Jovens do PJ de Três Pontas na ALMG em BH. Foto: Divulgação

 

Mais de 30 jovens de Três Pontas, participaram nesta sexta-feira (20), da Plenária Estadual do projeto Parlamento Jovem da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que debateu, ao longo de 2019, a discriminação étnico-racial.

O município participa pelo quinto ano consecutivo e foi representada pela estudante Nayara Barbosa Silva, que se destacou nas fases preliminares do PJ e foi democraticamente eleita pelos colegas participantes.

Apesar da fase estadual só contemplar uma vaga por cidade, o presidente da Câmara Municipal de Três Pontas, vereador Maycon Machado, não mediu esforços para que mais de 30 jovens participassem do evento e conhecer a Assembleia Legislativa de Minas Gerais. “Isto certamente impactará positivamente a vida de todos e contribuirá para sua formação cidadã”, afirmou o presidente da Câmara e do PJ.

O diretor da Escola de TP Dr. Guilherme Ribeiro, o presidente da Escola Maycon Machado, a estudante Nayara Barbosa, o coordenador Carlos Castro e a vereadora Marlene Lima

Os trespontanos se juntaram aos mais de 120 estudantes que tinham 85 propostas para serem analisadas em grupos de trabalho. Na plenária, foram apreciadas, primeiramente, 12 propostas, consideradas prioritárias na fase anterior. Já, na etapa seguinte, uma novidade dessa edição, foram reexaminadas sugestões que deixaram de ser priorizadas pelos grupos.

Por meio de recursos, que contaram com a assinatura de ao menos 45% dos participantes presentes, foram reapresentadas as proposições que cumpriram o critério. Os autores das propostas fizeram a defesa das suas sugestões, que receberam manifestações de apoio ou de rejeição, passando, depois, pela deliberação dos estudantes.

“Expansão e aprimoramento de medidas de assistência socioeconômica para reservas indígenas e quilombolas, garantindo qualidade de vida e segurança para esses indivíduos, por meio de parcerias com os municípios e os órgãos de saúde”, foi uma das propostas que passaram a fazer parte do documento por meio da fase de recurso.

Outra proposta que acabou acatada nessa dinâmica foi a que defendeu a “garantia de equidade e assistência social e jurídica aos praticantes de religiões de matriz africana e afro-brasileiras e de origens orientais, em caso de hospitalização, detenção ou outras situações em que se encontrem em instituições públicas”.

O documento final do PJ Minas 2019 foi entregue a membro efetivo da Comissão de Participação Popular da Assembleia, o deputado André Quintão (PT). As 16 propostas poderão ensejar desdobramentos e serem transformadas, por exemplo, em projetos de lei ou pedidos de providências ao Poder Público.

Toda a Coordenação da Escola do Legislativo de Três Pontas acredita muito na capacidade de transformação de nosso país a partir da integração dos jovens na política, e por isso conta com o apoio de toda sociedade.

PJ Minas – O Parlamento Jovem de Minas é um programa de formação política e cidadã criado pela ALMG, em 2004, e realizado por meio da Escola do Legislativo, em parceria com câmaras municipais e escolas públicas e privadas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here