Uma passeata realizada pelo centro de Três Pontas na manhã desta segunda-feira (18), lembrou o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. As comemorações realizadas em todo o Brasil, busca fortalecer a ideia de inclusão social das pessoas com transtornos mentais, sem a necessidade de privar a liberdade do paciente.

Coordenado pelo Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), a saída foi da Praça Cônego Victor e a caminhada seguiu até a Prefeitura, onde eles foram cumprimentados pelo prefeito Paulo Luis Rabello (PPS). Eles retornaram a Praça da Matriz, sem perder o ritmo e animação feita pela Banda da Apae, que se juntou ao movimento, engrossando a marcha que pede condições mais dignas para pacientes psiquiátricos.

unnamed

O CAPS de Três Pontas já trabalha com essa liberdade entre os pacientes. Hoje o Centro possui cerca de 10 mil prontuários e 25 pacientes intensivos que são atendidos voluntariamente. A equipe é composta de neurologista, enfermeiro, técnicos em enfermagem, cinco psicólogos, assistente social, terapeuta educacional, técnico em educação, psiquiatras, auxiliar de segurança, serviços gerais e auxiliar administrativo.

O Movimento da Luta Antimanicomial se caracteriza pela luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental. Dentro desta luta está o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, ideia baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental. O Movimento nos faz lembrar que, como todo cidadão, estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direto a receber cuidado e tratamento sem abrir mão de seu lugar de cidadãos.

02

(Com informações da Assessoria de Imprensa da PMTP)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here