Sistema de videomonitoramento que funciona 24 horas por dia está na sede da Companhia de PM

Áudio que circula no WhatsApp é MENTIROSO, ao afirmar que a PM vai multar condutores, utilizando as câmeras instaladas na cidade

É fake news, o áudio que circulou no WhatsApp, dizendo que a Polícia Militar está utilizando as câmeras de segurança, instaladas no Centro da cidade e em pontos estratégicos para aplicar multas de trânsito. Quem nega veemente está informação, é o comandante da 151ª Companhia de Polícia Militar de Três Pontas Capitão Bruno Neves Tavares. Na opinião do comandante, as pessoas as vezes querem ser protagonistas na divulgação de algumas informações e acabam por desinformar e atrapalhando todo um trabalho. Capitão Bruno desconhece em nome de quem está pessoa divulgou o áudio, alías, diz que deve ser em nome dela mesma, porém, não condiz com a realidade. Em momento algum, durante a cerimônia de inauguração da revitalização da Sala de Operações e do Serviço de Videomonitoramento, em meados do mês passado, foi divulgado que as câmeras serviriam para autuar motoristas.

“Até o momento não existe nenhuma multa, realizada pelo sistema de monitoramento e nem vai ter porque não é a finalidade nossa”, afirma Capitão Bruno

“Quero deixar bem claro aqui, que as câmeras de vídeo monitoramento da Polícia Militar que foram instaladas em parceria com o Conselho Comunitário de Segurança Pública (CONSEP), elas não tem a finalidade da fiscalização de trânsito. O objetivo delas é primeiramente a prevenção criminal e a repressão qualificada”, reforçou. “Até o momento, não existe nenhuma multa realizada pelo sistema de monitoramento e nem vai ter porque não é a finalidade nossa. A gente vê que a desinformação tem uma propagação muito grande na atualidade, é muito perniciosa, tira o sossego das pessoas, enquanto a gente está correndo para trazer a tranquilidade pública” lamentou o comandante da Companhia de Polícia. Na opinião dele, estas falsas informações acabam acarretando um problema sério para as ações da PM, porque a população começa a enxergar a atuação da Corporação como negativa, em um projeto que veio para melhoria da segurança pública.

A tecnologia utilizada no sistema de videomonitoramento tem sim, a capacidade de captar placas de trânsito, chamada de NPR ou OCR que é de leitura de digito de placa, porém para fins criminais, como furto, roubos e contra o patrimônio, e não para multar condutores. “Não há nenhuma intenção nossa em utilizar as câmeras para fiscalização de trânsito. Muito das multas também exigem a abordagem aos motoristas e se as câmeras também fossem utilizadas para essa finalidade, elas não atenderiam por completo a nossa demanda de fiscalização de trânsito”, justificou. Ele completa que as câmeras não tem capacidade de leitura vinculada ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

A partir de 2015, uma Resolução do Contran estabeleceu que a fiscalização de trânsito é possível através do vídeo monitoramento, ou seja, através de equipamentos tecnológicos que é a extensão do olho do agente de trânsito. Legalmente é possível, porém não é finalidade. As câmeras em Três Pontas estão em funcionamento há aproximadamente um mês e meio, e até o momento não existe uma sequer autuação de trânsito por meio desse sistema eletrônico.

O sistema de videomonitoramento das vias do centro e as principais ruas e avenidas de acesso ao Município, tem sido realmente um diferencial para o trabalho da PM. Veículos sobre suspeita, que vem de outras localidades para aplicar golpes (estelionato), autores de furtos e outros que utilizam carros e motos na prática de ações criminosas, como roubo, como houveram alguns a poucos dias, todos eles são flagrados pelas câmeras de segurança.

O trânsito é um problema para a PM, quando há embriaguez ao volante, que pode ocasionar um acidente com vítimas e mortes. Houve um momento em que a fiscalização na cidade esteve um pouco deficitária, por conta de efetivo reduzido e o número de acidentes preocuparam. A fiscalização de trânsito quando é realizada pela Polícia Militar, visa principalmente a integridade física das pessoas, a redução dos acidentes de trânsito e também a circulação e fluidez do trânsito. A intenção da Corporação, segundo Capitão Bruno, não é de forma alguma aplicar multas e sim corrigir o condutor nas vias de trânsito urbana afim da redução, principalmente nos números de acidentes. “As pessoas podem perceber que temos atuado, nas questões criminais de trânsito, rachas, embriaguez ao volante, que são situações realmente que podem trazer transtornos mais sérios à vida das pessoas“, completou.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here