Em um Corpus Christi diferente neste ano de 2020, em meio à pandemia, os católicos não puderam fazer as belas decorações de tapetes coloridos, confeccionados com tanta dedicação, por onde o Corpo de Cristo passa. As três paróquias de Três Pontas, celebraram missas solenes nas igrejas matriz e optaram por fazer carreatas, ao invés das tradicionais procissões, como medida preventiva ao novo Coronavírus.

Ao invés de decorarem as vias urbanas, as casas ganharam ornamentação para a passagem do Santíssimo Sacramento, desta vez em carreata. Altares bem produzidos, panos brancos ou coloridos em muros e sacadas, imagens da padroeira Nossa Senhora Aparecida ou apenas portas abertas para Jesus entrar. A criatividade mais uma vez chamou a atenção, mas foi no “cortejo automobilístico” e não mudou o sentimento das pessoas, aliás, a oportunidade de encontrar com o Corpo de Cristo que deixa a igreja apenas duas vezes por ano, mostrou que receber a eucaristia tem feito muita falta aos fiéis. É que as igrejas estão fechadas para as celebrações das missas e para rezar, é preciso acompanhar as transmissões feitas pelas redes sociais.

O Corpus Christi além de emocionante foi solidário. Junto as decorações, os moradores da cidade fizeram um gesto concreto, doaram alimentos, separados e em cestas básicas, que serão destinados às pastorais da Solidariedade que tem famílias carentes cadastradas e recebem ajuda o ano todo.

Na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, depois da missa presidida pela manhã, pelo paróco padre André Rodrigues Villa Boas percorreu em carro aberto durante duas horas um trajeto grande, nas principais ruas do território paroquial, debaixo de um sol forte, avançando a tarde. A carreata foi puxada por viaturas da Guarda Civil Municipal (GCM) e da Polícia Militar de Minas Gerais. Durante o percurso, muita emoção ao ver o Santíssimo, na porta de casa ou das sacadas dos prédios. Na porta de casa ou nas esquinas, moradores estendiam as mãos, acenavam em direção ao sacerdote com o Corpo de Cristo, se ajoelhavam em demonstração de fé e respeito e muita gente chorou de emoção.

No final da Rua Matogrosso (foto), no bairro Santa Margarida, os moradores formaram um corredor com bandeirinhas nas cores amarela e branca, saudando o Jesus Eucarístico. Na via não tinha tapete colorido, mas uma decoração simples, compensada pela passagem da carreata abençoada. A carreata foi transmitida ao vivo pela Equipe Positiva e quem não teve o privilégio de ver ela passar pertinho de casa, enviou pedidos de oração e manifestou o desejo de que esta pandemia passe logo e que todos fiquem bem. A postagem recebeu até as 14:30, mais de 200 compartilhamentos.

Em frente ao Carmelo São José, na Rua Amazonas, houve uma breve parada para abençoar as irmãs carmelitas do mosteiro, que sairam da clausura por alguns minutos até na faixada da igreja, onde estão os restos mortais da Serva de Deus Nossa Mãe e onde mora em anexo, o bispo Emérito da Diocese da Campanha, Dom Diamantino Prata de Carvalho (foto).

Pétalas de rosas em vários lugares e uma chuva de papel picado lançado de um prédio na Avenida Caio de Brito, perto do Presídio, alcançou o andor e várias famílias em veículos, que seguiram firmes fazendo bastante barulho com a buzina.

Ao retornar à Matriz Nossa Senhora D’Aparecida, padre André Rodrigues mencionou que o momento foi de graças e bençãos, onde os  paroquianos sentiram a presença de Jesus. Ele agradeceu a toda a equipe responsável pela organização da carreata de Corpus Christi e a população que demonstrou sua fé em Deus e a solidariedade às famílias carentes.

Na Matriz D’Ajuda, a carreata também foi no período da manhã e percorreu diversas ruas e avenidas. A ornamentação de um caminhão com coberturaonde estava o Santíssimo, chamou a atenção e dezenas de moradores também enfeitaram as suas casas e incluiram cestas básicas. Em frente ao Memorial Padre Victor, haviam dezenas de cestas que foram recolhidas pela paróquia.

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here