Fotos: Equipe Positiva

 

Está oficialmente instituído em Três Pontas o Observatório Social do Brasil. A Assembleia onde foi feita a leitura dos objetivos traçados pelo Observatório Social do Brasil (OSB) e da carta de identidade em que constam os dez princípios da associação aconteceu na noite desta segunda-feira (07), na sala 6, da Associação Comercial e Agroindustrial de Três Pontas (Acai-TP).

O Observatório Social de Três Pontas, tem como sede a Associação Comercial e está em processo final de sua formalização em termos documentais. O estatuto, a ata e a lista de presença desta Assembleia serão devidamente registrados em cartório e enviados ao OSB para afiliação da entidade ao órgão principal. A expectativa é que em 10 dias, ele já comece a funcionar. A direção tem mandato de dois anos e o trabalho é acompanha as compras feitas pela Prefeitura e Câmara de Vereadores, inclusive gastos com diárias, entre outras despesas.

Para manter o OSTP, é necessário recursos financeiros, que são disponibilizados por empresas parceiras, para cobrir despesas com eventos, palestras e um funcionário,  tudo de acordo com a lei. Segundo a coordenadora do Observatório de Três Pontas, Taís Marcela Bondi, 10 empresas já fizeram a adesão e assinaram o Termo de Intenção. Outras estão sendo visitadas e empresários estão conhecendo a importância e o funcionamento deste projeto para o Município. Segundo Taís Bondi, são necessários no mínimo 30 empresas parceiras para contribuírem com a manutenção mensal. A doação é limitada, vai de R$100 a R$500 a cota, mas a direção estipulou o valor mínimo de R$150 por empresa associada. As empresas interessadas em colaborar com o Observatório Social, podem entrar em contato pelo telefone 3265-1839 e agendar uma visita.

A luta para a implantação do OSTP começou no mandato do ex-presidente Michel Renan Simão Castro e o atual presidente Bruno Dixini Carvalho, manteve o propósito de implantar na cidade, uma associação que auxilia o Governo Municipal e olhar melhor as contas do Município. “Com mais gente olhando, a chance de acertar é maior. Esse órgão vem para melhorar o desempenho”, acrescentou Bruno Dixini.

Em conjunto com o Conselho de Desenvolvimento Econômico (Condes), existe um parâmetro para que as pessoas sejam mais participativas e cidadãs. Um bom exemplo para o Brasil, vem da cidade de Maringá, no Paraná. Lá, os integrantes do Condes puderam ver que mesmo em momento difícil da economia no país e no mundo, a cidade está pujante. “Precisamos que as pessoas entendam melhor o que acontece na Administração pública e a partir daí, pensem duas vezes antes de criticar, com mais conhecimento de causa. As vezes a ideologia ou a divisão política costumam atrasar o desenvolvimento das coisas, das cidades e do país”, alertou o presidente da Acai-TP.

A presidente do Conselho de Administração, Camila Oliveira Reis Araújo, destaca a implantação do Observatório como um fato histórico para Três Pontas. Ela acrescentou que um dos objetivos essenciais é a divulgação das ações do governo, das licitações e todos os processos que envolvem a máquina publica que contribuem para o desenvolvimento e fortalecimento da democracia. Essa participação vem desenvolver e estimular a cidadania. “Esta é uma iniciativa de pessoas e instituições que não querem apenas ficar de braços cruzados, criticando, mas que acreditam que precisam participar efetivamente do processo democrático para ajudar a construir uma cidade, um estado e um país melhores”justificou.

O Observatório Social do Brasil é uma associação sem fins lucrativos, que busca promover a transparência dos gastos públicos em todo o país. Acompanha gastos comOs seus integrantes são pessoas de todas as profissões que trabalham voluntariamente, não recebem nenhum beneficio e tem o único objetivo de contribuir para a qualidade de vida das pessoas. Para integrar o Conselho alguns requisitos são fundamentais e obrigatoriamente precisa ser respeitados. Nenhum deles pode ter vínculo com partido político e não podem ser servidores municipais. Isto atrapalharia a transparência do trabalho na aplicação do dinheiro público. Durante este período de implantação, as pessoas conheceram bons exemplos que os Observatórios de outras localidades já tiveram, de economia com recursos públicos. Ele está presente em 114 cidades, de 17 Estados. No Sul de Minas, está além de Três Pontas, apenas em Machado.

Observatório Social do Brasil – Três Pontas

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente 
Dra. Camila Oliveira Reis Araújo
Vice-presidente para Assuntos Administrativo-financeiros
Eduardo Cordeiro da Silva
Vice-presidente para Assuntos Institucionais e de Alianças
Marcelo de Brito Dias
Vice-presidente para Assuntos de Produtos e Metodologia
Marcelo Pereira
Vice-presidente para Assuntos de Controle Social
Dr. Juliano Vitor de Brito

CONSELHO FISCAL
Titular
Alberto Vitor da Conceição
Sara Nogueira
Vander Scalioni de Padua

Suplente
Hebert Pereira de Souza
Bruno Carvalho Dixini
Kleber Matioli de Souza

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here