Foto: Equipe Positiva

 

*Ele utilizava fardamento da polícia para atrair as vítimas, escolhidas em locais específicos, que havia a circulação de mulheres mas sem grande movimento

Um rapaz de 30 anos que se passava por policial penal, foi preso pelas policias Militar e Civil, durante a tarde desta quarta-feira (22), no Centro de Três Pontas. Além de se vestir como um profissional da área de segurança pública, ele importunava sexualmente crianças e adolescentes no meio da rua.

De acordo com a PM, há alguns dias circula nas redes sociais uma foto de um rapaz, que estaria importunando mulheres em vários locais de movimento, entre eles, próximo da Praça de Esportes, a Escola Estadual Jacy Gazola e de um supermercado que fica na Rua Minas Gerais, no Centro. O acusado estaria abordando as mulheres por trás, passava as mãos nas nádegas, acariciava os braços e os ombros, mostrava fotos íntimas no aparelho celular e ainda as perseguiam pelas ruas falando sobre sexo com elas. A PM soube do caso, depois algumas adolescente procuraram a Base de Segurança Comunitária, que fica na Praça Cônego Victor. As informações apontavam que ele vestia uma roupa camuflada e então saíram a procura do suspeito.

Durante esta tarde, policiais militares e civis encontraram com um rapaz, com as mesmas características e vestindo uma calça camuflada, que é uniforme da polícia penal, na Praça Tristão Nogueira, a Praça da Fonte, perto da Delegacia de Polícia Civil.

Ao ser abordado, ele confessou aos policiais que realmente estava fazendo isto, mas que havia ‘perdido a cabeça’. O rapaz que é de Elói Mendes, estava morando em Três Pontas no bairro Jardim da Esmeraldas, a cerca de apenas um mês, não era conhecido no meio policial e por isso a dificuldade em encontrá-lo.

Na casa dele, a PM apreendeu um uniforme completo de um policial penal, incluindo o fardamento, camisetas, acessórios, inclusive um par de algemas. Há informações de que ele estaria andando assim pelas ruas do bairro e se passando por um profissional para chamar a atenção das pessoas e se aproximar das vítimas. Em um dos cômodos, foram encontrados apostilas e material de estudo para o concurso público da Polícia Penal.

Quando as pessoas tiveram conhecimento da prisão dele, pelo menos 7 vítimas, entre 12 e 21 anos apareceram na Delegacia denunciando a importunação que sofreram ao longo dos últimos dias e o reconheceram. O rapaz não as abordavam aleatoriamente, ele tinha a preocupação de escolher vítimas de boa aparência.

A namorada foi até a Delegacia e inicialmente não acreditou nas acusações, mas ao ouvir a versão das vítimas, diz ter ficado decepcionada com o companheiro.

A Policia Civil orienta que todas as mulheres que tenham sido vítimas do rapaz, devem procurar a Delegacia e registrar um boletim de ocorrências. A Polícia Penal acompanha o caso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here