Dom Pedro Cunha e padre José Rodrigo descerraram a placa que marca a nova titularidade da Paróquia do bairro Catumbi - Nossa Senhora das Graças

 

A Igreja de Nossa Senhora das Graças, no bairro Catumbi, em Três Pontas, se tornou oficialmente nesta quarta-feira (24), data histórica, a Matriz de Nossa Senhora das Graças. Construída na década de 50, pelo Monsenhor Fernando Sales da Silveira, o templo se torna um ponto de unidade e é elevado honradamente à Matriz.

No início da missa solene presidida pelo bispo da Diocese da Campanha, Dom Pedro Cunha Cruz, foi feita a leitura do Decreto, pelo padre Joaquim José Soares, que voltou a Três Pontas e ficou surpreso com o que viu. Ele foi seminarista durante dois anos na época do padre Francisco e atualmente está em São Bento Abade. O documento lido por ele, garante que foi obtido o parecer favorável do Conselho Presbiteral da Diocese da Campanha alterando o título da Paróquia, de Cristo Redentor para Paróquia Nossa Senhora das Graças.

O Decreto depois, é transcrito no Livro de Tombo da Paróquia e está assinado, além de Dom Pedro, também pelo Chanceler do Bispado, Cônego Luzair Coelho de Abreu.

A alteração passou por consulta de toda a comunidade e sob olhar do pastor diocesano Dom Pedro Cunha Cruz, decidiu-se pela mudança, sem nenhuma intenção de desmerecer o Cristo, mas sim, de alegrar o coração da Mãe, pois o Cristo já se faz presente em todas as comunidades e em todas as memórias eucarísticas celebradas.

A Paróquia do Cristo Redentor foi elevada em 06 de janeiro de 2008, tendo atualmente 10 comunidades no total, sendo seis urbanas e quatro rurais. São elas: São Cristóvão, São Judas Tadeu, Sagrada Família, Beato Padre Victor, Santa Rita, Santo Expedito, Santa Isabel de Portugal, São Sebastião e Santa Maria, além da Matriz Nossa Senhora das Graças.

A mais nova Matriz de Três Pontas ficou cheia. Fiéis da Paróquia e das outras Nossas Senhoras, D’Ajuda e da Aparecida prestigiaram a celebração, entre eles o prefeito Marcelo Chaves Garcia.

Matriz Nossa Senhora das Graças ficou lotada na missa de mudança de titularidade (Fotos: Denis Pereira – Equipe Positiva)

Fez se justiça, a memória de todos os que passaram e depositaram sua fé sob o olhar da Senhora das Graças, leigos, leigas, religiosos e religiosas. Sem esquecer das Irmãs de Nossa Senhora de Fátima que moraram na paróquia e também os seminaristas e sacerdotes, aqueles que conduziram a paróquia ao longo destes anos 11 anos.

É preciso lembrar da passagem rápida mais marcante de padre Décio de Assis Roque e por último, padre Rogério Augusto da Silva, que durante 10 anos, conduziu fielmente este rebanho. O Cônego Francisco Ferreira que tanto evangelizou seu povo também foi lembrado com saudades.

Durante sua homilia ao evangelho, Dom Pedro afirmou que um sacerdote não consegue trabalhar sozinho, pediu que a comunidade esteja junto com o padre Rodrigo e que os verdadeiros católicos são aqueles que vão a Igreja, não pelo padre que está lá, por um amigo que ele encontra nas celebrações ou por algum membro dela, mas sim, por Deus.

Após a comunhão, já no rito final, o bispo foi homenageado e reconheceu o envio de padre José Rodrigo, que foi um presente recebido, com entusiasmo, intensas e profundas transformações por ele propostas, os fieis tem abraçado com amor o aumento do número de celebrações e a forma inovadora como tudo tem ocorrido.

O administrador paroquial Padre José Rodrigo também foi surpreendido com uma homenagem das pastorais e movimentos e recebeu uma imagem daquela que se tornou a padroeira do rebanho que ele está sendo pastor desde janeiro.

No fim da missa solene, bispo e padre descerraram a placa inaugural nos fundos da Igreja Matriz. A 1ª Festa de Nossa Senhora das Graças realizada em frente a Igreja, foi concluída com êxito e o movimento das barracas com comidas e bebidas típicas superou as expectativas. Ela uniu e mobilizou pastorais, movimentos e dezenas de famílias e arrecadou recursos financeiros para as atividades pastorais.

 

COMPARTILHAR