Flamengo pode conquistar o torneio continental pela 2ª vez em sua história. (FOTO: André Durão / GloboEsporte.com)

Por Loui Jordan

É a hora da verdade. Flamengo e River Plate – ARG, se enfrentam hoje (23) às 17 horas no horário de Brasília em Lima, capital Peruana. Protocolo informativo à parte, trata-se do jogo mais esperado do continente. De um lado o atual campeão e poderoso River de Marcelo Gallardo, do outro o cometa desgovernado do Flamengo, comandado por Jorge Jesus. A pergunta que fica é a seguinte: quem será o campeão?

O flamengo tem o futebol mais cativante

Uma coisa é certa, em termos de técnica, o Flamengo joga o melhor e mais bonito futebol da América. No comando de Jorge Jesus, o time soma 33 jogos, 23 vitórias, 8 empates e apenas 2 derrotas, sendo uma para o Bahia no Brasileirão e outra para o Emelec no jogo de ida das oitavas do torneio continental.

O coletivo rubro-negro ainda conta com mais de 70 gols, ou seja, uma média um pouco superior a dois gols por partida. O ataque do Flamengo é um cometa desgovernado, ou melhor, bem governado, o time tem potência e não fica mais espaçado como outrora. É uma equipe que tem em seus laterais, a experiência e técnica de sobra, o meio e o ataque se complementam, os zagueiros vivem excelente fase, ao Flamengo só resta uma coisa, o título.

A sua performance já é convincente, o estilo também e é impressionante como o time da gávea vence com sobras seus adversários. Talvez isso não ocorra contra o River, pois será o melhor time que o Flamengo poderia enfrentar no ano e em uma final de Libertadores. Os jogadores capitaneados por Jesus, terão que dosar a intensidade e saber conduzir as ações do jogo, mas não podem deixar de ser eficientes, principalmente na frente com Gabigol e um tal de Bruno Henrique.

River e sua metodologia

O River é o atual campeão e tem um ótimo time titular. O goleiro é muito bom, os zagueiros idem, um Enzo Pérez que dita o ritmo como poucos no meio de campo e os dois destaques, Nacho Fernández e De La Cruz. O time taticamente é mais carregado no sentido de limitar um pouco seu futebol, mas bem pouco, não chega a ser um time retranqueiro, é sim, estratégico e pragmático.

O clube argentino tem variado a sua formação tática, em três possíveis formações, duas utilizam linhas de 4 e curiosamente uma linha de cinco na defesa, liberando os laterais, principalmente o direito, Montiel, que é bom ofensivamente, defensivamente nem tanto. O River é o principal e melhor time que o Flamengo vai enfrentar pelos seguintes motivos: tem uma boa transição ofensiva e defensiva, possui uma base coletiva sólida e consistente, tem uma camisa que sim merece apreço, conhece os atalhos do jogo de Libertadores e claro, tem um futebol completo e adaptável a qualquer tipo de rival.

Não perca o jogão

O favoritismo significa apenas que um time possui mais ingredientes que o outro para vencer, portanto, não significa uma “pré-vitória” se assim podemos dizer. O Flamengo é favorito e tem mais tempero para triunfar, no entanto, é bom ficar atento, o River é igual a Libertadores, traiçoeiro. Uma vitória por um placar elástico seria um pouco surpreendente, mas ao mesmo tempo, competente, pois são duas grandes equipes, as melhores do continente. O River é um time, simplesmente um time completo, com várias qualidades. Já o Flamengo, mostrou que pode jogar bonito e chegar à decisão da Copa Libertadores, não precisou bater e nem jogar retraído e que vença o mais competente.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here