Eric Maciente e Elis Theophlio vencedores do Festival Canto Aberto 2020 etapa local

 

O 8º Festival Canto Aberto versão home live realizado entre quinta-feira e sábado, dias 04, 05 e 06, trouxe excelentes surpresas e levou a musicalidade atráves da internet, já que eventos presenciais não estão sendo realizados no Brasil por causa da pandemia do  Covid-19. A maneira encontrada pela organização, agradou ao público e bombou na internet.

Gente que vários lugares do Brasil e do mundo assistiram a live e acompanharam uma super produção, impecável, gerada diretamente do gabinete do prefeito Marcelo Chaves Garcia (PSD). A sala onde são tomadas as decisões quanto aos rumos de Três Pontas, se transformou em estúdio e levou uma mensagem que tem trazido alento às pessoas nestes tempos difíceis que estamos vivendo. Uma equipe de profissionais se desdobrou e fez algo inédito, com um medo enorme de que algo pudesse dar errado e que fosse além dos seus esforços. Foram selecionadas e apresentadas 30 músicas, sendo 20 da etapa nacional e 10 da local.

A apresentação foi do próprio secretário de Cultura, Lazer e Turismo Alex Tiso Chaves, com a participação de Mauro Marques, membro da Comissão Organizadora. Eles tem experiência de muitos anos em realizar eventos, mas Alex não escondeu que o on-line foi bem mais difícil, diante de todas as incertezas. “Estou muito feliz”, repete três vezes Alex, para demonstrar sua alegria e a sensação gostosa de manter vivo o Festival Canto Aberto, diante de um ano difícil para a cultura e seus artistas. Alex agradeceu a toda a equipe da Casa da Cultura e todos aqueles que estiveram a frente da organização trabalhando em mais um festival. Para ele, tudo foi além das expectativas. Ele explica que a classe artística que foi a primeira a ser prejudicada, tem feito muitas lives e a ferramenta tem servido para acalentar os corações das pessoas, mas o setor deve ser o último a se reestabelecer.

Ao prefeito Marcelo Chaves a gratidão por ter a oportunidade de realizar aquilo que Três Pontas tem potencialidade em promover, fazendo com que tudo funcione de uma maneira bem melhor. Alex também agradece a todos os patrocinadores, que acreditaram que é possível fazer cultura mesmo em tempo de pandemia, de forma diferente, mas sempre bem feito.

A edição se tornou especial, pois abriu um leque para compositores que presencialmente não participariam. O segundo colocado por exemplo da etapa nacional, é de Toulouse na França. Na visão dele, o Festival teve um saldo extremamente positivo, com 176 inscritos, com um total de 15 jurados em todas as fases, com um gabarito muito grande, mas que tiveram dificuldades com a qualidade das músicas. Alex acrescenta que o Festival está crescendo, por isto, tem o reconhecimento do Patrimônio Histórico e está inventariado e foi premiado pelo Cidades Inteligentes.

Mauro Marques postou em uma rede social que a cultura voou. Três Pontas visitou as nuvens e o Deus da música estava lá. “E nós, cá embaixo fazendo a conexão dos nossos artistas com Deus. Porque é assim que a música faz. Conexão dos humanos com Deus”. Maurinho agradeceu a todos que participaram, seja competindo, seja assistindo e afirmou que a missão foi cumprida e desejou: “que ano que vem possamos fazer nosso festival ir bem mais além que as nuvens, crescermos até sermos os maiores”, refletiu.

Os jurados fizeram suas avaliações também virtualmente. Antes das apresentações começarem, eles mostraram o agradecimento pelo mimo que receberam da Cocatrel. A cooperativa enviou à eles, as marcas dos cafés, chocolate, doce de leite e brindes da marca.

Eles tiveram muito trabalho e os artistas trespontanos demonstraram uma qualidade incrível, já conhecida nos palcos, desta vez no vídeo. A vencedora da etapa local foi a cantora e compositora Elis Theophilo, que levou para casa o troféu Marco Aurélio de Aquino, com a canção de sua autoria, “O que move o ser”. Os trespontanos vencedores foram até o estúdio e participaram ao vivo da entrega dos troféus. Elis estava extremamente feliz e chorou por ter vencido pela primeira vez um festival. Ela contou que as pessoas a perguntavam porque ela nunca tinha ganho, mesmo participando de vários festivais. Elis respondeu que não se sentia preparada, mesmo agora depois de ter ouvido o anúncio que foi a campeã. Segundo a artista, ela não se considera a melhor, mas o trófeu de primeiro lugar do Festival Canto Aberto 2.020 foi para suas mãos. Meio as lágrimas e com a voz embargada, Elis agradeceu a Deus, seu companheiro de apresentação Éric Maciente, sua família que reza e torce por ela e seus amigos.

Elis vai se apresentar durante a inauguração do Centro Cultural Milton Nascimento, que acontece dia 28 de junho, quando o espaço será reaberto ao público. A reabertura será feita em uma live e o show dela também.

A felicidade de Alex Tiso também é pela campanha de arrecadação de cobertores e agasalhos. Trespontanos e gente de vários lugares fizeram doações que serão encaminhadas para a Secretaria Municipal de Assistência Social, que já tem as famílias cadastradas que precisam de ajuda e não tem condições de ter um simples cobertor nestes frios que ainda estão por vir com a chegada do inverno.

O secretário de Cultura Alex Tiso, o segundo colocado da etapa local Ismael Tiso, a campeã Elis Theophilo e o membro da Comissão Organizadora Mauro Marques

A premiação na fase nacional foi do 1º ao 10º lugar, começando com R$1 mil e o último R$100, de forma decrescente. Já na etapa local, os premiados foram do 1º ao 5º colocado, recebendo por ordem de classificação decrescente R$1mil, R$ 800, R$ 600, R$ 400 e R$ 200. Foi premiada também a música mais comunicativa. Com 22,8% dos votos, “Abrigo” de Vitória da Conquista na Bahia recebeu o prêmio de R$500 em dinheiro e o troféu Cocatrel. Depois das apresentações na sexta-feira e no sábado houve a apresentação com o pianista Kiko Continentino e Lucynha Lima e a Banda 14 Bis.

VEJA A RELAÇÃO DOS VENCEDORES

FASE LOCAL

1º Lugar
Troféu Marco Aurélio de Aquino
O QUE MOVE O SER
Autora e Intérprete: Elis Theophilo

2º Lugar
Troféu Gileno Tiso
A VELHA QUE A CASA ESCONDIA
Autores: Ismael Tiso e Miller Sol
Intérprete: Ismael Tiso

3º Lugar
Troféu Jaime Abreu
NÃO TEM PREÇO
Autor e Intérprete: Bruno Alves

4º Lugar
O VENTO
Autores: Chico Canela e Cássio Tiso
Intérprete: Morena

5º Lugar
BLUES, CAFÉ E PESCA
Autores: Wellington de O. Silva e Jhonathan Gleyser Oliveira
Intérprete: Stay Clean

FASE NACIONAL

1º Lugar
Troféu Haroldo Jr
O VENDEDOR DE PIPAS (Montes Claros/MG)
Autor e Intérprete: Ronaldo Tobias

2º Lugar
Troféu Wagner Tiso
SOL DOS SIGNOS (Toulouse/França)
Autores: Bruno Kohl e Lucas Madi
Intérprete: Lucas Madi

3º Lugar
Troféu Padre Victor
ABRIGO (Vitória da Conquista/BA)
Autores: Leilane Coutinho/Dado Pedreira/Paulo Macedo
Intérpretes: Leilane Coutinho e Paulo Macedo

4º Lugar
COMO A PRIMEIRA VEZ (São Paulo/SP)
Autores: Marília Albiduani e Zé Alexandre
Intérprete: Zé Alexandre

5º Lugar
DISSONANTE (Três Rios/RJ)
Autores: Gustavo Boná e Felipe Carretiero
Intérprete: Gustavo Boná

6º Lugar

CEIA (Paraty/RJ)
Autor: Hugo Brasarock
Intérpretes: Hugo Brasarock e Márcia Yaiá

7º Lugar
EXÍLO (Guarulhos/SP)
Autora e Intérprete: Aline Rissuto

8º Lugar
A DANÇA COM MANTO DE PENAS (São Roque/SP)
Autores e Intérpretes: João Bid e Edson D’aísa

9º Lugar
NAS CORDAS DE UMA VIOLA (Contagem/MG)
Autor e Intérprete: Bilora

10º Lugar
SEDUÇÃO (Taubaté/SP)
Autores: Cacá Negretti e Paulo Henrique Ribeiro
Intérprete: Paulo Henrique Ribeiro

MÚSICA MAIS COMUNICATIVA
Troféu Cocatrel
ABRIGO (Vitória da Conquista/BA)
Autores: Leilane Coutinho / Dado Pedreira / Paulo Macedo
Intérpretes: Leilane Coutinho e Paulo Macedo
(Eleita por voto popular com 22,8%)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here