A Câmara Municipal realizou mais uma sessão ordinária nesta segunda-feira (25), com apenas dois projetos na pauta de votações. O principal deles foi retirado e outros dois foram inclusos e geraram discussões no Plenário Presidente Tancredo de Almeida Neves. O vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB) não compareceu por conta de problemas de saúde e teve sua ausência justificada.

No Pequeno Expediente, a vereadora Marlene Rosa Lima (PDT) que também é presidente do Conselho da Mulher, agradeceu o apoio na organização do evento realizado na semana passada na Câmara, o “Elas em Movimento”. Depois solicitou a limpeza de terrenos baldios que estão sujos, na Rua Nossa Senhora D’Ajuda, na Rua Abel Alves no bairro Cidade Jardim, no Aeroporto Municipal, no Parque Multi Uso da Mina do Padre Vitor. Ela registrou que a limpeza em torno do córrego da Avenida Zé Lagoa começou a ser feito na semana passada.

Já Luiz Flávio Floriano (Flavão – PSL) reclamou do atendimento de alguns servidores e alguns médicos que atendem no Pronto Atendimento Municipal (PAM). Falta atenção e uma atenção maior com os pacientes por parte de alguns profissionais.

Roberto Donizetti Cardoso (Podemos), falou novamente da situação caótica de todas as estradas rurais. Ele espera que com o fim do período chuvoso, a manutenção seja feita de forma a melhorar o estado de conservação delas.

Robertinho comentou sobre a limpeza na Avenida Zé Lagoa, mas quer saber como foi feita a contratação da empresa, já que soube que o serviço foi terceirizado.

Uma lista de pedidos também foi feita pelo vereador Geraldo José Prado (Coelho – PSD). Ele quer saber através de Requerimento, quanto foi gasto com a compra de peças para a Secretaria Municipal de Transportes e Obras e o controle de abastecimento dos ônibus da Secretaria Municipal de Educação, nos últimos cinco meses. 

Sobre o PAM, Coelho ressaltou que é preciso respeito tanto dos funcionários, incluindo os médicos, como também da população. Ele também comentou sobre a limpeza da cidade. Disse que a iniciativa precisa partir do prefeito Marcelo Chaves, de realizar um mutirão, envolvendo vários setores, a comunidade, a Câmara e o comércio. Coelho se colocou a disposição para ajudar.

Na mesma linha, Sérgio Eugênio Silva (PPS) continuou o assunto, mas chamou a atenção dos moradores que abarrotam as lixeiras fora do horário de coleta. Sobre o PAM, opinou que o problema, que não é de hoje, está no horário de troca do plantão.

Projetos

O prefeito Marcelo Chaves pediu a retirada do principal projeto da pauta, a adequação do pagamento de diárias aos servidores e cargos políticos. Através de um ofício que foi lido no início da reunião, a Administração fez a solicitação, mas não deu detalhes desta decisão. A proposta tinha inclusive o pedido que fosse votada rapidamente, dada a reclamação dos motoristas a defasagem para que eles custeiem despesas com alimentação e hospedagem.

Mesmo diminuindo os valores pagos ao prefeito, vice e secretários e aumentando dos servidores, quando foi a Plenário recebeu críticas da oposição e da situação, porque o Executivo poderia tomar sua própria decisão sem passar pela Câmara, alterando apenas o Decreto, alterado em junho de 2013. O vereador Robertinho fez uma emenda, porque considerou muito pequeno o valor alterado para os funcionários. Mesmo na pauta para ser votado, coube então ao presidente Maycon Douglas Vitor Machado (PDT), fazer o anúncio e seguir a pauta.

Do que estava na pauta, foi aprovado por unanimidade a incorporação de uma área rural de 14,34,43 hectares, localizada na região sul ao perímetro urbano do Município.

Os vereadores Coelho e Antônio pediram a inclusão de dois projetos. Uma abertura de crédito adicional suplementar no valor de R$8.408,22, de contrapartida do Município a um convênio junto ao Ministério do Esporte, para a reforma do Campo de Futebol no Distrito Nossa Senhora do Rosário. Do Governo Federal, virão R$222.857,14. Como o projeto chegou na Câmara nesta segunda-feira e não passou por nenhuma Comissão, Robertinho votou contrário.

O outro é um crédito adicional especial, de R$725.729,54, fruto de um superávit financeiro em contas diversas. Deste montante, R$657.732,99 será aplicado na compra de materiais e no pagamento da empresa ILUMAN, que é responsável pela manutenção do braço de iluminação, luminária, lâmpada, reator e relé. Os vereadores Marlene e Sérgio, disseram que agora podem cobrar com mais efetividade a melhoria do serviço, já que o objetivo de tornar o atendimento mais rápido e eficiente para os munícipes, ainda não foi alcançado e tem muitas ruas no escuro.

COMPARTILHAR