Diretor Presidente da Cocatrel Marco Valério Araújo Brito

 

O presidente da Cocatrel Marco Valério Araújo Brito reuniu a imprensa na sala de reunião da cooperativa para um bate papo, bastante informal, e seguindo o distanciamento entre as cadeiras, indicados neste tempo de pandemia do Coronavírus. De frente a uma xícara com uma boa dose de café, Marco Valério mostrou-se satisfeito e animado com o resultado apresentado pela cooperativa ao longo do ano de 2019.   Agora é hora de prestar contas, em uma Assembleia Geral Ordinária, que será realizada na próxima semana. Parece que se tornou comum falar dos excelentes resultados e crescimento dos últimos anos, mas é que a Cocatrel tem focado suas ações com base na transparência e proximidade com o cooperado, sem deixar de lado a segurança dos seus negócios e a saúde financeira da cooperativa.

Os planos da Cocatrel para 2020 também foram apresentados por Marco Valério aos jornalistas, que incluem novidades para a safra, expansão, disseminação do cooperativismo, tudo pautado pela responsabilidade de seus gestores para manter todos os setores da Cocatrel funcionando, com eficiência para o cooperado.

Assembleia votará a distribuição das sobras

A Assembleia Geral Ordinária foi marcada para a próxima terça-feira, 19 de maio, na sua sede na Rua Bento de Brito, no Centro, onde será apresentado o melhor resultado da história da cooperativa. Um faturamento recorde em 2019, de quase R$1 bilhão, exatos R$988.567.388. Para aqueles que são adeptos ao futebol, Marco Valério exemplifica, para demonstrar o tamanho deste número, que o faturamento dos três times mineiros juntos – Atlético, Cruzeiro e América, não chega ao da Cocatrel, tamanha a pujança da cooperativa. O crescimento foi de 22,56% em relação ao ano de 2018. Em 2019 foram comercializadas 1.730.000 milhão de sacas de café e obteve-se como sobra mais de R$16 milhões. O Conselho de Administração irá propor que 50% deste valor, mais de R$8 milhões sejam distribuídos aos cooperados e a decisão será tomada por votação. A partilha proporcionada será de acordo com o movimento de cada um, na comercialização de café, cereais e laticínios. “O cooperado que entregou mais, foi mais fiel e gerou mais receitas e faturamento à cooperativa, reciprocamente terá uma sobra maior”, esclarece o presidente.

O ano de 2019 trouxe resultados interessantes, como o recorde de recebimento em anos de bienalidade baixa. O excelente resultado da cooperativa deve-se, principalmente, à expansão, com aumento da eficiência, além do crescimento da receita em relação às exportações, prestação de serviços como análises de solo e folhas, cafeteria, oficina mecânica, comercialização nas lojas e o sucesso das feiras.  Novos cooperados estão sempre chegando e cooperados que não mais movimentavam com a Cocatrel ou movimentavam parcialmente, estão retornando. Na visão de Marco Valério, tudo isto influência os resultados, mas não se pode deixar de abordar a importância do trabalho dos colaboradores, que sempre são muito dedicados e fazem um belo trabalho na linha de frente da Cocatrel.

A Assembleia deveria ter acontecido em 31 de março mas foi adiada pela questão da pandemia. Portanto, ela será realizada na próxima semana, presencialmente, respeitando todas as recomendações e decretos federais, estaduais e municipais. Para que haja participação dos cooperados, a assembleia será transmitida ao vivo, pela internet, possibilitando que eles se manifestem sobre os assuntos da pauta.

“O excelente resultado da cooperativa deve-se, principalmente, à expansão, com aumento da eficiência, além do crescimento da receita” …

Tudo preparado para a safra de café

É uma grande responsabilidade da cooperativa que os produtores continuem sendo atendidos e que o café continue sendo depositado nos seus armazéns. Aliás, o produto não pode faltar na mesa do consumidor neste momento de isolamento, uma vez que ele traz energia, conforto e torna-se uma companhia inseparável. A Cocatrel continua distribuindo e vendendo café, cumprindo seu papel, e espera bater um novo recorde de recebimento. “A cooperativa está totalmente preparada e adaptada para o cooperado”, garante Marco Valério.

A colheita do café já teve início em boa parte das propriedades e, só nesse começo, a Cocatrel já recebeu aproximadamente 50 mil sacas. Para atender bem toda a demanda, a cooperativa ampliou sua estrutura e agora conta com 14 armazéns e/ou pontos de recebimento. Além dos já existentes, três novos locais foram alugados, um em Varginha na saída para Elói Mendes, um em Três Corações, na rodovia Fernão Dias e um novo ponto de recebimento em Três Pontas, no antigo Armazém Padre Vitor. “Estamos preparados para receber 2 milhões de sacas de café. Cada armazém tem vários pontos de entrada, o que proporciona o recebimento com agilidade e segurança, sem que os nossos colaboradores e os motoristas corram risco. Várias medidas foram tomadas a fim de respeitar e proteger a todos”.

Pandemia atinge custos, rotina da cooperativa e a produção

Os produtores estão tendo que adotar medidas de prevenção à Covid-19 desde o transporte dos trabalhadores até na lavoura do café. O cafeicultor cooperado está sendo orientado pela própria cooperativa e adaptando-se a esta nova realidade. Porém, não haverá grandes dificuldades, uma vez que a legislação trabalhista brasileira é extremamente rigorosa e já é colocada em prática pelos produtores há bastante tempo. Claro que as novas regras vão aumentar os custos de produção e vão dificultar um pouco, mas Marco diz serem importantes e que devem ser respeitadas.

A pandemia trouxe um excesso de preocupação, em um primeiro momento, causando medo de faltar produtos no mercado, incluindo o café, por conta do isolamento. Por isso, no mês de março aconteceram muitas comercializações de café nos mercados interno e externo. A Cooperativa registrou aumento, por exemplo, na venda do Box Cocatrel, que são planos de assinatura mensal de cafés, entregues na casa do consumidor; aumento na venda do café torrado e também um aumento significativo na venda dos produtos de laticínios. Em abril o movimento foi menor, mas a situação está estabilizada e deve se manter dentro da normalidade.

Em termos internacionais, em função do dólar ter subido muito, acabou auxiliando o preço do café. A conversão do preço em dólar mostra que a saca está valendo em torno de R$620, valor que é um dos melhores praticados dentro de uma safra. A safra começou com preço bom na saca do grão e a preocupação é se irá se manter assim daqui para frente.

A cooperativa, assim como outros setores, teve que seguir as determinações das autoridades de saúde. As Cafeterias foram fechadas em Três Pontas e Nepomuceno, cancelados os eventos dos lançamentos dos cafés e várias inaugurações como a loja em Córrego do Ouro, da nova torrefação em Três Pontas, da Usina fotovoltaica em Nepomuceno e do Centro de Distribuição. “É preciso sim, celebrar, festejar estes momentos e estas conquistas. Tudo já está funcionando, mas estamos esperando o momento adequado para as inaugurações”. As cafeterias já voltaram a funcionar, de acordo com as regras e autorizações das prefeituras.

As operações em algumas lojas foram reduzidas a fim de evitar aglomerações e sempre dialogando com os municípios onde está presente. A Cocatrel não deixou de funcionar, mas tomou medidas que às vezes pode atrasar um pouco a entrada das pessoas em suas dependências. Além disso disponibilizou álcool em gel, passou a exigir o uso de máscaras, seguindo os rigorosos controles determinados a todas as empresas.

Cocatrel cumpre suas responsabilidades sociais

Uma preocupação da Cocatrel, bastante discutida na cooperativa, é a questão social. Em vários momentos difíceis da história da cidade, ela sempre esteve a frente em várias ações, mas evitou comunicar ou dar publicidade a isto, o que é discutível. Tem pessoas que acham adequado, que incentivaria outras também a doarem, como por exemplo, quando doou um respirador ao Hospital. Porém, na visão do presidente, pela  relevância da cooperativa nos municípios onde atua, já foram feitas inúmeras ações com o objetivo de ajudar, contudo sendo discretos. “Entidades, eventos, hospitais, entre outros recebem constantemente a nossa ajuda, mas temos agido como aquele ditado – o que a mão direita faz a outra não precisa ficar sabendo”, relatou Marco Valério.

Um ano de Cafeína

Dentro das conquistas elencadas neste último ano está a criação do grupo Cafeína. A Cocatrel, que é a cooperativa com maior número de mulheres associadas, com 20% do seu quadro social formado por produtoras, foi extremamente feliz em incentivar e investir no Cafeína Cocatrel, que comemora um ano de existência, alcançando visibilidade e reconhecimento, nacional e internacionalmente, pela seriedade com que tem sido trabalhado pela cooperativa. A cooperativa vem lançando, anualmente, cafés especiais, da linha Montrês, produzidos por suas cooperadas, com sabores altamente diferenciados. Os grãos verdes produzidos pelas integrantes do Cafeína também ganharam espaço no mercado externo e estão sendo exportados para várias partes do mundo.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here