(Foto: Getty Images)

Por Loui Jordan

Neste sábado (21), o Liverpool pela primeira vez foi campeão mundial de futebol. O Mundial de Clubes de 2019 disputado no Catar, teve como vitoriosa a equipe inglesa, detalhe, o Flamengo tirou o Liverpool da sua zona de conforto, mesmo assim não foi suficiente. A final foi um grande jogo, com apenas um gol, mas bem competitiva.

O jogo

Em uma breve análise, tivemos dois tempos distintos no Estádio Internacional Khalifa. Na primeira etapa, o Flamengo teve mais a posse e controlou mais o jogo, porém, não conseguiu achar espaços na excelente defesa inglesa. O Liverpool apostava nas bolas esticadas. Na segunda etapa, os Reds começaram melhor, o Flamengo se manteve bem aplicado até as saídas de Everton Ribeiro e de Arrascaeta.

Nos 90 minutos, o bom futebol foi coroado, o Flamengo jogou bola e se comportou muito bem diante do melhor time do mundo. Chances criadas à parte, foi só no começo da prorrogação que Mané achou Firmino sozinho e com a frieza que lhe é peculiar para fazer o único gol da partida. O Liverpool tem seu foco na Premier League, disputou o torneio querendo vencer, mas é bem verdade que se apresentou em um ou duas rotações abaixo do habitual.

O Flamengo também sentiu o aspecto físico. O rubro-negro estava visivelmente cansado, enfim, o título foi merecido, o Liverpool foi mais competente, o Flamengo teve instantes melhores, mas não foi completamente melhor. Ambas as equipes estão de parabéns, é claro que time brasileiro queria a taça, pelo menos saiu de cabeça erguida por jogar um futebol compatível com o esperado.

Melhores em campo

Por parte do campeão, Henderson e Firmino. O volante foi participativo e dominou o seu setor, já o atacante fez o gol decisivo. Por parte do Flamengo e portanto com mais destaque, Diego Alves foi muito bem, Arão errou pouco e soube ocupar os espaços, e por fim, Rafinha, um guerreiro em campo. Moções honrosas para Rodrigo Caio, melhor jogador do Flamengo na competição e Pablo Marí foi bem na decisão.

Lições para o futuro do Flamengo

O Flamengo não pode e não deverá se abater. O clube teve um ano histórico, pode repetir ou até melhorar a performance para a temporada que vem. Serão necessários reforços, manter Jesus e claro, adaptar seu jogo a outros tipos de adversários, mas no conjunto da obra, é de fato o melhor time da América junto ao River Plate e vendeu caro o Mundial.

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here