Dona Elza chega a produzir 250 pamonhas por dia. Fotos e texto: Denis Pereira - Equipe Positiva

 

Estamos na época do milho e dele se faz a pamonha. A iguaria é unanimidade entre as pessoas, seja de doce ou de sal, ela é servida a qualquer hora e não tem aquele que recuse. O nome “pamonha” vem da palavra tupi pa’muñã , que significa “pegajoso”.

Em Três Pontas, a aposentada dona Elza Pereira Penha montou sua pamonharia no bairro Aristides Vieira. A produção é bem artesanal, mas feito com muito carinho, higiene e atenção para atender uma clientela que cresce a cada ano.

Dona Elza começou lá na roça a fazer pamonha apenas para sua família na roça. Um amigo que uma vez a visitava e trabalhava no Banco do Brasil, trouxe e dividiu com amigos de trabalho. Eles adoraram e começaram a fazer encomendas com ela. Com isso, ela começou ai a criar sua freguesia, ficou recentemente cerca de três anos parada, mas voltou e não perdeu a receita que está na memória desde a época de seus pais e foi só colocar a mão na massa.

A aposentada conta que a produção tudo começa com a retirada da palha do milho. Ao descascar o milho, ela aproveita a palha que serve como embalagem. Ela é lavada, fervida, cortada no tamanho ideal e depois lavada novamente com água fria para ganhar firmeza.

Uma máquina é utilizada para separar os grãos e formar a massa que depois é temperada e vai ao fogo até ganhar consistência. Com uma canequinha mesmo, as palhas vão sendo usadas para receber a massa, que Dona Elza não deixa muito doce, mas no ponto ideal que agrade aos paladares mais exigentes. E o segredo é o queijo fresco da Cocatrel que vai de recheio. Quando consumida ainda quentinha, o queijo derrete e o sabor fica ainda mais gostoso.

Dona Elza e Priscila

É amarrada com barbante e vai para um tacho grande com água fervente, fica em torno de uma hora. As pamonhas prontas, vai para a água fria e depois é só comer. Alguns preferem quentinha outros esperam esfriar.

Junto com sua ajudante, a Priscila elas chegam a fabricar 250 pamonhas por dia. Ela já tem uma clientela fixa e vende para alguns estabelecimento comerciais.

Com leite, com café e segundo Dona Elza pamonha é bom até com uma cervejinha, é bom a qualquer hora e acompanha qualquer bebida. Se você quer experimentar uma pamonha gostosa, ligue para Dona Elza, no telefone 99997-5166.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here