A direção da Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis, reuniu empresários de Três Pontas nesta quinta-feira (06), para oficializar parceria através do Carnê Viva + Saúde.

O carnê é uma forma de contribuição fixa que oferece ao contribuinte descontos em estabelecimentos parceiros e acesso aos serviços da própria instituição, como internações em apartamentos por tempo indeterminado. Foram ao todo 14 empresas que assinaram a parceria e receberam um certificado de agradecimento ao apoio que eles vem dando ao Hospital, colaborando para que a instituição equacione as despesas com as receitas, tornando-a auto sustentável. Clubes de serviços como o Lions Club Três Pontas, o
Rotary Club Três Pontas e veículos de comunicação da cidade, como o Jornal Correio Trespontano e os portais de notícias Equipe Positiva e Sintonize Aqui também foram agraciados.

O carnê, explica o provedor Michel Renan Simão Castro, é uma via de mão dupla em que as empresas colaboram e recebe os benefícios aos seus funcionários. O carnê já ultrapassou 1.000 vidas, mas tem uma meta ousada de 30 mil, em Três Pontas e nas cidades da região que fazem parte da microrregião. Os planos são individual, familiar e empresarial cuja mensalidade custa a partir de R$ 70.

O dinheiro que a Santa Casa recebeu até agora não é significativo e foi investido na melhoria da infraestrutura dos quartos, como a troca do mobiliário, a substituição de cortinas e colchões para garantir mais conforto aos pacientes, em despesas diárias de reforma já programada. A intenção é que uma parte deverá ser destinada aos médicos por produção.

Empresas reforçam importância da Santa Casa

Uma das empresas parceiras do Hospital é a Construtúnel, do empresário Gilberto Basílio. Ele também está na direção da Santa Casa e entende que os colaboradores precisam ser valorizados e ter mais conforto a preço barato e ainda colaborando com a entidade, que é crucial para a saúde dos trespontanos e moradores da região. “Estamos aqui querendo que a Santa Casa continue aberta e funcionando. O empresário é o primeiro a perder se o nosso hospital fechar as portas, porque o colaborador terá que ir para outra localidade e isto vai ter uma perda muito grande. É uma excelente iniciativa que eu apoio”, destacou Gilberto Basílio.

O presidente da Cocatrel Marco Valério Araújo Brito, afirmou que a cooperativa está em fase final de estudos para fazer a adesão do carnê e contribuir com os colaboradores, que hoje somam em torno de 540 no total. “A Cocatrel está muito feliz e satisfeita em ajudar a sociedade. Ela tem uma capacidade muito grande de gerar receita e movimentar a economia local e regional. Além disso, entendemos até como obrigação social, com a sociedade estarmos aderindo ao carnê”, refletiu Marco Valério.

Saiba mais do carnê

Em Três Pontas, o Carnê Viva + Saúde já está sendo bastante conhecido na região está ainda bem discreto, porque os recursos são poucos. A publicidade será impulsionada com uma nova fase em que estudantes universitários do Grupo Unis, vão estar colaborando com a divulgação do Carnê, em forma de estágio e a venda deve ganhar uma velocidade bastante célere. “Ao atingirmos esta meta, vamos ter uma condição invejável em relação aos outros hospitais da região. É um objetivo a ser galgado, mas as pessoas já perceberam a necessidade de ter uma Santa Casa cada vez mais forte”, reforça o provedor Michel Renan Simão Castro.

Quem se interessar em ter o carnê, pode ir diretamente a Santa Casa ou pode ligar no 3265-9700 e agendar a visita de um vendedor.

Cresce o índice de satisfação com a Santa Casa

A Santa Casa de Misericórdia está intensificando a divulgação de depoimentos de pacientes atendidos no Hospital, através do facebook. Existem boas histórias que estão sendo mostradas. O que mais motiva toda a equipe, é que hoje o índice de satisfação cresceu muito, atingiu mais de 85% de satisfação e aprovação. Quando Michel Renan assumiu o cargo a desaprovação era de 65%. “Queremos mostrar que a Santa Casa está em um outro patamar, e cada vez melhor, mesmo diante de tantas dificuldades financeiras, diante de uma dívida do Estado que já atinge R$5,5 milhões”, divulgou o provedor Michel Renan.

COMPARTILHAR

Comentários