O trespontano Mateus Tiso fez uma participação especial no show de 14 Bis. FOTOS Denis Pereira/ Equipe Positiva

A segunda noite de apresentações do Festival Canto Aberto nesta quinta-feira (04), tinha reservado a etapa local, com as apresentações dos músicos trespontanos e o show mais esperado do evento, a Banda 14 Bis. Eles são tradicionais, mas se reinventam a cada apresentação.

A maior preocupação da organização era a chuva. O céu já dava sinais o dia todo que ela poderia cair e a previsão se confirmou. A Praça Cônego Victor estava novamente recebendo muita gente, inclusive gente da região. Com a expectativa de chuva, vendedores ambulantes foram preparados e venderam capas e muita gente já estava com guarda chuvas. E foi preciso utilizá-lo.

Barraca foi aberta na Praça e abriu muita gente durante o tempo que a chuva caia

Durante as apresentações dos artistas da cidade, ela caiu mansa. Foram 10 apresentações e cinco delas foram classificadas para a final, neste sábado (06). A relação só foi feita depois do show de 14 Bis. A Imagem da Fé  (de Matheus Rodrigues e Danilo Santos), Botequim (de Elis Theophilo), Guerreiras (de Valéria Pisauro / Lidyane Brito / Laíse Reis), Flores Virtuais (de Sérgio Ricardo de Melo Barboza/André Luís dos Santos Barbosa) e Viajante (Nathan Viana / Gilvandro Filho). Esta é a ordem de apresentações dos cantores da cidade.

Quando a apresentadora Débora Morato anunciou o show de 14 Bis, as 22:25 muita gente estava escondida embaixo das marquises da Matriz D’Ajuda, de prédio da Praça ou embaixo de guarda chuva. Alguém teve até a ideia de levar uma tenda, daquelas utilizadas em praia que ficou lotada. A cena chamou a atenção pela generosidade coletiva. Quando ela diminuiu, todo mundo voltou para em frente ao palco.

14 Bis começou já emplacando seu grande sucesso “Bola de Meia, Bola de Gude”, de seus parceiros, o saudoso Fernando Brant e Milton Nascimento, sempre citados por eles como grandes amigos pessoais e profissionais.

Vieram na sequência, “Velha Canção”, “Caçador de Mim”, “Nave de Prata, “Canção da América”. Se o público já estava eufórico, ficou ainda mais quando foi chamado o violinista Mateus Tiso, para tocar “Todo Azul do Mar”.

O tempo foi generoso, a chuva parou por bom tempo e foi possível curtir a apresentação como o trespontano que é apaixonado pela Música Popular Brasileira (MPB).

O show fez parte da turnê ‘ 14 Bis 35 anos’, que reúne os clássicos da carreira do grupo mineiro, assim como outros sucessos, da música nacional e internacional. Três Pontas faz parte desta trajetória caracteriza pela reinvenção e a ampliação de um público fiel. Tanto que Cláudio Venturini (guitarra e voz), Sérgio Magrão (baixo e voz), Vermelho (teclados e voz) e Hely Rodrigues (bateria) são cidadãos trespontanos por direito, entregue pela Câmara Municipal em 2016.

PROGRAMAÇÃO: Hoje, sexta-feira, a partir das 19:30 tem a etapa nacional com 15 apresentações e em seguida tem o show de “Os Improváveis” e a final do concurso da escultura.

COMPARTILHAR