FOTOS: HÉCIO RAFAEL

 

*Cooperativa precisou unificar setor de logística, o que possibilita receber café mesmo onde não existe armazém

A Cocatrel possui três modalidades de recebimento de cafés. A primeira e a mais utilizada é a granel, a segunda é em bag’s, e por último e a mais antiga é em sacarias. A grande vantagem da cooperativa é receber em vários pontos, não apenas onde estão instalados os armazéns, em Três Pontas, Carmo da Cachoeira e Nepomuceno como acontecia antes.
Houve um grande investimento em funcionários, tecnologia, equipamentos e maquinários para a expansão no atendimento ao cooperado. Atualmente são nove pontos de recebimento de cafés, mesmo que não haja armazém, o produtor pode entregar em Santana da Vargem, Coqueiral, Ilicínea, Santo Antônio do Amparo, Varginha e no Distrito
de Córrego do Ouro. Agora é possível que o produtor não deixe mais café estocado em sua propriedade. Ele pode entregar a quantidade que quiser, na hora que quiser, da forma que desejar em um armazém ou ponto de coleta. O produtor não enfrenta filas e não precisa deixar o caminhão por cinco ou seis horas parado na porta do armazém. Para descarregar são 30 minutos, independente da quantidade. Esta agilidade no recebimento, faz com que
o cooperado possa entregar quantas vezes for preciso.

Existem propriedades que fazem hoje seis entregas por dias, o que era impossível acontece a um tempo atrás. Em Santana da Vargem, por exemplo, onde existem muitos
micro produtores, eles não precisam mais armazenar na tuia uma quantidade maior para fretar um caminhão. Diariamente ou semanalmente ele pode pegar seu trator, caminhonete e entregar. Isto gera economia, segurança e agilidade, o que nos tempos de hoje faz toda a diferença.

Em Santana da Vargem, Coqueiral, Ilicínea, Santo Antônio do Amparo e no Distrito do Córrego do Ouro em Campos Gerais, são pontos de recebimento criados para melhorar a
logística para o cooperado. Os cafés entregues nestas localidades são transferidos para o Armazém Matriz, onde ficam armazenados durante a safra. Em Varginha, na
Alcon, há um complexo de silos e armazenagem em parceria com a Minasul, que tem disponibilidade para 300 mil sacas a granel.

O diretor comercial Luiz Antônio Vinhas OIiveira, o diretor técnico industrial Francisco de Paula Vitor Miranda, o presidente Marco Valério Araújo Brito, o gerente dos armazéns da Cocatrel Guilherme Pinelli Côrrea e o responsável pelo setor de logística da Cocatrel Daniel Gregório de Souza

Nas cidades de Ilicínea e Santo Antonio do Amparo já é uma outra visão, de ampliação da atuação da Cocatrel. Ela está abrindo mercado. Em Ilicínea o volume de café este
ano já dobrou. Em Santo Antônio do Amparo já superou a expectativa e espera-se que para o ano que vem, já será preciso alugar um galpão.

A Cocatrel tem somente em Três Pontas, 20 mil metros quadrados para armazenagem e uma capacidade estática de armazenamento de um 1,6 milhão de sacas, podendo
chegar a quase 2 milhões no rotativo. E demanda não falta. De acordo com o gerente dos
armazéns da Cocatrel Guilherme Pinelli Côrrea, a cooperativa vem batendo recordes este ano. Nesta semana deve ultrapassar de 1 milhão de sacas recebidas. É uma média de 26 a 27 mil sacas por dia e 120 mil por semana. A cerca de dois a três anos, o pico durante um mês era de 111 mil. “Geralmente a gente recebia entre 95 e 98 mil sacas em duas ou três semanas e o volume já diminuía em seguida. Este ano já é a terceira semana que atingimos 120 mil sacas recebidas. É uma evolução muito grande que vem se mantendo”, detalha Guilherme.

Os armazéns em Três Pontas, Carmo da Cachoeira e Nepomuceno funcionam de segunda a sexta-feira das 7:00 da manhã as 21:00 horas e aos sábados de 7:00 as 11:00 horas. Este horário possibilita que os produtores que tem apenas um caminhão e poucos funcionários, termine a colheita do dia com tranqüilidade e depois entregue o grão na cooperativa.

Como entregar o café

O cooperado da Cocatrel não precisa informar se vai entregar café. É necessário apenas emitir a nota fiscal com os dados completos. Isto é possível fazer pela internet, sem
sair de casa ou da propriedade. A orientação de Guilherme é que os produtores precisam que os dados sejam todos preenchidos corretamente, até mesmo pela questão do
seguro. A partir do momento que a nota fiscal é emitida, o produto já está segurado, mesmo que esteja ainda na fazenda, por isto, a necessidade de ter atenção no
preenchimento. Além do nome do associado, são obrigatórios o nome da fazenda, o modelo e a placa do veículo. Caso, por exemplo, a placa do caminhão que está
transportando estiver errada e houver algum acidente ou roubo, a seguradora pode não pagar e o produtor ter que arcar com o prejuízo.

Cocatrel unifica logística e traz eficiência e redução de custos 

Para receber café em todos estes locais, a Cocatrel trabalha com um novo modelo de gestão, organizou toda sua frota de caminhões e carretas em um único departamento, que está sendo chamado de Cocatrel Logística (C-Log). O setor de logística já existia, mas era setorial, estava pulverizado, em vários departamentos e cada um fazia seu planejamento. Agora, segundo o responsável pelo setor de logística da Cocatrel Daniel Gregório de Souza, armazéns, lojas e laticínios estão todos centralizados. Toda a frota fica em um só lugar. Não existem mais veículos fazendo viagens sem cargas e motoristas ociosos. Uma gestão
correta, melhora, otimiza o transporte e diminui os custos. “A gente manda materiais e produtos que uma loja precisa e traz café que recebeu nos pontos de coletas. No final da
safra isto gera uma economia bastante expressiva”, ressaltou Daniel Gregório. Novos investimentos aproxima e atraem cooperados

Investir no setor de logística, vai além da otimização rapidez e diminuição dos custos de serviços, mas aproxima o pequeno produtor da Cocatrel e atrai novos cooperados. De acordo com o diretor técnico industrial Francisco de Paula Vitor Miranda, as ações tem chamado tanto a atenção, que em um mês a cooperativa chegou a ter 75 novos cooperados.

COMPARTILHAR

Comentários