Rafinha, destaque do Flamengo pelo lado direito. (FOTO: Alexandre Vidal/Flamengo)

Por Loui Jordan

A 10ª rodada do Campeonato Brasileiro claramente teve um destaque, o Flamengo. A rodada que será encerrada nesta segunda-feira (15), teve o time rubro-negro fazendo um sonoro 6 a 1 no Goiás, o jogo foi às 11 horas deste domingo (14). Intensidade e qualidade ofensiva foram os destaques positivos. Certamente o rubro-negro já não vive de lampejos, a filosofia de jogo do seu treinador está sendo lapidada aos poucos.

O jogo

Os primeiros 15 minutos foram confusos. O Flamengo é um time que está sempre em busca de ter a posse da bola, quando a tem em seus pés, produz com velocidade. Isto posto, o Flamengo abriu o marcador muito cedo, isso porque as trocas de passes foram envolventes e claro, a movimentação dos jogadores foi intensa. Como a partida terminou 6 a 1, detalhar cada gol não é tão necessário, visto que alguns foram parecidos na questão de criação.

O primeiro tempo terminou 4 a 1, três gols do uruguaio camisa 14 do rubro-negro e um de Bruno Henrique. Vale pontuar que com cinco minutos a equipe de Jorge Jesus já havia criado três chances. O estreante Rafinha foi muito bem diga-se de passagem. Um ponto negativo foi o espaço na defesa, isso sempre vai acontecer, o time da Gávea joga com linhas extremamente adiantadas.

Na segunda etapa, o time da casa voltou querendo jogo. O Goiás faz um bom campeonato e tem seu valor, mas realmente foi amassado. Um defeito nítido no Goiás foi o fato de que em alguns gols, a equipe Esmeraldina deixou sua defesa exposta ou pelo menos, por mérito carioca. Gabigol marcou os últimos dois gols do embalado ataque flamenguista, todos com passes de Arrascaeta. Para fechar, o Flamengo precisará ajustar o espaço entre o meio de campo e a defesa, na fase defensiva. Tirando isso, o Flamengo teve uma performance antes jamais vista no ano de 2019

No que o Flamengo deve ficar atento?

O flamengo e Jorge Jesus estão de parabéns, demonstram juntos que o Flamengo pode ir além. Os pontos que o clube carioca deve se atentar, são os seguintes: contragolpes, transição na fase defensiva e obviamente, qualidade e ambição do adversário. Outros cuidados com a linha de defesa, sempre é o bom tomar, mas contra o Furacão pela Copa do Brasil, o time de Jesus foi muito bem, aliás treinam muito a linha de impedimento, afinal de contas é habitual os times treinados pelo português, jogarem em linha na fase defensiva.

Saindo dessa digressão, os contragolpes e transição defensiva são perigosos. O gol de Kayke foi falha de Rodrigo Caio, mas repare, não tinha mais ninguém próximo a ele, o Goiás também colocou bola na trave, falha de transição defensiva. O time ataca muito e expõe inevitável. Os laterais nem sempre chegarão a tempo, fora os volantes que participam do jogo de intensidade, é complicado. A respeito da qualidade e ambição dos adversários, o Flamengo pode fazer 6 a 1 em qualquer time, isso é possível, no entanto, muito mais difícil e complexo. A forma como o Goiás sofreu seus gols, chama a atenção. O Flamengo mereceu e tem muito mais qualidades a explorar e expandir, do que defeitos a ajustar, entretanto, o time com essa atuação passa a adquirir outro status. O técnico português deve manter seus jogadores concentrados e por fim, o time da Gávea é sim favorito na Copa Libertadores e na Copa do Brasil, mas lá enfrentará elencos e propostas com mais repertórios e melhores estratégias e será mais difícil, não impossível. Basta assistir agora como será a fase de rodízio no plantel, até mesmo porque, o Flamengo tem um “ótimo” elenco e muitas competições são desgastantes.

O trabalho de Jorge Jesus

Jorge Jesus se mostrou ativo nos treinos, seu time está cada vez melhor e evoluindo mais. O Flamengo finalizou 28 vezes, sendo 17 no alvo. O rubro-negro teve intensidade, volume, marcação alta e movimentação caótica, o treinador deve ficar atento as ideias do adversário. O triunfo diante do Goiás não pode ser esquecido, o problema do futebol é que cada jogo é um jogo e o Flamengo apareceu nessa rodada para assustar, mas pode acabar frustrado. Enfim, trabalhar é preciso, as metas podem ser ainda alcançadas, o Fla segue vivo em todas as competições que disputa, agora com mais prestígio, mas vale lembrar, quanto mais prestígio, mais atenção e responsabilidade, isso é trabalho para o treinador no dia a dia com seus jogadores.

COMPARTILHAR