A Câmara rejeitou proposta de ampliar horário de shopping e centros comerciais e aprova Moção para Paulinho Nogueira 

Três projetos de lei, todos do Poder Executivo e mais uma Moção de Aplausos foram a pauta da sessão ordinária da Câmara Municipal de Três Pontas nesta segunda-feira (09), porém, um deles acabou sendo retirado.  O vereador ausente desta semana foi Paulo Vitor da Silva (PP), que não teve sua ausência justificada em Plenário. O foco dos discursos no Pequeno e Grande Expedientes, foram a compra de um carro zero quilômetro para o gabinete do prefeito e o anúncio de verba feitas pelo deputado federal Diego Andrade (PSD-MG), feito durante visita oficial em Três Pontas na semana passada.

Pequeno Expediente

Surpreendentemente o primeiro vereador a falar da questão do carro que o prefeito Paulo Luis comprou foi o vice presidente da Câmara Luis Carlos da Silva (PPS). Prevendo que a oposição bateria no assunto, falou da coragem que o gestor teve, em trocar o Vectra que estava sempre apresentando problemas, por um novo. Ele ainda lembrou que quando José Henrique Portugal (PMDB) foi presidente e comprou um carro para o Poder Legislativo também foi criticado.

José Henrique Portugal (PMDB), fez um pronunciamento enfatizando a questão da saúde e as reclamações da população que precisa dormir na fila para conseguir  um ficha para consultar nas unidades básicas de saúde.

Portugal também lembrou da reunião que teve há alguns meses, quando foi solicitado ao deputado federal Diego Andrade, recursos na ordem de R$716 mil para o Hospital São Francisco de Assis. A verba, segundo o vereador já chegou e, foi aplicada na compra de um novo gerador e de um raio x. O primeiro aparelho foi instalado depois que a Prefeitura destinou R$50 mil para custear as despesas. Também é do peemedebista, a informação de que Diego Andrade está alocando mais R$2 milhões para a Santa Casa. A preocupação dele é do dinheiro ser perdido.

O presidente Sérgio Eugênio Silva (PPS), questionou a preocupação do colega, por quais motivos seriam perdidos e Portugal respondeu que é por causa de documentos do Hospital. “É preciso que a população tome conhecimento do que está vindo. Não adianta as pessoas inserir as emendas nas esferas do Estado e Federal e a Administração perder. E isto é um problema da Casa e vamos ficar atento a isto”, disse.

Francisco Fabiano Diniz, o Professor Popó falou no Pequeno e Grande Expedientes. Como sempre levantou a bandeira pelo qual foi eleito. A defesa dos cães levou Popó a fazer um desabafo e relatar desde o princípio porque entrou na política. Criou inimigos mas acreditou que poderia ajudar a resolver o problema. Revelou que tem seis empréstimos feitos na rede bancária tudo para bancar castração e o tratamento de cães que são abandonados nas ruas. Hoje, tudo quanto é assunto de cachorro se refere a Popó, porém, disse que chegou ao extremo, porque não agüenta mais fazer tudo sozinho, ao lado da sua esposa Tânia que inclusive vai ao Canil diariamente para tratar do que lá ficam. Depois, acusou a Administração de por questões políticas não contratar uma veterinária que trabalhou voluntariamente desde o primeiro mandato de Paulo Luis e dava conta do recado. Enquanto a que está prestando serviço não atinge a meta de 60 castrações mês. Sendo que nos últimos dois meses foram apenas 41 animais que sofreram o procedimento. Ao que tudo indica, a relação de Paulo Luis e Popó está abalada por conta dos cachorros.

O vereador Antônio Carlos de Lima (PSD), seguiu sua postura, atacou a atual Administração, nas áreas da saúde e educação. Falou da falta de médicos no Programa Saúde da Família (PSF) e lamentou que nenhuma providência tenha sido tomada pela Secretaria de Educação para resolver o caso de violência e vandalismo na Escola José Vieira de Mendonça, a Escola Agrícola. Ele voltou a falar que um aluno levou drogas para a escola e agora que um aparelho celular de uma professora foi furtado no estabelecimento educacional. E chamou Paulo Luis de ditador quando disse que na quadra do Quilombo Nossa Senhora do Rosário apenas menores de 16 anos podem usar o espaço e o campo está cheio de mato. Por conta de tantas reclamações do legislador ao setor de Educação, o vice prefeito e secretário Èrik dos Reis Roberto da área deverá ser convocado nos próximos dias a pedido da vereadora Valéria Evangelista (PPS).

Seguindo a linha do bloco de oposição, registrou Antônio na Tribuna, o anunciou que o deputado Diego Andrade fez na última semana, de R$2 milhões para o Hospital São Francisco de Assis e R$200 mil para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). Terminou cutucando também sobre a compra do carro, segundo Antônio de mais de R$100 mil, enquanto o Executivo reclama a falta de dinheiro.

Depois das críticas, Geraldo Messias Cabral (PSD), parabenizou pelo grande trabalho que Érik faz, sendo um vice atuante.  Geraldo questionou a verba do parlamentar ainda pode chegar, já que a lei proíbe este tipo de transação agora por conta das Eleições de outubro, mas reiterou a importância do dinheiro para a população.

Vitor Bárbara (PDT), também se demonstrou preocupado com a verba.  Alessandra Vitar Sudério Penha (PPS), fez um alerta após fazer uma pesquisa em Brasília. De que em ano eleitoral, é vedada a liberação de verbas desta natureza para entidades, sendo necessário repassar via Prefeitura. O presidente Sérgio Silva acrescentou que o melhor caminho é destinar para o Município fazer o repasse e que vai pedir na Santa Casa relação de emendas feitas pelos deputados.

Rotarianos e o vice prefeito Érik dos Reis participaram da sessão desta segunda-feira
Rotarianos e o vice prefeito Érik dos Reis participaram da sessão desta segunda-feira

PAUTA DE VOTAÇÕES

Com a retirada do primeiro projeto da ordem do dia a pedido da vereadora Alessandra Sudério, os vereadores aprovaram com a presença de membros do Rotary Club, a liberação de uma área de 330 metros quadrados na Rua Dom João de Almeida Ferrão durante 8 anos para ser licitada. O imóvel havia sido doado para o Rotaract na gestão da ex-prefeita Adriene Barbosa de Faria Andrade e o prazo para construir a sede deles terminou. Eles devolveram amigavelmente o terreno que agora é pleiteado pelo Rotary que enfrentar a licitação.

Ao contrário do que se esperava, o projeto da ampliação do horário de funcionamento do shopping center’s foi votado rápido e sem discussões. Apenas o vereador José Henrique é que defendeu a ideia preocupado com a oxigenação da economia do Município. Suas indagações não foram suficientes. Tanto PAULINHO NOGUEIRA-001é que foram favoráveis apenas Joy Alberto, Chico do bairro Santana, José Henrique e Itamar Diniz. O projeto do Executivo era de 24 de dezembro de 2013 e mudava o Código de Posturas de Três Pontas, para determinar novo horário de funcionamentos para shopping e centros comerciais. Em dias úteis das 8 da manhã as 22 horas e aos domingos e feriados de 10 horas as 23:59.

O último trabalho foi uma Moção de Aplausos ao ex-prefeito Paulo Roberto Nogueira (foto). Vice de Carlos Mesquita, Paulinho assumiu a prefeitura em 04 de março de 1999 e permaneceu no cargo até 04 de novembro do ano seguinte. A proposta do vereador Antônio do Lázaro, reconhece sua atuação principalmente no que se refere ao asfaltamento de todo o Distrito do Quilombo. O projeto foi aprovado.

COMPARTILHAR

Comentários