Está internado no Hospital São Francisco de Assis, um jovem de 22 anos, diagnosticado com meningite bacteriana. O paciente deu entrada no Pronto Atendimento Municipal (PAM) de Três Pontas na quarta-feira (04).

Após a veiculação de um vídeo em uma rede social por uma médica, o médico Diretor Clínico do PAM Dr. Lucas Erbst, publicou na sua página uma nota de esclarecimento, informando que como qualquer caso de emergência, o jovem recebeu o primeiro atendimento e a internação dele, ocorreu no mesmo dia no Hospital São Francisco de Assis.

Ele está em um local isolado como manda o protocolo além das medidas preventivas para a preservação da saúde, para profissionais e familiares que tiveram contato íntimo com o paciente.

O médico Chefe do PAM Dr. Lucas Erbst 

Dr. Lucas informou também que o atendimento no Pronto Atendimento está sendo realizado normalmente, “com o mesmo cuidado, dedicação e profissionalismo de sempre”, diz a nota.

Por telefone, o médico responsável pelo paciente Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias, informou apenas que o quadro de saúde dele está evoluindo bem e está sendo tratado com antibiótico. Não há previsão de quando o paciente deva receber alta.

Meningite é definida pela inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, chamadas meninges, e pode ser causada por bactérias, vírus, fungos ou parasitas. Casos da doença ocorrem ao longo de todo o ano, sendo a versão bacteriana mais comum no inverno e, a viral, no verão. Além das vacinas contra alguns tipos de meningite, medidas preventivas, como manter ambientes ventilados e arejados e lavar as mãos frequentemente, ajudam a interromper a disseminação de muitos vírus e bactérias causadoras da doença. Evitar compartilhar alimentos, bebidas, pratos, copos e talheres também é uma forma para reforçar a prevenção da meningite.

Como é feito o tratamento?

Devido à gravidade, os casos suspeitos de meningite sempre são internados. Por esse motivo, ao se suspeitar da ocorrência da doença, é fundamental a ida até a urgência e emergência mais próxima para devida avaliação médica.

Para o tratamento das meningites bacterianas são administrados antibióticos, em ambiente hospitalar; para as meningites virais, na maioria dos casos, não se faz tratamento com medicamentos antivirais. Em geral as pessoas são internadas e monitoradas quanto à sinais de maior gravidade e se recuperam espontaneamente. Porém, alguns vírus, como herpes e influenza, podem provocar meningite e neste caso é indicado o uso de antiviral.

Vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde

O SUS oferta no Calendário Básico de Imunização vacinas que protegem contra vários agentes causadores de meningite. São elas: A BCG (Meningite Tuberculosa), a Tríplice Viral (Meningite por sarampo e caxumba), a Pentavalente (meningite por Haemofilos influenzae b em crianças abaixo de 5 anos), meningocócica C conjugada e vacinas pneumocócicas conjugadas 10 valente (meningite pneumocócica – 10 tipos). Tais vacinas são consideradas interesse prioritário à saúde pública brasileira, uma vez que protegem contra os principais tipos da doença.

Sintomas

Os sintomas da meningite podem surgir de forma repentina e se caracterizam por febre, dor de cabeça, rigidez ou dor no pescoço, náuseas e vômitos. Manchas avermelhadas também podem surgir nas formas mais graves da doença, além de confusão mental, sonolência e dificuldade para acordar. “Em recém-nascidos e lactantes, é comum surgir irritação, cansaço e falta de apetite. É importante observar a presença de qualquer um desses sinais e caso tenha a ocorrência deles, o cidadão deve procurar imediatamente por assistência médica para iniciar o tratamento o mais rápido possível, caso necessário”, informa a coordenadora do Programa de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Lara Miranda Silva.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here