Doze amostras foram premiadas, entre mais de 35 mil analisadas pelo departamento de cafés especiais da cooperativa. Cocatrel irá lancá-los no mercado e produtor pode faturar mais com a venda

A Pousada Travessia, que fica na praça de mesmo nome, localizada bem no Centro, foi mais um ano, o ponto de encontro da Cooperativa de Cafeicultores da Zona de Três Pontas, a Cocatrel. Diretores, cooperados e funcionários participaram na tarde desta terça-feira (29), da cerimônia de entrega do prêmio melhores cafés, depositados na cooperativa na safra 2019/2020. A confraternização e homenagens foram abertas pelos atuais diretores, o presidente da Cocatrel, Marco Valério Araújo Brito, o diretor comercial, Luiz Antônio Vinhas Oliveira e o diretor técnico industrial, Francisco de Paula Vitor Miranda.

Marco Valério abriu a solenidade agradecendo, os cooperados, os membros dos conselhos e colaboradores e diz estar muito feliz em receber estes convidados, todos alinhados no propósito de fazer a Cocatrel crescer. Aos premiados todo o reconhecimento, porque dentre mais de 35 mil amostras, serem escolhidos entre as 12, é resultado de muito esforço, dedicação, trabalho e principalmente amor. Ainda mais que 2019, foi um ano difícil, de preços baixos para o café e atípico em relação à qualidade. Mesmo assim, teve cafés com pontuação excelente, com perfis sensoriais extraordinários que conseguiram se destacar dos outros lotes. “São nesses momentos que a cooperativa precisa atuar, prestando serviços eficientes e encontrando alternativas para remunerar melhor os cooperados. Os números mostram a confiança depositada pelos cooperados, na cooperativa, com a chegada de novos e o retorno de outros, o que resultaram em um ano bastante positivo para a Cocatrel”, afirmou o presidente.

Antes da entrega, o cerimonial mostrou como é feito o trabalho. A Cocatrel possui um setor exclusivo para a exportação de cafés finos e especiais, o Cocatrel Direct Trade, que tem trabalhado muito na identificação, orientação e promoção desses cafés mundo afora. A exportação tem tido resultados bastante significativos. O coordenador do setor, Gabriel Miari, para traçou um panorama da atuação da cooperativa nesse mercado e o que vem sendo realizado por eles nos últimos anos. Antes, reforçou que se a qualidade da foi comprometida em algum momento, quando houveram mais que duas ou três floradas em momento diferentes, momentos diferentes de maturação no mesmo ramo, foi problema com o clima, que dificultaram o trabalho do laboratório, que analisa e faz a seleção dos cafés para a exportação.

Os cooperados conheceram que o maior preço pago ao produtor está crescendo. Começou com R$739, saltou ano passado para R$888 e agora R$1.733 (valor líquido, livre de armazenamento e impostos). É fruto de um trabalho no mercado japonês, que é um dos melhores compradores de cafés finos e que agora está melhorando o preço. A Cocatrel está expandindo o mercado e atuando em novos países, como Canadá, Bélgica, Saudi Arábia, Emirados, China, Coréia do Sul, África do Sul e Austrália. O volume de café exportado na próxima safra deve ser de 30 a 40 mil sacas. E olha que Três Pontas ainda não é conhecida como produtora de cafés especiais.

Novidades na premiação e promoção dos melhores cafés

O evento “Melhores Cafés” não é um concurso e sim uma maneira de premiar os produtores que preza e investe na qualidade dos seus cafés, que são verdadeiramente os 12 melhores, das mais de 1,3 milhão de sacas depositadas nesta safra, nos armazéns da Cocatrel.  A coordenadora de marketing Carolina Veloso e a responsável pelas relações institucionais da Cocatrel  Ana Luisa Leite, mostraram grandes transformações que estão ocorrendo.

Os lotes de cafés especiais dos 12 produtores premiados foram trabalhados e ofertados ao mercado, pela equipe do Cocatrel Direct Trade (CDT) ao longo dos últimos meses. Alguns já foram vendidos e os produtores já receberam por eles e outros ainda não, mas todos estão nas mãos de grandes empresas importadoras.

Cada caixinha dos melhores cafés, possuem um QR Code que, quando lido, levará para uma página que conta a história do produtor e toda a rastreabilidade daquele café. Nesta mesma página o consumidor poderá dar nota ao café, fazer comentários e ainda gratificar o produtor. No botão, valorize o produtor, o consumidor poderá doar uma quantia em dinheiro que irá diretamente para a conta do cafeicultor, mostrando a sua satisfação com aquele café e valorizando a ponta inicial da cadeia cafeeira.  O sistema é uma inovação da Cocatrel, que sai na frente ao encontrar alternativas para valorizar o cooperado.

A Cocatrel promoverá durante seis meses, de novembro deste ano, a abril de 2020, cada um dos 12 produtores, sendo dois por mês. Haverá mensalmente eventos de lançamentos dos cafés na Cafeteria Cocatrel, com a promoção da história daqueles que venceram este prêmio, nos veículos de comunicação e redes sociais da cooperativa.

Além da promoção e da venda dos melhores cafés na loja on-line da Cocatrel e da Cafeteria, é importante que cada produtor, faça o marketing do seu café, pois cada caixinha vendida, R$10 vai direto no seu bolso.

Os vencedores do prêmio foram anunciados e uma pequena biografia foi lida ao ser apresentado. O troféu e um diploma foram entregues pelo superintendente da Cocatrel, Manoel Rabelo Piedade. Os familiares que os acompanhavam ficaram satisfeitos e os aplaudiram muito quando eram chamados ao palco.

O superintendente da Cocatrel Manoel Piedade, o diretor técnico industrial, Francisco Miranda o presidente Marco Valério e o diretor comercial, Luiz Antônio

Veja os produtores vencedores do prêmio “Melhores Cafés 2019” 

Afonso Pinto- Fazenda Olhos d’Água – Nepomuceno – MG
Variedade: Catuaí Vermelho
Altitude: 980m
Características: doce e frutado, com notas de uva passa e melaço de cana.

Agostinho de Fátima Marcelino – Fazenda Curralinho- Três Pontas – MG
Variedade: Mundo Novo
Altitude: 970m
Características: doce e frutado, com notas de frutas amarelas e limão, lembrando também cana de açúcar.

Carlos Henrique Teodoro- Fazenda Serrano – Ilicínea – MG
Variedade: Paraíso MG2
Altitude: 1045m
Características: doce e frutado, com notas de frutas maduras, como pêssego em calda.

Denilson Antônio Costa- Fazenda Furnas- Ilicínea – MG
Variedade: Arara
Altitude: 1100m
Características: bastante doce, com notas de frutas maduras, remetendo a goiabada.

Eduardo Henrique Barbosa- Fazenda Serra Nova- Ilicínea – MG
Variedade: Topázio
Altitude: 1250m
Características: doce e frutado, com notas de melaço de cana.

Fábio Araújo Reis- Fazenda do Salto- Carmo da Cachoeira – MG
Variedade: Bourbon Amarelo
Altitude: 1230m
Características: frutado licoroso, que remete à uva e vinho.

Francis Figueiredo Oliveira – Fazenda Santa Margarida – Três Pontas- MG
Variedade: Mundo Novo
Altitude: 900m
Características: doce, floral e frutado, com notas de melaço de cana.

Gilberto Augusto Basílio – Fazenda Zaroca – Três Pontas- MG
Variedade: Bourbon Amarelo
Altitude: 1180m
Características: Notas bem marcantes de frutas vermelhas e uva.

João Paulo França- Sítio Danta – Ilicínea- MG
Variedade: Mundo Novo
Altitude: 1250m
Características: bastante doce, com notas de morango.

José Carlos dos Reis – Fazendinha Nossa Sra. Aparecida – Três Pontas – MG
Variedade: Acaiá
Altitude: 970m
Características: notas bem marcantes de frutas vermelhas e vinho, lembrando também fumo de rolo. 

Lucas Natanael Moreira – Fazenda Estreito – Ilicínea – MG
Variedade: Arara
Altitude: 1160m
Características: doce e frutado, com notas de limão.

Pedro Luiz Damasceno – Sítio Três Irmãos – Ilicínea – MG
Variedade: Mundo Novo
Altitude: 1000m
Características: notas bem marcantes de frutas cítricas e um pouco amadeirado.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here