A sessão ordinária da Câmara Municipal desta segunda-feira (20), deixou claro que a relação entre Executivo e Legislativo está cada vez mais complicada. Apesar de sempre prestigiar os vereadores com a sua presença em eventos realizados, é evidente que o prefeito Marcelo Chaves Garcia (MDB) não tem a maioria na Câmara. Até mesmo os defensores mais ferrenhos como Geraldo José Prado, o Coelho (PSD) e o vice presidente Antônio Carlos de Lima, o Antônio do Lázaro (PSD) definitivamente se tornaram oposição. São eles os que mais criticam a Administração, principalmente no Pequeno Expediente. O vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS), tem uma relação amistosa com o Chefe do Executivo, faz algumas visitas ao gabinete e é ele quem as vezes tenta amenizar a situação durante algumas discussões, mas acaba sendo em vão, diante do coro se forma contrário a ele. A dita oposição tem ficado em silêncio e assistido a fúria dos vereadores da base que não tem poupado a gestão.

O vereador Coelho até tenta demonstrar em algumas sessões que tem um bom relacionamento com a gestão e que as coisas irão melhorar, registrando a falta de recursos e a crise financeira que a Prefeitura enfrenta. Mas basta sete dias se passarem, para na reunião seguinte ele mudar de ideia e voltar a dizer que a situação está insustentável. Que falta realizar serviços básicos, como tapa buracos e a limpeza da cidade, já que eles são cobrados em toda a cidade. Um dos exemplos é a situação das ruas do bairro Vila Romana onde Coelho mora, cheia de buracos precisando ser recapeada. O secretário de Transportes e Obras Maquil dos Santos Silva Pereira havia prometido a ele que em um mês resolveria o problema, mas isto não aconteceu. Segundo Coelho, ao falar com o Maquil, foi informado que a Prefeitura teria gasto muito para tapar buracos no bairro Cidade Jardim, onde o vereador teria gravado um vídeo e cobrado providências. “Isto virou perseguição política, do prefeito, do secretário de Obras e da Chefe de Gabinete, a mim e ao Antônio. Nós estamos trabalhando, trazendo recursos para a cidade, mas cobramos aquilo que a população nos pede todos os dias”, avaliou. Ele emendou dizendo “as semanas passam e os problemas são os mesmos”. Para Coelho, é preciso eleger a terceira via nas Eleições municipais do ano que vem. A cidade não pode ter apenas dois grupos políticos se revezando no poder.

Se Antônio do Lázaro fosse Coelho se mudaria do bairro, pois a situação é vergonhosa. Falta talvez seja tempo para o prefeito e secretário de Obras andar pela cidade, pelo menos uma vez por semana e verificar que o Município está uma vergonha. Um destes exemplos, é que a poda de árvores que estão na Praça do Distrito do Quilombo Nossa Senhora do Rosário, solicitada por ele e com autorização dada pelo setor de meio ambiente faz mais de um ano. Em ofício, Maquil teria respondido que estava sem condições de fazer o serviço.

Na opinião de Antônio, se tiver boa vontade de trabalhar e competência dá para fazer, mesmo porque, de acordo com o vice presidente da Câmara, dinheiro está chegando, citando os recursos disponibilizados pelo deputado federal Diego Andrade (PSD-MG).

Os pedidos feitos por outros vereadores durante o Pequeno Expediente confirmam a situação. Roberto Donizetti Cardoso (Podemos), comentou que galhos de árvores cortados a três semanas foram deixados no canteiro central da Avenida Barão da Boa Esperança e até hoje não foram retirados. “Será se ninguém passa lá e vê isto. Os galhos já secaram”. Robertinho também refez a solicitação pela limpeza em torno da Escola Caic. O local está cheio de sujeira e com mato muito alto.

A secretária da Mesa Diretora Marlene Rosa Lima de Oliveira (PDT) pediu envio de ofício ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) para que conclua uma obra no final da Rua Afonso Pena, próximo do cruzamento com a Avenida Conceição Queiroz Marinho. Lá existe um buraco enorme no meio da rua que já tem dois meses.

A vereadora terminou seu tempo na Tribuna para reclamar que quando há sepultamentos a noite no Cemitério Municipal, não estão acendendo as luzes da rua principal. Outro dia, foi preciso que as pessoas usassem as lanternas dos seus aparelhos celulares.

O presidente Maycon Douglas Vitor Machado (PDT) parabenizou os organizadores do Campeonato de Jiu Jitsu realizado neste fim de semana no Ginásio Poliesportivo Aureliano Chaves que envolveu muitos atletas, principalmente as crianças. Ele também destacou a importância da Expocafé realizada na semana passada que trouxe a tecnologia para o homem do campo e movimento a cidade e sua economia. Maycon concluiu convidando a todos para participarem da Novena e Quermesse da Padroeira Nossa Senhora D’Ajuda, que acontece até o próximo fim de semana na Praça Cônego Victor.

O vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB), criticou novamente as pessoas que não conhecem o funcionamento da máquina pública, expressão suas opiniões e querem debater como se entendessem do assunto. Érik comentou que o problema maior do país é gastar muito mal, inclusive na educação.

Os exemplos citados por ele são locais. Quando assumiu a Secretaria Municipal de Educação no mandato anterior, encontrou R$200 mil parados, 150 furadores de papel e 16 aparelhos de ar condicionados parados. E estes gastos não são apenas do setor público. As famílias que deveriam investir na educação o dinheiro do Bolsa Família não fazem. A ex vereadora Valeria Evangelista contou a Érik, que a mãe de uma aluna a procurou pedindo ajuda para comprar materiais escolares no início do ano. Como Valerinha era a professora da menina, ela sabia que a criança recebia o benefício do Governo Federal. Se assustou quando a mãe disse que não poderia usar o dinheiro na compra do material, porque tinha o compromisso de pagar uma antena de TV por assinatura. O vereador tucano finalizou afirmando que é favorável aos cortes na educação na esfera federal sim, porque governos passados também investiram mal.

Informações de veículo da frota em Requerimento

A pauta nesta segunda-feira foi mínima, com a votação apenas de um Requerimento do vereador Robertinho. Ele está requisitando ao Poder Executivo, informações de todos os gastos e a situação atual do veículo placa HMH – 4130, que pertence ao Município.

Ele quer de forma especificada a relação de peças e mão de obra, realizados desde janeiro de 2017 até os dias atuais. O Requerimento foi aprovado e será encaminhado ao Poder Executivo.

COMPARTILHAR