(Foto: REUTERS/Kai Pfaffenbach)

Por Loui Jordan

Na tarde de hoje (17), o Flamengo fez 3 a 1 sobre o bom Al-Hilal e chega a sua segunda final de um torneio mundial de futebol. O jogo não foi fácil, principalmente no primeiro tempo, no entanto, após o intervalo o rubro-negro melhorou e mostrou sua força e capacidade de reação. O time brasileiro aguarda o outro finalista que sairá só amanhã.

Primeiro Tempo

Na primeira etapa o Al-Hilal foi superior durante todo o tempo. O Flamengo em praticamente nenhum momento conseguiu encaixar uma jogada, Everton Ribeiro estava bem marcado, Gabigol isolado e Bruno Henrique nervoso e sem a precisão de sempre.
O time da Arábia Saudita fez o gol em uma jogada bem coletiva e inteligente. O atacante Giovinco teve boa visão para abrir o jogo para o lado direito após encontrar o centro povoado de Flamenguistas, e aí não deu outra, o lateral direito deu um passe açucarado para a área e Salem bateu para fazer 1 a 0. Detalhe, o gol foi aos 17, mas aos 15 o campeão asiático já havia exigido bela defesa de Diego Alves.
O Flamengo foi bem neutralizado e demonstrou as falhas que cometeu na final da Libertadores, o melhor jogador rubro-negro foi Gerson, foi o menos errante em termos de paciência e lucidez.

Segundo Tempo

A segunda etapa foi totalmente inversa em relação ao primeiro tempo. O Flamengo voltou e foi mais “venenoso” ofensivamente e em suas articulações de jogadas. O gol de Empate foi de Arrascaeta, aos 3 minutos, após bela jogada coletiva, a primeira efetiva do time carioca. O gol deixou os adversários pressionados e acabaram saindo da zona de confortoe a virada foi questão de tempo.
Bruno Henrique, após cruzamento excepcional de Rafinha, fez 2 a 1 aos 32 minutos, e quando o marcador apontava 36, em jogada de Diego e Bruno Henrique, o bom zagueiro Ali Albulayhi fez contra, fechando o marcador. O clube da Gávea teve mais volume e intensidade no tempo complementar e soube nocautear o adversário. O resultado acabou sendo justo.

Ajustes para a decisão

Embora Rafinha tenha sido fundamental no primeiro e segundo gol, assim como Diego teve sua participação no segundo e no último, o aspecto de jogadas mais produtivas e o balanço defensivo, precisam de melhorias.
O Flamengo teve dificuldades defensivas no setor de Pablo Marí, já o Rodrigo Caio foi bem mais uma vez. O espaço entre os zagueiros e os volantes, também deixou a desejar, o Flamengo em certos momentos fica espaçado e muito, com uma movimentação muito previsível. Jorge Jesus e companhia terão que ajustar esses empecilhos, afinal o time coletivamente sofre com esses déficits.
A outra questão é a jogada produtiva, em diversos momentos faltou apoio e uma melhor opção de passe. Nos primeiros 45 minutos, o quarteto ofensivo vermelho e preto não existiu, isso é preocupante. Enfim, se acertados, o lado coletivo vai fluir melhor e as individualidades aparecerão com mais facilidade, o Flamengo tem resistência e capacidade de virar partidas, mas nem sempre isso vai acontecer.

O adversário da decisão

O adversário do Flamengo na decisão do Mundial de Clubes, será Liverpool ou Monterrey. O jogo será nesta quarta-feira (18), às 14h30 pelo horário de Brasília. O clube inglês é muito favorito, mas vale lembrar, é bom jogar bola para evitar surpresas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here