Integrantes do grupo Cafeína, quando chegaram na Expominas, Em Belo Horizonte. Fotos: Denis Pereira/Equipe Positiva

 

A 7ª Semana Internacional do Café 2019 (SIC) terminou nesta sexta-feira (22), no Expominas, em Belo Horizonte (MG). Nesta sétima edição, a mensagem de políticos e autoridades foi uma só: o evento que começou na quarta-feira (20), está consolidado e é hoje um dos mais importantes do mundo do setor cafeeiro. Foram 23 mil visitantes nos três dias, que são mais de 40 países, 220 expositores (25% a mais que 2018) e foram servidas 80 mil xícaras de cafés.

O presidente da Cocatrel Marco Valério, o governador de Minas Gerais Romeu Zema e o diretor comercial Luiz Antônio durante a SIC

A cerimônia de abertura contou com a presença do governador de Minas, Romeu Zema, que se referiu ao evento como “grandioso e belíssimo” e reiterou a importância do agronegócio para a economia brasileira. “Foi a única atividade que cresceu sistematicamente nos últimos 20 anos”, afirmou. Além de Zema, também participaram da cerimônia, o Ministro da Agricultura em exercício, Marcos Pontes; o Vice-Governador de Rondônia, Zé Jodan; a Secretária Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Ana Valentini; o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG) e do Sebrae-MG, Roberto Simões; o Diretor de Planejamento da Café Editora, Caio Alonso Fontes; o Presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), João Martins da Silva Júnior; o Presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato; o Presidente da Frente Parlamentar do Café, Emidinho Madeira; o Deputado Federal Zé Vítor; o Vice-Presidente do Sicoob, João Batista Bartoli de Noronha; o Diretor da Codemge, Dante de Matos; a Presidente da Aliança Internacional das Mulheres do Café, Cíntia Matos e o Vice-Presidente da Nestlé do Brasil, Gustavo Bastos.

Ana Luísa falou sobre a Cocatrel e a importância que a atual diretoria tem dado às produtoras de cafés

O grande destaque deste ano, foi a participação feminina na SIC. Centenas de mulheres de todas as regiões produtoras de café do país e da América Latina, participaram de diversos eventos realizados exclusivamente à elas. Entre as participações, o grupo Cafeina, da Cocatrel. O grupo de produtoras rurais que integram o quadro de associados da cooperativa, deixaram Três Pontas, Santana da Vargem e Nepomuceno na manhãzinha desta sexta-feira (22) em comitiva, e se encantaram com os mimos que receberam. Elas são ao todo, 150 cafeicultoras que estão trabalhando para produzirem cafés especiais. Ganharam tanta notoriedade, que há cerca de um mês, já foi exportado um conteiner para a Alemanha e tem sido uma demanda de mercado. O Cocatrel Direct Trade tem identificado interesse dos compradores e dado super certo.

A jornalista Ana Luisa Leite, responsável pelas relações institucionais da cooperativa, participou de um debate no Fórum de Mulheres realizado pela Aliança Internacional das Mulheres do Café, sobre a comercialização do café feminino da perspectiva do comprador.

Na sua fala, destacou que além do empoderamento feminino, através de informação e capacitação, estas mulheres estão adquirindo conhecimento para tomar decisões e serem gestoras das suas propriedades rurais.

O presidente da Cocatrel Marco Valério Araújo Brito, ressaltou que a cooperativa tem o prazer de ser a cooperativa no Brasil com o maior número de cooperadas. Quando percebeu isso no dia a dia, nada mais natural que valorizar o carinho e a dedicação delas na lavoura. “Isto já ganhou repercussão mundial. Voltamos recentemente de uma feira na Coreia, onde levamos e vendemos o café Cafeína. É um orgulho especial à Cocatrel e até para mim em especial, enquanto presidente da cooperativa”, comemorou Marco Valério.

A Superintendente do Instituto da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais, Silvana Maria Novais Ferreira Ribeiro, mediou o painel e disse que a mulher é protagonista dentro da cafeicultura, na sua propriedade e fora dela, porém, muitas vezes não aparece. Quando elas se juntam, tem histórias parecidas e podem se inspirar para alcançar seus objetivos, sem perder a referência de família, mas trabalhando junto para ser protagonista, contribuindo e valorizando o que ela faz no dia a dia, em qualquer posição da cadeia.

A presidente da Aliança Internacional das Mulheres do Café (IWCA Brasil) Cintia de Matos Mesquita, a sociedade dizia que as mulheres dos cafés começaram a aparecer há uns 10 anos e não tinham visibilidade antes. Porém, desde quando foi colocado o primeiro pé de café no Brasil, a participação das mulheres é fundamental, porque o processo da cafeicultura é familiar. “O café é um produto familiar. As mulheres não estão se dividindo, estão realmente mostrando essa soma da família na cafeicultura”, reforçou Cintia Matos.

Ela aponta que a principal deficiência para a mulher se destacar ainda mais na produção de café e ficar ainda mais profissional, ainda é realmente acreditar na capacidade delas, de acessarem esse mercado e de se conectar. “É um processo que as pessoas, as organizações, as instituições públicas, tem que começar a acreditar nessa capacidade das mulheres para poder mostrar que elas estão realmente prontas e organizadas. A SIC está mostrando a grande participação das mulheres. Além das brasileiras, tivemos mais 12 países junto com a IWCA Brasil”, concluiu a presidente.

Produtoras de Três Pontas na lista dos 100 melhores cafés do Brasil

Duas produtoras de cafés especiais de TP estão na lista dos 100 melhores cafés do Brasil

A 3 Corações promoveu em parceria com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) a 2ª edição do Concurso Florada Premiada, destinado exclusivamente a participação de produtoras rurais de todo o Brasil. A premiação é feita nas categorias Via Úmida (despolpado, cerejas descascadas, desmucilados) e Via Seca (naturais). Todos os 100 melhores lotes apresentados no concurso com nota mínima de 82 pontos receberam placa de reconhecimento. Entre elas estiveram duas produtoras de Três Pontas: Jaceline Silva Campos Basílio, da Fazenda Zaroca, e Maria D’ Aparecida Vilela Brito, da Fazenda Potreiros e garantiram a venda para a 3 Corações. Dona Aparecida Vilela recebeu a placa e tirou fotos com um convidado muito especial do evento, o padre Fábio de Melo.

Foram inscritas mais de 600 amostras de 18 regiões produtoras do Brasil. As trespontanas não estiveram entre as três campeãs, que levaram como prêmios R$ 25 mil, mais uma missão técnica de 07 dias à Costa Rica com direito a um acompanhante, R$ 15 mil e R$ 10 mil, respectivamente, mas estão felizes por integrarem a lista dos 100 melhores cafés do Brasil.

Dona Maria D’Aparecida Vilela Brito, da Fazenda Potreiros ao lado do padre Fábio de Melo

Cocatrel

A Semana Internacional do Café é um importante evento brasileiro voltado para a cafeicultura, que reúne produtores, torrefadores, importadores e consumidores do mundo todo, em torno do café. A Cocatrel, além de patrocinadora e expositora, participou ativamente de vários eventos, como a maratona de hackers que teve um case da cooperativa trabalhado pelos competidores.

E como sempre surpreendendo, a Cocatrel lançou no seu estande durante a SIC, os seus Gelatos, que são 12 sabores de sorvetes artesanais. Na feira foram apenas dois, mas na próxima semana, na Cafeteria, a linha completa estará disponível. Os visitantes do estande da cooperativa “trespontana”, degustaram o Mocaccino, que é o café com chocolate e o iogurte com Amarena, que é uma cereja italiana muito saborosa. Os dois fizeram sucesso no evento.

Dois novos Montrês estão sendo inseridos no mercado – Âmbar e Terracota, lançados durante o evento. “O Ambar tem notas de laranja e o Terracota com notas de açúcar mascado. São cafés bem diferenciados, tipo exportação, com esses aromas e notas bem características. Os visitantes gostaram muito e vendeu bastante durante os três dias”, revelou a coordenadora de Marketing Carolina Veloso da Cocatrel.

Uma super novidade e inovação disponível agora é o Box Cocatrel, é o café por assinatura. O cliente assina um plano trimestral ou anual, e todos os meses recebem em sua casa os cafés especiais. São duas opções – o experiência, que é para quem gosta só de café especial, que vai receber 750 gramas e o conveniência recebe um quilo de café tradicional, 100% arábica. O custo é R$79 o plano anual e o trimestral, R$89, com frete já incluso.

Para o diretor técnico industrial Francisco de Paula Vitor Miranda, a SIC tem uma importância institucional muito grande para a Cocatrel. Entre os visitantes há vários compradores de países do mundo inteiro, que conhecem a cooperativa e o tamanho do seu mercado e a quantidade de produtores, de vários municípios, de produtores e de tipos de cafés especiais que são recebidos em seus armazens.

E 2019 foi mais um ano de recorde. Foram recebidas 1,3 milhão sacas de cafés recebidas até agora, que é um recorde em ano de ciclo baixo e um recebimento até maior do que muitos anos de ciclo de alta. O ano para a Cocatrel foi desafiador. Houve a participação em muitas feiras internacionais, cresceu o volume de exportação, aumentou o volume de venda de insumos, calculado em R$160 milhões; aumentou os barter’s, novas opções para as compras foram oferecidas aos cooperados, com mais crédito disponível. Foi inaugurado nova filial em Guapé, loja no Córrego do Ouro e agora vai abrir uma nova filial em Varginha. Com a entrada constante de novos sócios, a Cocatrel chega a marca de 6 mil cooperados e o ano foi bastante positivo, avalia o diretor Francisco Miranda.

O presidente da Cocatrel Marco Valério termina fazendo um balanço positivo da participação na SIC, feira diferenciada que acompanha outras que existem no mundo, mas com a participação do produtor. “A Cocatrel não pode ficar de fora e foi a primeira cooperativa a participar. Temos um carinho especial por estarmos aqui desde o início, quando o evento não era tão grande. Por isto, montamos um estande bonito e grande que serve como uma casa de confraternização, para nossos cooperados, parceiros e compradores”, conclui o presidente.

Sobre a Semana Internacional do Café – Realizada desde 2013 em Belo Horizonte, a Semana Internacional do Café (SIC) tem como foco o desenvolvimento do mercado brasileiro e a divulgação da qualidade dos cafés nacionais para o consumidor interno e países compradores, além de potencializar o resultado econômico e social do setor. Reuni toda a cadeia produtiva do setor cafeeiro nacional e internacional: produtores, torrefadores, classificadores, exportadores, compradores, fornecedores, empresários, baristas, proprietários de cafeterias e apreciadores. Contou com cerca de 40 eventos, entre seminários, workshops, competições profissionais, cursos, sessões de cuppping (provas de café), entre outros.

É uma iniciativa do Sistema FAEMG, Café Editora, Sebrae, Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) e da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge).

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here