A sessão desta segunda-feira (16), da Câmara Municipal de Três Pontas teve apenas um item em votação. Antes da pauta, no Pequeno Expediente os vereadores usaram a Tribuna.

O vereador Roberto Donizetti Cardoso (Robertinho – PP), classificou a atual Gestão como incompetente. Ele se referiu a uma resposta que recebeu sobre a licitação para a contratação de um mecânico. Lhe mandaram 11 DVD’s que detalha a compra de peças e não sobre o que ele havia oficiado. Para Robertinho, a Administração está gastando dinheiro atoa e mais uma vez deixa de responder ao que solicitou. O vereador voltou a falar sobre os Requerimentos dele, aprovados pelo Plenário que determinam o envio de respostas e recordou de novo do conserto da Van da Secretaria de Saúde que até hoje é para o vereador um grande mistério. Ele lembrou que não responde Requerimentos, pode gerar até cassação de mandato. “Quando a gente faz questionamentos não temos resposta. É assim em ofícios e até quando questionamos sobre algum projeto, como foi na proposta que havia de se repassar a responsabilidade do lixo para o SAAE, o projeto foi retirado da Câmara”, explicou. Robertinho informou que Três Pontas pagando R$138 mil por mês para Nepomuceno ficar com o lixo doméstico trespontano. A cidade colhe uma média de 40 toneladas por dia e não teve competência para resolver o problema do Aterro Sanitário, que está com sua capacidade máxima.

A secretária da Mesa Diretora Marlene Rosa Lima Oliveira (PDT), parabenizou a organização pelo sucesso da Trolada das Virtudes, realizada neste domingo (15). Falando sobre a destinação de lixo, a vereadora quer informações sobre o projeto de saneamento básico que foi feito por uma empresa.

O vereador Geraldo José Prado (Coelho – PSD) anunciou a aquisição de um novo caminhão para a coleta de lixo, feita com recursos próprios. Ele lamentou o furto do hidrômetro registrado nesta segunda-feira na antiga Policlínica. O imóvel está em fase final de reforma para a inauguração da nova sede da Secretaria de Saúde. Ele pediu empenho à Guarda Civil Municipal (GCM), que gera despesas para o Município. “ A gente está pagando os salários dos guardas municipais, mas estando tendo muitos furtos nas repartições públicas e providências precisam ser tomadas”, alertou.

“Não” à privatização dos Correios

O Governo Federal irá receber nos próximos dias, a Moção de Repúdio, aprovada pelos vereadores da Câmara Municipal de Três Pontas, à possível privatização dos Correios, de autoria do vereador Luis Carlos da Silva (Luisinho – PPS).

A mudança contraria a vontade popular, considerando tratar-se de uma empresa de maior respeitabilidade com mais de 354 anos de história e de bons serviços prestados à sociedade.

Alguns funcionários dos Correios de Três Pontas acompanharam a sessão. Os vereadores manifestaram preocupação com as iniciativas quanto a estas decisões que o governo pretende tomar em relação as empresas estatais. Começando pelo autor da Moção de Repúdio, Luisinho deixou claro que todos devem votar de acordo com a consciência, mas não concorda que todas as empresas sejam entregues à iniciativa privada. Quando ouviu a notícia no começo do ano, se espantou, classificou o ato como absurdo e acredita que não é assim que vai melhorar a situação dos Correios. Assim como a Reforma da Previdência, não vai resolver os problemas do Brasil, opinou Luisinho.

O vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB), disse que os Correios foram assaltados e levaram até o fundo de pensão dos servidores para financiar políticos e projetos de poder.

A vereadora Marlene Lima também apoia a não privatização, não vê esta necessidade e afirmou que esta luta é de todos nós.

O vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS) revelou que não tem conhecimento de qual é a proposta que o Governo tem em relação aos Correios. Por desconhecer, queria se abster e deixou claro que não é contra a estatal, muito menos de seus servidores que precisam ser valorizados, mas na prática acrescentou que não sabe o que repudiar. Como o Regimento Interno não permite abstenção, o que enxerga como falha e ele pretende saná-la dando esta possibilidade, Sérgio anunciou que teria que votar contrário. Por 9 votos a 1, a Moção de Repúdio foi aprovada pelo Plenário e será encaminhada ao Poder Executivo Federal, demonstrando a insatisfação da população trespontana, por intermédio dos vereadores.

Em março de 2017, a Câmara Municipal aprovou por unanimidade, uma Moção de Repúdio à Reforma da Previdência. A iniciativa foi do vereador Maycon Machado e que teve a adesão dos vereadores Luis Carlos e Marlene Lima.

A próxima sessão da Câmara Municipal será realizada na quinta-feira, dia 26, por causa do feriado municipal do Dia do Padre Victor.

Funcionários dos Correios de Três Pontas acompanharam a sessão de votação na Câmara
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here