*Moradores respondem a dois questionários. Informações são fundamentais para a política pública a ser implantada pelo poder público. Recenseadores tem flexibilidade no horário e buscam domicílios no fim da tarde, onde as pessoas não estejam em casa durante o dia

A população trespontana começou começou a ser recontada, de forma detalhada. O início dos trabalhos começou oficialmente na segunda-feira, dia 1º de agosto. Foi dado início à coleta domiciliar do Censo Demográfico 2022, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Até o início de novembro, recenseadores, devidamente identificados, estarão nas ruas da cidade e nas comunidades rurais. O objetivo é entrevistar um morador de cada domicílio e ter informações que farão a diferença em diversos aspectos, inclusive o investimento destinado a cada localidade através das políticas públicas.

De acordo com o coordenador Censitário de Área do IBGE, Gabriel Bias Fortes, o trabalho para o Censo, começou desde a pesquisa urbanística do entorno. Os supervisores que atuam com recenseadores fazem um levantamento da infraestrutura urbana.

O coordenador Censitário de Três Pontas Willian da Silva e o coordenador de Área do IBGE, Gabriel Bias Fortes. Fotos: Denis Pereira/EP

O município de Três Pontas é sede de uma sub área que contempla outros municípios mais próximos, como Santana da Vargem, Coqueiral e Nepomuceno. A sub área de Três Pontas é coordenada por Varginha que tem um raio de atuação maior e onde estão a agência do IBGE.

Até o momento o Instituto conseguiu colocar 34 recenseadores no campo. A previsão é haja 48 profissionais atuando para que a coleta seja feita a tempo e atenda o prazo de três meses, que termina em outubro. O andamento vai depender da população, que precisa atender ao recenseador e responder corretamente as perguntas que são feitas.

O recenseador tem uma carga mínima no que se refere ao horário de trabalho e é cobrado pelos agentes supervisores a produtividade, mesmo porque ele recebe de acordo com a sua produtividade, mas tem liberdade e flexibilidade para coletar as informações. Existem situações que ele precisa trabalhar um pouco mais a tarde para encontrar os moradores nos domicílios, as vezes precisa ir aos sábados ou domingos.

A edição de 2022 do Censo Demográfico traz algumas novidades. Pela primeira vez, os moradores de territórios quilombolas. A coleta de informações vai chegar no Distrito do Quilombo Nossa Senhora do Rosário, a partir do dia 17 de agosto.

Neste levantamento, os moradores respondem a dois questionários: o básico, com 26 quesitos, leva em torno de 5 minutos para ser respondido. Já o questionário ampliado, com 77 perguntas e será aplicado a cerca de 10% dos domicílios, leva cerca de 16 minutos.

O questionário básico traz os seguintes blocos de perguntas: identificação do domicílio, informações sobre moradores, características do domicílio, identificação étnico-racial, registro civil, educação, rendimento do responsável pelo domicílio, mortalidade.

Já o questionário da amostra, além dos blocos contidos no questionário básico, investiga também – trabalho, rendimento, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, pessoas com deficiência, migração interna e internacional, deslocamento para estudo, deslocamento para trabalho e autismo. “Através destes questionários será possível traçar um perfil da população trespontana e brasileira”, acrescentou o coordenador Gabriel Bias Fortes.

Na opinião dele, o Censo é mais que um levantamento, é um exercício da cidadania. É importante para quem está informando e para o recenseador. “As informações que o Censo irá levantar é a fotografia do país, um raio x do Brasil que vai basear além de todas as outras pesquisas subsequentes, é fundamental para elaborar um planejamento de políticas públicas, investimentos privados, além dos dados subsidiar pesquisas acadêmicas. É fundamental que o cidadão receba bem o recenseador do IBGE e responda corretamente as perguntas”, reforça Gabriel.

O coordenador Censitário de Sub área de Três Pontas Willian da Silva Campos, orienta que é preciso ficar atento para identificar o recenseador. Ele está com um crachá que tem impresso um QRCode, que nele a pessoa consegue scanear, entrar no site do IBGE digitando a matrícula do recenseador. Eles usam sempre um colete azul marinho, boné, o Dispositivo Móvel de Coleta (DMC), um tablete onde são armazenadas as informações. Ele usa máscara e não faz anotações em papel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here