de santidade da Serva de Deus Nossa Mãe iluminem a vida de muitos e sua intercessão os ajude em suas necessidades.

O processo de beatificação

Cerimônia de inicio do processo de beatificação de Nossa Mãe. Fotos: Arquivo EP

A Diocese da Campanha, abriu oficialmente o processo de  beatificação de Nossa Mãe, em cerimônia solene realizada na Matriz Nossa Senhora D’Ajuda, no dia 04 de março de 2012. Presidida pelo bispo Dom Diamantino Prata de Carvalho, contou com a participação de vários padres e religiosas de vários lugares do Brasil. Os restos mortais foram levados no início da tarde para a Matriz, sem escolta em carro funeral. Fiéis de todas as idades, classes sociais e políticos, já esperavam formavam a fila para passar rapidamente pela urna de acrílico, colocada no corredor central do altar.

A missa contou com a presença de religiosos de vários lugares e também políticos. Dom Diamantino iniciou a celebração, destacando a importância da diocese centenária que ele dirige, que ganhou mais uma candidata à santidade. “Deus chama para junto dele, alguns que se destacam de forma heróica, como Nhá Chica, da cidade de Baependi, aqui no sul de Minas, Padre Victor e Nossa Mãe, que dedicaram suas vidas religiosas em Três Pontas”, disse. A mais nova Serva de Deus, segundo Dom Diamantino, viveu uma vida simples com extremo amor a Deus, ao próximo e sobretudo para suas irmãs do Carmelo São José, por isso é tão querida e considerada santa, pois viveu em santidade.

Ela foi fundadora do Carmelo de São José, em 1962, no município, onde vivem as carmelitas da Ordem da Bem-Aventurada Virgem Maria de Monte Carmelo. Durante a celebração solene, a urna de acrílico onde estavam os restos mortais foi aberta pelo postulador Paolo Vilota. Houve a assinatura da ata de reconhecimento dos direitos canônicos, feita Tribunal Eclesiástico formado por: Padre Ednaldo Barbosa (Paróquia Nossa Senhora D’Ajuda), que tem o cargo de Juiz Delegado, o Promotor é Padre Rogério Augusto da Silva (Paróquia Cristo Redentor). Também assinaram o Notário Ronaldo Frigini de São João da Boa Vista (SP), a priora do Carmelo São José Madre Vânia Maria do Espírito Santo, a irmã Maria Elizabeth da Trindade, a irmã de Madre Tereza Margarida do Coração de Maria, Maria Marques Machado, a prefeita Luciana Ferreira Mendonça (PR), o postulador Paolo Vilota e o bispo Diamantino. Todos foram até uma mesa a frente do altar e deixaram suas assinaturas. O documento foi colocado dentro da urna que em seguida foi selada e ganhou contorno de fitas vermelhas. Dom Diamantino carimbou a fita e em seguida o Tribunal foi instalado, que a pedido de Vilota, inicia-se o processo diocesano sobre a vida, as virtudes e a fama de santidade da Madre Tereza. Através de um ato jurídico, cada um dos membros, assinaram outro documento, e prestaram o juramento de fidelidade nos trabalhos de pesquisas e levantamentos.

Maria Luiza

Madre Tereza Margarida do Coração de Maria, cujo nome de batismo era Maria Luíza, nasceu em 24 de dezembro de 1915, em Borda da Mata. Ela ingressou na vida religiosa aos 22 anos, em Mogi das Cruzes (SP). Ao receber o hábito de noviça, ela recebeu o nome de Tereza Margarida do Coração de Maria. Ela emitiu os votos solenes em fevereiro de 1942. Madre Tereza fundou o Carmelo São José e lá ficou conhecida por todos como “Nossa Mãe”, pelos atos de caridade. Na casa religiosa fundada por Madre Tereza e onde ela viveu a maior parte da vida, estão hospedadas diversas monjas vindas de diversos carmelos de Minas Gerais.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here