f

 

Um trecho em que as curvas fechadas, impedem ultrapassagens seguras, veículos pesados seguram o trânsito, mas o pior, oferecem risco aos milhares de motoristas que percorrem todos os dias, uma distância perigosa de 28 quilômetros, entre Três Pontas e Varginha.

Em 2019, foram 104 acidentes neste trecho da via, com 41 vítimas. Além das perdas irreparáveis que esse tipo de acidentes, provocam um custo de R$4 milhões, gastos com todo o aparato estatal, a cada vez que eles acontecem, como o socorro feito pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), hospitais da área, entre outras despesas, que saem das prefeituras, sobretudo de Três Pontas e Varginha.

As consequências disso, é que muitas famílias já sofreram a dor pela perda de um membro, um amigo ou um conhecido. A realização de uma obra neste trecho, é demanda antiga e muitos moradores relatam que diante de tantas promessas, há tantos anos, é precisou ver para crer. O sonho começou a se tornar realidade no fim do ano passado, quando o deputado federal líder da bancada mineira no Congresso Nacional Diego Andrade (PSD-MG), anunciou em sua rede que havia conseguido um montante vultuoso de R$9.575.191,00 para a obra saísse do papel. O dinheiro já está empenhado e alguns dias, depois, o governador Romeu Zema (Novo), agradeceu o empenho do parlamentar também via rede social. A presença de Zema foi confirmada, e ele, juntamente com outras lideranças políticas, aportaram em Três Pontas na manhã desta segunda-feira (11), para o anúncio da grande notícia, no Plenário Presidente Tancredo Neves, da Câmara Municipal de Vereadores e assinatura do contrato. O local foi restrito a poucas autoridades e o evento transmitido para a parte externa e nas redes sociais da Prefeitura.

O investimento total é de R$14 milhões – sendo R$9.575.191,00 (80% de recursos) de emenda federal do deputado Diego Andrade, mais R$1 milhão de emenda do deputado estadual Mário Henrique “Caixa” (PV) e o restante (20%) será complementado pelo Estado.

Os recursos para as obras foram obtidos por meio do programa “Abrace uma Rodovia”, lançado recentemente pela Secretaria de Estado de Infraestrutura, em que os parlamentares destinam emendas para obras em rodovias estaduais de Minas. O projeto está pronto, passará pela análise da Caixa Econômica Federal (CEF) e caso seja necessário pode sofrer alguns ajustes.

O secretário estadual de Infraestrutura de Minas Gerais Fernando Marcato, divulgou que o trecho ganhará uma terceira faixa de 10 quilômetros interligando os dois municípios, nos pontos mais críticos e também acostamentos em toda a área. A previsão é de que a obra tenha início no segundo semestre de 2021 e conclusão no fim do primeiro semestre de 2022. Apenas com a terceira faixa espera-se uma redução de R$ 3,8 milhões em custos com acidentes de trânsito anualmente. A obra vai beneficiar cerca de 180 mil pessoas.

Em seu discurso, o secretário Marcato disse este era um momento simbólico. Que o Estado vem sofrendo muito a falta de recursos e normalmente a pasta de infraestrutura é que sofre o maior reflexo disso, porque são obras caras que demandam muitos recursos. Em números, o DER em 2014 tinha o orçamento de manutenção de rodovias de R$600 milhões, hoje está em torno de R$200 milhões. Os valores vem caindo vertiginosamente em função da falta de recursos. No caso das BR’s, o gasto do Governo Federal é em torno de R$128 mil por quilômetro, em Minas é apenas R$44 mil.

Foi durante um almoço com Zema que ele falou da necessidade de fortalecer a parceria com os deputados federais e estaduais, com a visão de que o papel do governo nem sempre é gastar o dinheiro, mas fazer a boa coordenação, priorizar. Foi assim que no final do ano passado, foi lançado o programa “Abrace uma Rodovia Mineira”. Ele oferece aos deputados um conjunto de projetos que são tecnicamente priorizados pelo DER para que as emendas possam ser destinadas. “As vezes se criticava que as emendas não vão para o que é prioritário, porque não existe essa conversa alinhada com o governo do estado. E é isso que o programa faz, esse alinhamento e nada mais simbólico estarmos aqui hoje para inaugurar o primeiro repasse de recursos para rodovias com o deputado Diego Andrade federal na Câmara Federal e também com o deputado estadual Caixa. Diego Andrade conseguiu quase R$10 milhões do Ministério do Desenvolvimento Regional, Caixa mais R$1 milhão e o restante estamos complementando para investir aqui,” explicou o secretário de Estado.

O deputado estadual Mário “Caixa”, mencionou que sempre foi cobrado dentro de casa, pelo seu pai, o ‘Seu Mário’ da Auto Escola, que é motorista e vive correndo os perigos. Antes de sair de Varginha para receber o governador, Caixa avisou o pai que a terceira faixa sairá. A felicidade dele é mútua, em atender um pedido do pai e de tantos trespontanos, trabalhadores que pegam a rodovia todos os dias. No caminho até sua terra natal, Caixa diz ter passado por 30 carretas e encerrou cumprimentando a todos envolvidos, citando o nome inclusive de vereadores. “Podem continuar contando com o deputado Caixa, com o deputado Diego Andrade que tem todo carinho e atenção com a nossa cidade” registrou Caixa.

O deputado Diego Andrade começou agradecendo ao governador relatando que sua presença e atenção, demonstram o seu compromisso com a região do Sul de Minas. Sobre a equipe de Zema, deu o testemunho que é competente, que no feriado de Natal estavam cadastrando as propostas para que os tramites fossem concretizados.

O líder da bancada mineira, falou do seu trabalho para garimpar os R$9,5 milhões, fruto das possibilidades que o posto que ocupa lhe oferece, mas é necessário muito diálogo e alguns fortalecimentos. Ele justificou que antes, nenhum deputado federal podia colocar recurso federal em estradas estaduais, por força da proibição que existia na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O deputado majoritário em Três Pontas pegou isto como tema, para mudar a realidade desta e de outras rodovias e percebeu que isto ocorreu nos últimos 20 anos.

Diego foi ao relator do Orçamento, seu colega de partido, o deputado cearense Domingos Neto, abriu a porta, pediu ajuda e demonstrou que Minas Gerais tem milhares de estradas estaduais para receberem melhorias e o Estado está em dificuldades. Com isto, Diego ganhou o apoio do deputado Júlio Cesar, que é líder da bancada do Nordeste e do senador Marcelo Castro do Piauí, que entraram na briga e assim foi possível alterar o Orçamento. “Ali tivemos a primeira vitória que era a possibilidade de colocar recursos federais em estradas estaduais, que hoje está aberto no governo federal”. O deputado continua detalhando que em seguida o trabalho foi para viabilizar o dinheiro, que não é de emenda de bancada e sim, graças aos acordos positivos que se dão. Pelo que discursou, abriu mão da presidência da Câmara, que seria difícil, desprovido de vaidades, priorizando o que é possível e fechou apoio à candidatura de Arthur Lira (PP-AL), que é o candidato do presidente Jair Bolsonaro. Ele diz que não se pode ter um presidente ‘do contra’.

Voltando a falar da obra na 167, ele diz que não quis fazer publicidade disso na época da Eleição, mesmo com tudo já acontecendo. “A gente tem que dar notícia quando já está viabilizado. Da mesma forma o governador, que não prometeu obra nenhuma, diferente de tantos que passaram aqui e prometeram isso para nós”.

Já o governador Zema começou dizendo que já veio várias vezes em Três Pontas como empresário, mas que a sua visita desta vez era para ele um dia muito especial. Mencionando que não fez promessas nem compromissos na sua campanha, porque sabia que iria assumir um Estado quebrado e pior, com dívidas quase que impagáveis. Zema chamou a atenção aos mencionar os números. Porém, ele sempre acreditou em disciplina e seriedade e apesar de ver que a situação continua séria em Minas, já não é tão grave quanto há dois anos atrás. Com criatividade, a ajuda de emendas dos deputados, tem sido possível viabilizar alguns sonhos antigos como a terceira faixa da MG 167. “Então, fica aqui os meus agradecimentos, aos deputados, Diego Andrade e Caixa que foram parceiros importantíssimos”, concluiu o governador mineiro.

O prefeito de Varginha Verdi Lúcio Melo (Avante), reconheceu no discurso o trabalho que Zema faz diante da situação em que assumiu o Estado, e que por isso, era preciso estender à ele, porém, não vermelho, cor do PT, sigla que o antecedeu em Minas, mas da cor verde.

O prefeito Marcelo Chaves Garcia (PSD), que não pode comparecer por estar se recuperando em casa da Covid-19, gravou um áudio veiculado na cerimônia, em que agradece o governador e os deputados Diego e Caixa, afirmando eles são responsáveis pela realização de um sonho, que está próximo da realidade.

O vice prefeito Luis Carlos da Silva (PP), também agradeceu e reafirmou que a terceira faixa, já foi motivo de gozação quando se fala do assunto, dado a tantas promessas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here