Para alguns vereadores, recurso chega tardiamente, já que incidência da Dengue, Chikungunya e Zika já começou a diminuir

Foram três os projetos aprovados pelos vereadores, na sessão ordinária desta segunda-feira (27), na Câmara Municipal de Três Pontas. Antes da pauta de votações ser aberta, os parlamentares utilizaram a Tribuna para suas explanações no Pequeno Expediente.

O vice presidente Antônio Carlos de Lima (Antônio do Lázaro – PSD), comentou a entrega de três viaturas para a Polícia Militar nesta segunda-feira na sede da 151ª Companhia de PM, viabilizadas por intermédio do deputado federal Diego Andrade (PSD-MG) e o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG). Antônio também que esteve em Brasília no Ministério das Telecomunicações e que o Programa Internet Para Todos vai viabilizar internet de graça, em vários locais na zona urbana e zona rural. Terminou falando de outras indicações que Diego Andrade fará a favor do Município nos próximos meses.

Geraldo José Prado (Coelho – PSD) também agradeceu “seu” deputado e depois fez cobranças ao Poder Executivo. Começando pela Operação Tapa Buracos, que foi até o bairro Santana, mas que tapou os buracos em apenas duas vias e a equipe da Prefeitura foi embora, deixando a maioria do serviço que precisa ser feito para trás.

Outro pedido é para que seja cuidado o Parque Municipal Vale do Sol. O local onde até pouco tempo abrigou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente está abandonado e sendo depredado por vândalos.

Vereador Coelho cobrou melhorias no Parque Municipal Vale do Sol

O vereador Roberto Donizetti Cardoso (Podemos) solicitou a colocação de uma faixa elevada de pedestres na Rua José Garcia Filho, no bairro São Judas Tadeu. A via que liga vários bairros ao “Foguetinho” se transforma em pista de corrida. Robertinho que saber do Poder Executivo, se o projeto de sua autoria que está em vigência, que cobra o cartão de vacinas em dia para matricular crianças na rede pública está sendo exigido. A preocupação segundo ele, é que as crianças estejam com o cartão em dia, livres das doenças.

O vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS), fez cobranças, mas a população. Sobre a questão da limpeza de terrenos e locais públicos, Sérgio registra que os moradores não colaboram. “A Prefeitura limpa cedo, e a tarde, vários locais já estão sujos novamente”, relatou. Na opinião dele, é preciso divulgar os horários que a coleta de lixo está sendo feita em cada bairro.

Devolução de sobra, dinheiro para a Saúde e a Dengue

Na pauta de votações, todos os três projetos foram aprovados por unanimidade.Uma abertura de crédito adicional especial, no valor de R$ 47.620,00, que sobrou dos recursos enviados para a reforma do Centro Cultural Milton Nascimento. O dinheiro precisa ser devolvido ao Governo do Estado de Minas Gerais, permitindo assim que a Prefeitura finalize o convênio e encaminhe a prestação de contas da obra. Antes de aprovar, o vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB), apenas lembrou que a verba veio através de emenda parlamentar do deputado estadual Mário Henrique “Caixa” (PV).

Outra abertura de crédito de R$100 mil para que diante de um excesso de arrecadação, o valor possa ser utilizado no apoio a manutenção das Unidades de Saúde, como a aquisição de materiais de consumo.

O que mais gerou comentários no Plenário, foi a chegada de uma verba no valor de R$40 mil, que vem da Secretaria de Estado de Saúde como incentivo financeiro complementar aos municípios com alta incidência de Dengue, Chikungunya e Zika. Várias cidades estão recebendo o dinheiro, mas, na opinião dos vereadores chega muito tarde. Érik explicou que o montante só chegou por conta da quantidade de casos registrados de Dengue, assim como em vários municípios do Estado. Lembrou que para poder gastar a quantia é necessário respeitar uma lista enorme de regras, que talvez nem valha a pena, já que se for mal gasto, a Prefeitura possa deixar de receber outros.

Coelho também avaliou que demorou demais e a secretária da Mesa Diretora Marlene Rosa Lima Oliveira (PDT), diz que o dinheiro veio quando o mosquito foi embora. Ela aproveitou para dizer que não concorda que o Município tenha que contratar equipes para limpar o quintal das residências, que isto é obrigação de cada morador.

COMPARTILHAR