Fotos: Divulgação

Loui Jordan

Cantar a música brasileira, especialmente a nossa música mineira sempre foi o forte do grupo musical Morena de Três Pontas. O ritmo do Paracatu tipicamente nordestino, também marcou a carreira do grupo que era na verdade, um quarteto formado só por mulheres no vocal. O sucesso estrondoso em apresentações em bares e festivais, fez com que as meninas expandissem seus territórios e ganhassem públicos em várias cidades da região. Das quatro integrantes que por sete anos cantaram juntas, duas seguem carreiras solos, contudo duas resolveram dar continuidade ao trabalho em 2018.

A professora de música Lidyane Brito e a advogada Laise Reis seguiram em frente e agora esbanjam talentos por onde passam. A ideia é dar continuar, só que agora em dupla. Com um repertório repaginado, a homenagem à nossa música mineira se alavanca com as referências ao “Clube da Esquina” e Milton Nascimento. Além disso, o Maracatu com seu ritmo contagiante e envolvente enche o repertório durante as apresentações por todo o Sul de Minas.

Mas não só o tributo ao Clube da Esquina faz parte da pasta musical das meninas. A Bossa Nova fica ainda mais atraente na interpretação desta dupla de sucesso. Apesar das dificuldades com patrocínio, Lidyane e Laise dizem que tudo é feito por amor à arte, tanto que para participar de festivais, investem do próprio bolso para as viagens à cidades onde participam, como Varginha, Boa Esperança e para isso, se apresentam em barzinhos como todos os artistas que precisam mostrar seus trabalhos. Às vezes acompanhadas por apenas um músico, ou em festivais por uma banda, as meninas afirmam que vale a pena o esforço e o amor à musica fala mais alto.

As duas se prearam agora para os próximos compromissos em festivais e devem apresentar música autoral, de composição em parceria com Valéria Pisauro da cidade de Campinas (SP). A música “Guerreiras”, que fará parte de três festivais da canção, no dia 4 de julho em Três Pontas, durante o Festival Canto aberto, nos dias 12 e 13 de julho no Festival Genny Gomes de Caxambu e claro, no dia 24 de agosto novamente em Três Pontas, só que dessa vez pelo Festival Nacional da Canção (Fenac), relata um acontecimento que foi complicado para Lidyane que sofreu um acidente em 2018, ao lado de amigos trespontanos enquanto se dirigia para a passagem de som no Festival de Boa Esperança. Apesar da gravidade do acidente e destruição do carro, tudo se recuperou e os envolvidos estão bem.

Este episódio serviu para unir ainda mais os amigos e ao receber a letra de “Guerreiras”, Lidyane entendeu que a música falava exatamente desta luta após o acidente e, principalmente porque estava grávida. A letra enaltece a força da mulher, a superação fortaleceu ainda mais a vontade de correr atrás do sucesso musical. Com esta canção, conseguiram emplacar mais simpatia ainda do público. Dentre centenas de canções, esta música se tornou muito especial e peça chave no repertório do grupo.

Apesar da dificuldade para juntar a turma para os ensaios, já que sempre se tem um trabalho paralelo ao da música, Lidyane e Laise seguem se apresentando. Em 2017, quando ainda era quarteto, no Festival Nacional da Canção, a música “Se minha morena cantasse” de Sérgio Carioca e André dos Santos, fez o maior sucesso na voz do Grupo Morena. Esta música também ganhou as redes sociais e bombou na internet, principalmente porque as crianças e adultos passaram a cantar. “Fizemos um ensaio aberto na praça e lotou” celebram as Morenas. Vale pontuar também que em 2018 o grupo ficou com o segundo lugar do Festival Canto Aberto, com a música “Fé, cifra, café”, primeira parceria com a letrista Valéria. Quem desejar conhecer o novo trabalho do Grupo Morena pode acessar o link no Youtube.

Detalhes sobre a canção

Música: Guerreiras

Composição letra: Valéria Pisauro

Composição musical: Lidy Brito e Laíse Reis

Interpretação: Grupo Morena

Presença nos eventos

Canto Aberto – 04 e 06 de julho em Três Pontas

Festival Genny Gomes – 12 e 13 de julho em Caxambu

Fenac – 24 de agosto em Três Pontas

A música une e estabelece laços, o Grupo Morena chega para os festivais afim de compartilhar seus sons e ritmos. Experiência, talento, dedicação, vontade e qualidade da boa música, são aspectos que sobram para elas, apreciar e admirar esse tipo de dom, é também fazer parte de um enredo musical onde todos participam.Assim, passo a passo e de música em música a dupla segue cantando e encantando nos palcos da vida e se depender do talento e simpatia destas guerreiras, muito sucesso está por vir.

COMPARTILHAR