Integrantes do grupo Cafeína, quando chegaram na Expominas, Em Belo Horizonte. Fotos: Denis Pereira/Equipe Positiva

 

A 7ª Semana Internacional do Café 2019 (SIC) terminou nesta sexta-feira (22), no Expominas, em Belo Horizonte (MG). Nesta sétima edição, a mensagem de políticos e autoridades foi uma só: o evento que começou na quarta-feira (20), está consolidado e é hoje um dos mais importantes do mundo do setor cafeeiro. Alcançou mais de 20 mil visitantes de mais de 40 países durante os três dias.

O presidente da Cocatrel Marco Valério, o governador de Minas Gerais Romeu Zema e o diretor comercial Luiz Antônio durante a SIC

A cerimônia de abertura contou com a presença do governador de Minas, Romeu Zema, que se referiu ao evento como “grandioso e belíssimo” e reiterou a importância do agronegócio para a economia brasileira. “Foi a única atividade que cresceu sistematicamente nos últimos 20 anos”, afirmou. Além de Zema, também participaram da cerimônia, o Ministro da Agricultura em exercício, Marcos Pontes; o Vice-Governador de Rondônia, Zé Jodan; a Secretária Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Ana Valentini; o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG) e do Sebrae-MG, Roberto Simões; o Diretor de Planejamento da Café Editora, Caio Alonso Fontes; o Presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), João Martins da Silva Júnior; o Presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato; o Presidente da Frente Parlamentar do Café, Emidinho Madeira; o Deputado Federal Zé Vítor; o Vice-Presidente do Sicoob, João Batista Bartoli de Noronha; o Diretor da Codemge, Dante de Matos; a Presidente da Aliança Internacional das Mulheres do Café, Cíntia Matos e o Vice-Presidente da Nestlé do Brasil, Gustavo Bastos.

Ana Luísa falou sobre a Cocatrel e a importância que a atual diretoria tem dado às produtoras de cafés especiais

O grande destaque deste ano, foi a participação feminina na SIC. Centenas de mulheres de todas as regiões produtoras de café do país e da América Latina, participaram de diversos eventos realizados exclusivamente à elas. Entre as participações, o grupo Cafeina, da Cocatrel. O grupo de produtoras rurais que integram o quadro de associados da cooperativa, deixaram Três Pontas, Santana da Vargem e Nepomuceno na manhãzinha desta sexta-feira (22), em comitiva e se encantaram com a delicadeza. Elas são ao todo, 150 cafeicultoras que estão produzindo cafés especiais. Ganharam tanta notoriedade que há cerca de um mês, já foi exportado um conteiner para a Alemanha e tem sido uma demanda de mercado. O Cocatrel Direct Trade tem identificado interesse dos compradores e dado super certo.

A jornalista Ana Luisa Leite, responsável pelas relações institucionais da cooperativa, participou de um debate no Fórum de Mulheres realizado pela Aliança Internacional das Mulheres do Café, sobre a comercialização do café feminino da perspectiva do comprador.

Na sua fala, destacou que além do empoderamento feminino, através de informação e capacitação, estas mulheres estão adquirindo conhecimento para tomar decisões e serem gestoras das suas propriedades rurais.

O presidente da Cocatrel Marco Valério Araújo Brito, ressaltou que a cooperativa tem o prazer de ter o maior número de cooperadas mulheres, no Brasil. Quando percebeu isso no dia a dia, nada mais natural que valorizar o carinho e a dedicação delas na lavoura. “Isto já ganhou repercussão mundial. Voltamos recentemente de uma feira na Coreia, onde levamos e vendemos o café Cafeína. É um orgulho especial à Cocatrel e até para mim em especial, enquanto presidente da cooperativa”, comemorou Marco Valério.

A Superintendente do Instituto da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais, Silvana Maria Novais Ferreira Ribeiro, mediou o painel e disse que a mulher é protagonista dentro da cafeicultura, na sua propriedade e fora dela, porém, muitas vezes não aparece. Quando elas se juntam, tem histórias parecidas e podem se inspirar para alcançar seus objetivos, sem perder a referência de família, mas trabalhando junto para ser protagonista, contribuindo e valorizando o que ela faz no dia a dia, em qualquer posição da cadeia.

A presidente da Aliança Internacional das Mulheres do Café (IWCA Brasil) Cintia de Matos Mesquita, a sociedade dizia que as mulheres dos cafés começaram a aparecer há uns 10 anos e não tinham visibilidade antes. Porém, desde quando foi colocado o primeiro pé de café no Brasil, a participação das mulheres é fundamental, porque o processo da cafeicultura é familiar. “O café é um produto familiar. As mulheres não estão se dividindo, estão realmente mostrando essa soma da família na cafeicultura”, reforçou Cintia Matos.

Ela aponta que a principal deficiência para a mulher se destacar ainda mais na produção de café e ficar ainda mais profissional, ainda é realmente acreditar na capacidade delas, de acessarem esse mercado e de se conectar. “É um processo que as pessoas, as organizações, as instituições públicas, tem que começar a acreditar nessa capacidade das mulheres para poder mostrar que elas estão realmente prontas e organizadas. A Semana Internacional do Café está mostrando a grande participação das mulheres. Além das brasileiras, tivemos mais 12 países junto com a IWCA Brasil”, concluiu a presidente.

Produtoras de Três Pontas na lista dos 100 melhores cafés do Brasil

Duas produtoras de cafés especiais de TP estão na lista dos 100 melhores cafés do Brasil

A 3 Corações promoveu em parceria com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) a 2ª edição do Concurso Florada Premiada, destinado exclusivamente a participação de produtoras rurais de todo o Brasil. A premiação é feita nas categorias Via Úmida (despolpado, cerejas descascadas, desmucilados) e Via Seca (naturais). Todos os 100 melhores lotes apresentados no concurso com nota mínima de 82 pontos receberam placa de reconhecimento. Entre elas estiveram duas produtoras de Três Pontas: Jaceline Silva Campos Basílio, da Fazenda Zaroca, e Maria D’Aparecida Vilela Brito, da Fazenda Potreiros e garantiram a venda para a 3 Corações. Dona Aparecida Vilela recebeu a placa e tirou fotos com um convidado muito especial do evento, o padre Fábio de Melo.

Foram inscritas mais de 600 amostras de 18 regiões produtoras do Brasil. Elas não estiveram entre as três campeãs, que levaram como prêmios R$ 25 mil, mais uma missão técnica de 07 dias à Costa Rica com direito a um acompanhante, R$ 15 mil e R$ 10 mil, respectivamente, mas estão felizes por integrarem a lista dos 100 melhores cafés do Brasil.

Dona Maria D’Aparecida Vilela Brito, da Fazenda Potreiros ao lado do padre Fábio de Melo

Cocatrel

A Semana Internacional do Café é um importante evento brasileiro voltado para a cafeicultura, que reúne produtores, torrefadores, importadores e consumidores do mundo todo, em torno do café. A Cocatrel, além de patrocinadora e expositora, participou ativamente de vários eventos, como a maratona de hackers que teve um case da cooperativa trabalhado pelos competidores.

E como sempre surpreendendo, a Cocatrel lançou no seu estande durante a SIC, os seus Gelatos, que são 12 sabores de sorvetes artesanais. Na feira foram apenas dois, mas na próxima semana, na Cafeteria, a linha completa estará disponível. Os visitantes do estande da cooperativa “trespontana”, degustaram o Mocaccino, que é café com chocolate, e o iogurte com Amarena, que é uma cereja italiana muito saborosa. Os dois fizeram sucesso no evento.

Dois novos Montrês estão sendo inseridos no mercado – Âmbar e Terracota, lançados durante o evento. “O Ambar tem notas de laranja e o Terracota com notas de açúcar mascado. São cafés bem diferenciados, tipo exportação, com esses aromas e notas bem características. Os visitantes gostaram muito e vendeu bastante durante os três dias”, revelou a coordenadora de Marketing Carolina Veloso da Cocatrel.

Uma super novidade e inovação disponível agora é o Box Cocatrel, é o café por assinatura. O cliente assina um plano trimestral ou o plano anual, e todos os meses recebem em sua casa os cafés especiais. São duas opções – o experiência, que é para quem gosta só de café especial, que vai receber 750 gramas e o conveniência recebe um quilo de café tradicional, 100% arábica. O custo é R$79 o plano anual e o trimestral, R$89, com frete já incluso.

Para o diretor técnico industrial Francisco de Paula Vitor Miranda, a SIC tem uma importância institucional muito grande para a Cocatrel. Entre os visitantes há vários compradores de países do mundo inteiro, que conhecem a cooperativa e o tamanho do seu mercado e a quantidade de produtores, de vários municípios, de produtores e de tipos de cafés especiais que são recebidos em seus armazens.

E 2019 foi mais um ano de recorde. Foram recebidas 1,3 milhão sacas de cafés recebidas até agora, que é um recorde em ano de ciclo baixo e um recebimento até maior do que muitos anos de ciclo de alta. O ano para a Cocatrel foi desafiador. Houve a participação em muitas feiras internacionais, cresceu o volume de exportação, aumentou o volume de venda de insumos, calculado em R$160 milhões; aumentou os barter’s, novas opções para as compras foram oferecidas aos cooperados, com mais crédito disponível. Foi inaugurado nova filial em Guapé, loja no Córrego do Ouro e agora vai abrir uma nova filial em Varginha. Com a entrada constante de novos sócios, a Cocatrel chega a marca de 6 mil cooperados e o ano foi bastante positivo, avalia o diretor Francisco Miranda.

O presidente da Cocatrel Marco Valério termina fazendo um balanço positivo da participação na SIC, feira diferenciada que acompanha outras que existem no mundo, mas com a participação do produtor. “A Cocatrel não pode ficar de fora e foi a primeira cooperativa a participar. Temos um carinho especial por estarmos aqui desde o início, quando o evento não era tão grande. Por isto, montamos um estande bonito e grande que serve como uma casa de confraternização, para nossos cooperados, parceiros e compradores”, conclui o presidente.

Sobre a Semana Internacional do Café – Realizada desde 2013 em Belo Horizonte, a Semana Internacional do Café (SIC) tem como foco o desenvolvimento do mercado brasileiro e a divulgação da qualidade dos cafés nacionais para o consumidor interno e países compradores, além de potencializar o resultado econômico e social do setor.

É uma iniciativa do Sistema FAEMG, Café Editora, Sebrae, Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) e da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge).

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here