A Câmara Municipal aprovou em mais uma sessão ordinária na noite desta segunda-feira (03), dois dos três projetos que estavam na pauta de votações. O principal deles se refere a auxílio financeiros às fanfarras das escolas que irão participar das comemorações do aniversário de Três Pontas.

No Pequeno Expediente, o vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB) pediu informações sobre um recurso no valor de R$25 mil, aprovado em 2018 pela Câmara destinado à Associação Comercial e Agroindustrial de Três Pontas (Acai-TP) para contratar um profissional e fazer um estudo sobre o Município. Em agosto vai completar um ano e não há resultado de nada, nem mesmo uma prestação de contas foi apresentada pela entidade. O vereador quer uma resposta dentro do prazo regimental de 15 dias.

O vice presidente da Mesa Diretora Antônio Carlos de Lima (Antônio do Lázaro – PSD) anunciou que esteve em Belo Horizonte na Secretaria de Estado de Planejamento, solicitando a instalação de antenas de telefonia celular nos bairros Cidade Jardim e no Distrito do Quilombo Nossa Senhora do Rosário. Ele também registrou que depois das três viaturas que chegaram para a Polícia Militar, por intermédio do deputado federal Diego Andrade (PSD-MG), a 151ª Companhia irá receber uma Unidade Móvel e mais três motocicletas. O recurso só é disponibilizado para cidades de grande porte. A entrega já tem até data marcada, dia 05 de julho, com a presença do parlamentar e do comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais, Coronel Giovanne Gomes da Silva.

O vereador Geraldo José Prado (Coelho – PSD) pediu envio de ofício as secretarias de Transportes e Obras e Esportes solicitando a melhoria da quadra poliesportiva do bairro Santa Marta e a limpeza ao seu redor. Coelho criticou a Administração pelo aumento na altura da mureta que circunda o jardim em frente a Prefeitura. Na visão dele, demonstra que o Município tem dinheiro e funcionário de sobra. A Secretaria de Obras colocou três funcionários para fazer a “obra”, enquanto diversos bairros necessitam de demandas importantes que estes pedreiros poderiam resolver. “Dizem que a Prefeitura não tem dinheiro, mas estou achando que sim, porque gastaram dinheiro a toa, sem necessidade nenhuma”, pontuou Coelho.

Roberto Donizetti Cardoso (Robertinho – PP) revelou na Tribuna que está sendo processado pelo prefeito Marcelo Chaves Garcia (MDB), por um comentário que fez na Tribuna a alguns meses atrás. Robertinho havia dito que a Prefeitura tinha deixado de fazer a manutenção de uma estrada rural para realizar um serviço em uma propriedade particular. Mas ele diz ter fotos e várias testemunhas do que falou. Como retaliação, o oposicionista da Administração irá fazer um Requerimento para votação no Plenário, solicitando desde janeiro de 2017 as cópias dos boletins dos serviços prestados pela Secretaria de Obras, os horímetros das máquinas e caminhões, notas de abastecimentos, locais realizados os serviços e dias e horas especificados, assinados pelos motoristas e operadores. Este controle já existe nas secretarias de Saúde e Educação.

Há bastante semanas sem se manifestar, quem utilizou seus cinco minutos no Pequeno Expediente, foi Luis Carlos da Silva (Luisinho – PPS). Com um semblante melhor, Luisinho criticou uma pessoa, que não citou o nome que denuncia tudo e todos e de forma anônima. Desmerecendo o cidadão que se porta desta maneira, deixou sua indignação. Com cinco mandatos e uma vasta experiência, Luisinho disse que é amigo de todos os colegas vereadores e tem a liberdade de ir na casa de cada um e falar o que pensa. Porém, é dificil falar em união na Câmara. A amizade acontece mais nos dois primeiros anos de legislatura.

Ao terminar, agradeceu as inúmeras ligações e mensagens que tem recebido de apoio. “Elas demonstram que eu não fui eleito para o quinto mandato por acaso” considera. É que Luisinho enfrenta na justiça, um processo em que foi condenado em primeira instância por ter dado posse ao suplente de vereador Diego Ferreira Andrade (PPS), enquanto ocupava a presidência da Câmara em 2016. Ele não conseguiu esconder em março deste ano, quando o caso foi divulgado que ficou bastante chateado com seu partido, o PPS.

O presidente do Poder Legislativo Maycon Douglas Vitor Machado (PDT), concordou com seu antecessor e disse ser necessário que as pessoas se coloquem no lugar do outro e também tenham empatia, pois tudo o que se planta é o que se colhe. Ele listou na Tribuna ao fazer seu pronunciamento, os parabéns. Começou pela Secretaria de Cultura que realizou no fim de semana a 1ª Feira Literária de Três Pontas, evento bem organizado e com baixo custo. Ainda mais que o secretário Alex Tiso coincidentemente lembrou de sua autoria, que criou a Semana Municipal do Livro que também pontuou a favor da promoção da feira. Depois, aos formandos do Pólo E-TEC Três Pontas, pela formatura realizada em Muzambinho. Ele não pode comparecer mais reconheceu o trabalho de Christiane Marchetti e desejou sucesso a todos os novos profissionais.

Maycon prestou contas da participação dele e da vereadora Marlene Lima (PDT), que juntamente com o vice presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, Bruno Máximo, estiveram em Varginha, na Audiência Pública proposta pelo deputado estadual Professor Cleiton (DC), onde foram debatidas e também colhidas sugestões para a elaboração de políticas públicas à esse público.

Sobre as quadras do bairro Aristides Vieira que Maycon vem cobrando sua total revitalização a meses, ele soube que o processo licitatório para a obra, será realizado na próxima semana. Ele refez o apelo, já que muitas crianças e jovens utilizam o local para praticar várias modalidades esportivas.

O presidente terminou convidando a todos para colaborarem e prestigiarem a 6ª Quermesse da Vila Vicentina, que acontece de 06 a 09 de junho, a partir das 19 horas, em frente à sede da Vila Vicentina. “A organização do evento está precisando de doações para preparar as comidas típicas que são servidas”, colaborou Maycon Machado. Todo o dinheiro arrecadado é destinado exclusivamente a manutenção do Lar.

Três projetos na pauta, dois aprovados

Eram três projetos na pauta, mas a pedido do vereador Érik dos Reis, o projeto que abria crédito especial para a construção da sede do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Três Pontas (IPREV), em um terreno de 834,50m2, foi retirado da pauta. O tucano solicitou informações que ainda não foram respondidas pela direção. Outros vereadores também tem dúvidas e por isto, o próprio presidente Maycon Machado retirou excluido.

Sem discussões, a Câmara aprovou a inclusão de mais um membro indicado por cooperativa agropecuária de produtores estabelecida no Município, ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Sustentável (CONDES), enriquecendo a sua formação.

Por último, os vereadores elogiaram o projeto que concede auxílio financeiro às escolas que tem fanfarras e que irão participar do desfile em comemoração ao aniversário de emancipação político Administrativa de Três Pontas no dia 03 de julho. O recurso no valor de R$1,5 mil para cada uma, sairá da Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Turismo e vai para as escolas Coração de Jesus, Presidente Tancredo Neves, Deputado Teodósio Bandeira e R$500 para a Apae.

A vereadora Marlene Lima disse que as fanfarras enriquecem o desfile e há uma dificuldade muito grande em se manter instrumentos e maestros. Érik acrescentou que colocar as escolas não tem recurso para custear o desfile e organizar tudo não é tarefa fácil. Já Antônio do Lázaro comentou que a Prefeitura deveria contratar grandes shows, fazer a Festa do Peão como acontece em Campos Gerais, onde existe uma grande estrutura de um Parque de Exposições, o que não existe em Três Pontas. Sérgio Eugênio Silva (PPS), encerrou as discussões respondendo que o Centro de Eventos Wagner Tiso começou a ser construido na gestão do ex-prefeito Paulo Luis, mas a Administração seguinte perdeu recursos que seriam aplicados na continuidade das obras. Coelho opinou que não dá para gastar com shows se falta coisas básicas como medicamentos. O projeto foi aprovado por unanimidade.

COMPARTILHAR