A Câmara Municipal de Três Pontas aprovou na noite desta segunda-feira (02), dois projetos do Poder Executivo, um deles em caráter de urgência referente ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e o outro do recebimento de recursos do pré-sal, que vão ser aplicados em vários investimentos no Município.

A pauta de votações estava vazia e os itens foram inclusos, depois do pedido feito pelo vice presidente da Câmara Antônio Carlos de Lima (Antônio do Lázaro – PSD). O Plenário acatou o pedido e o presidente do Poder Legislativo vereador Maycon Douglas Vitor Machado (PDT), suspendeu a sessão por 10 minutos para que os itens fossem analisados pelos vereadores.

O que o Executivo pediu para que a Câmara votasse de forma urgente, é a correção no valor pago no adicional de sobreaviso aos servidores do Saae, para R$ 226. A solicitação no projeto é que o reajuste acontecesse sempre no dia 1º de fevereiro de cada ano, tendo como base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), ou outro que vier a substituí-lo. O valor aprovado em 2017, e que o funcionário da autarquia recebe atualmente é de R$200 e está defasado desde então. A proposta é o reajuste já seja pago a partir deste mês.

Sérgio fez uma emenda mudando a data e a forma de calcular o reajuste do valor do sobreaviso

Sérgio Eugênio Silva (Cidadania), não vê necessidade em votar com urgência, mas fez uma emenda que muda a forma do cálculo do índice, que seja o mesmo percentual aplicado nos vencimentos dos funcionários. A emenda foi aprovada com o voto contrário apenas de Luis Carlos da Silva (Cidadania) e o projeto por unanimidade.

O último trabalho da noite foi um montante significativo de recursos vindos do Governo Federal. A Câmara autorizou a inserção no Orçamento deste ano, de R$ 1.677.536,54, que é do rateio dos recursos do leilão do pré-sal, distribuídos com os municípios do Brasil.

A Administração vai utilizar o dinheiro em uma ampla reforma do Pronto Atendimento Municipal (PAM) além de diversas outras obras pela cidade, trazendo uma série de benfeitorias à população que utiliza dos espaços públicos. Porém, quais são estas outras obras não foram reveladas.

Melhorias na infraestrutura norteiam fala dos vereadores

No Pequeno Expediente o vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP) falou da situação das estradas que estão muito ruins, mas pediu que na Fazenda Esmeraldas tem um mata burro com as tabuletas de ferro quebradas e está perigoso trafegar pelo local. Na Praça dos Municípios, ele pediu que seja feito a limpeza de bueiros que estão entupidos e impedindo que a água seja escoada.

O vereador Geraldo José Prado (Coelho – PSD) divulgou que a Prefeitura irá fazer a melhoria nos postos de saúde das comunidades das Bananeiras, Esmeraldas Rancho Grande e Marli Marília. O recurso é de emenda parlamentar no valor de R$150 mil, que já está disponível no município a um tempo.

Sobre a situação das estradas e das ruas que precisam de operação tapa buracos e estão com mato, Coelho enfatiza que é preciso ter paciência por causa da chuva que não para e impede que a Secretaria de Obras trabalhe para resolver estes problemas. A Prefeitura, segundo o vereador tem dinheiro para fazer estas melhorias e serão contratadas 20 pessoas para reforçar a equipe.

Porém, Coelho alertou que as pessoas precisam fazer sua parte, se conscientizar e ajudar na limpeza da cidade, como por exemplo, não colocando lixo fora de hora na rua e muito menos jogando no córrego da Avenida Oswaldo Cruz, que chove e causa problemas de inundação.

O presidente da Câmara Maycon Machado entende que existem as dificuldades, entre elas a chuva, mas que neste período chuvoso a Administração deve fazer um planejamento e depois executá-lo. Não pode é deixar de fazer, pois são muitas demandas e as pessoas procuram sempre os vereadores. Ele também comentou sobre a luta dos professores que estão mobilizados em prol de seus direitos.

O vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB) defendeu a classe dos professores, mas antes não economizou palavras para criticar o governador de Minas Gerais Romeu Zema (Novo), quem classificou de politiqueiro, covarde e hipócrita.

Primeiro quando ele disse que daria o aumento para os servidores do Estado da segurança pública, mas não falou que Judiciário e Ministério Público estão por traz e colocou a culpa nas costas dos policiais.

Depois que a Polícia Militar, que Zema teria classificado como a mais respeitada do Brasil ameaçou parar e fazer greve, mas Érik sabe que a Corporação não faria isto, por ser honrada.

Com os profissionais da educação, pediu que ele cumpra a lei, pague o piso nacional aos professores e retire a categoria do sofrimento. Invista de fato o que determina a Constituição, tanto na educação como na saúde. Érik recriminou promessas politiqueiras que Zema fez durante a campanha, de não receber salários, de venda vender helicópteros do Governo, coisas que não se faz por ser inconstitucional e de necessidade estrutural do Estado.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here