A homenageada Maria Rosa, recebendo a Medalha da juiza Dra. Aline Modesto. Fotos: Denis Pereira

 

Dona Regina Augusta Guimarães, estava acomodada na primeira fileira do Salão do Tribunal do Juri, para prestigiar sua única e amada filha, em um momento profissional todo especial. A Chefe do Cartório Eleitoral Maria Rosa Guimarães Miari, foi agraciada na tarde desta quarta-feira (11), com a Medalha Desembargador Hélio Costa.

A honraria foi instituída pela Resolução 296 de 1995 e faz homenagem ao Desembargador Hélio Costa, por seu desempenho na magistratura, na qual exerceu os cargos de corregedor-geral de justiça e presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Ele faleceu em 2011, aos 97 anos de idade.

A medalha é concedida bienalmente para agraciar pessoas que venham prestando ou tenham prestado relevantes serviços ao Poder Judiciário das Comarcas do Estado. A escolha não é aleatória, é feita por uma Comissão, que em Três Pontas é presidida pela juíza de Direito Diretora do Foro Dra. Aline Cristina Modesto da Silva, o promotor Dr. Artur Forster, o presidente 55ª Subseção da OAB-MG Juliano Vitor de Brito, pelos prefeitos de Três Pontas e Santana da Vargem, Marcelo Chaves Garcia e Renato Teodoro da Silva e os presidentes das Câmaras, Maycon Douglas Vitor Machado e Luiz Felipe Mendonça Rodrigues.

Dra. Aline presidiu a sessão solene e, junto com as autoridades políticas, a Chefe do Cartório Eleitoral Maria Rosa Guimarães foi anunciada, ao som instrumental de “Maria Maria”, de Milton Nascimento se assentou na Mesa de Honra. O cerimonial chamou a frente para local de destaque, além dos juízes Dr. Enismar Kelley de Freitas e Dra. Raíssa Figueiredo Monte Raso Araújo, os colegas de trabalho de Rosa no Cartório Eleitoral – Luciano, Flávia e Fred.

Rosa “do Eleitoral” ou Rosinha “da Bike”

Maria Rosa Guimarães Miari nasceu em Três Pontas e é a filha única de Regina Augusta Guimarães e sempre residiu em Três Pontas. É casada com Alessandro de Paula Miaria e mãe de duas filhas, Laís e Lívia Guimarães Miari. Estudou inicialmente na Escola Peixinho Vermelho onde “Tia Dalva” a assistia até as 18 horas, horário que sua mãe saia do trabalho. Do pré escolar a 4ª série estudou em escola pública e da 5ª série ao magistério na Escola Coração de Jesus. Durante a sua vida estudantil, destacou-se sempre recebendo Cartão de Honra ao Mérito. Sempre aluna brilhante, prestou seu primeiro vestibular para Letras na Fepesmig, onde mais tarde faria também sua primeira pós graduação em psicopedagogia. Com 18 anos, após sua formação no magistério, iniciou sua carreira na vida pública como professora assistente de sua mãe na sala para alunos especiais da Escola Cônego Vitor. Em 1993 passou no Concurso Público do Estado de Minas Gerais trabalhando como auxiliar de Secretaria também no Cônego Vitor. Fez então concurso para professora do Estado e da Prefeitura, onde seguiu carreira até tomar posse, em 02 de fevereiro de 2000, no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Em 2002, prestou vestibular para o curso de Direito na Fateps, ficando na 4ª colocação mas não concluiu o curso por motivos pessoais. Assumiu a chefia do Cartório Eleitoral de Três Pontas em 2002, gerenciando as atividades da Zona Eleitoral, inclusive nos pleitos gerais e municipais realizados desde então. É pós graduada em Direito Eleitoral pela Universidade de Minas Gerais e na Justiça Eleitoral, possui mais de 1.800 horas de cursos de extensão, aperfeiçoamento, atualização e treinamento. E o apelido de Rosinha da Bike é porque nas horas vagas, sempre aos fins de semana, ela integra um grupo de ciclistas que adoram pedalar de bicicleta e desfrutar da natureza.

A entrega da Medalha Hélio Costa

De pé, a frente da mesa de honra, Maria Rosa recebeu a Medalha da juíza Dra. Aline. Meio as lágrimas, ela também recebeu uma placa dos servidores da Comarca de Três Pontas, em reconhecimento a tantos anos dedicados à consolidação da justiça.

O dentista Alessandro de Paula Miari entregou um buquê de flores à sua esposa e suas filhas Laís e Lívia a abraçaram. Sua tia religiosa Marta, gravou um vídeo em sua homenagem e falou da satisfação em vê-la ser reconhecida.

O reconhecimento à competência de Maria Rosa 

Ao chegar ao final de mais um ano e mais um biênio, quando a Comarca de Três Pontas tem a oportunidade de condecorar aqueles que prestam relevantes serviços ao Poder Judiciário, com tão importante Medalha que é a Hélio Costa, a juíza Dra. Aline Modesto  registrou em seu pronunciamento que a honraria é o reconhecimento de uma atuação notável, servindo a toda a comunidade como exemplo e inspiração.

Inicialmente a magistrada falou do sentimento de mãe – o que Dona Regina estaria sentindo ao ver que sua filha unigênita, seguiu os caminhos da boa educação, do bem, da ética e da moralidade e está sendo reconhecida oficialmente pela Justiça pela excelência de seu trabalho.

“Posso dizer neste dia tão importante, já neste salão do Tribunal do Juri, a Maria Rosa deixa para a Dona Regina a sensação de que tudo valeu a pena. Mais do que isso, deixa para Lívia e Lais, o seu maior legado: o exemplo de retidão, de transparência e de lealdade. Lealdade ao serviço público e seu destinatário que é o povo brasileiro. Não menos importante, hoje a Maria Rosa faz com que o Alessandro saia daqui ainda mais orgulho dessa mulher que escolheu para compartilhar a vida”, justificou a magistrada.

Dra. Aline trabalhou com Maria Rosa, em duas Eleições e justificou que percebeu nela, na prática que a competência não precisa ser necessariamente andar de mãos dadas com o formalismo, com a liturgia, o protocolo e o discurso pronto. Na visão dela, os tempos são outros. Os tempos de hoje são do acesso quase que instantâneo à informação, em que os fatos são retratados em tempo real. Onde a população vive com a geração do desapego e da busca por mais leveza. “Exatamente por isso, acredito que a nossa homenageada consegue alcançar com a mesma eficiência o cidadão mais simples e a autoridade mais importante. O sorriso dela não faz distinção. Ele é sempre aberto e receptivo”, concluiu a diretora do Fórum Dr. Carvalho de Mendonça.

O amigo de trabalho, Frederico Gandra conseguiu que o protocolo formal da solenidade fosse quebrado. Ele trabalhou com ela durante quase 15 anos em Três Pontas, deixou a sua função em Belo Horizonte para prestigiar aquela que ele disse ter muita gratidão e estima enorme.

A homenageada Maria Rosa, a juíza Dra. Aline Modesto e os prefeitos Marcelo e Renato, de Três Pontas e Santana da Vargem

Um misto de surpresa misturado a alegria

Foram estes a reação e o sentimento que sentiu Maria Rosa, ao ser comunicada que receberia a Medalha Desembargador Hélio Costa. Imensamente agradecida aos que decidiram lhe conferir esta distinção, ela reconhece que nenhuma homenagem é individual pois o reconhecimento é também de todo o trabalho exercido pelo Cartório de Três Pontas à Justiça Eleitoral. Assim, ela atribui a honraria a todos que contribuíram ao longo destes anos, para que ela pudesse exercer seu trabalho e fez questão de citar os nomes – dos companheiros que que já faleceram Márcio Vitor de Oliveira e Alberto Messina, também ao Magrinho, Vitinho, Gilvana, Marcos Eugênio, Frederico, Luciano, Flávia e Viviane e a estagiária e juízes que trabalharam com ela. Todo o apoio que a Justiça Eleitoral recebe nas Eleições também foi lembrado pela Chefe do Cartório – os mesários, presidentes de seções e equipe de apoio formado principalmente pelos servidores do Fórum, das escolas e das prefeituras de Três Pontas e Santana da Vargem. “A comenda que hoje recebo tem a participação de todos vocês”.

Desde o início em 2.000, quando possou posse do cargo, muito tempo se passou e foram várias eleições presidenciais e municipais ela diz que trabalha em todas elas com a mesma dedicação, isenção, intensidade e imparcialidade, afinal o trabalho dela e sua equipe, relaciona-se diretamente com a democracia, que hoje se apresenta como resultado de muitas lutas.

Maria Rosa não pôde deixar de repartir a sua alegria com aquela que faz e fez parte da sua formação como pessoa, a sua mãe Dona Regina, seu maior exemplo, quem lhe deu sustentação para exercer seu trabalho, como bases éticas, morais e de respeito.

Quando ela pensa em todo este tempo transcorrido, relembra das incertezas iniciais e inseguranças quando assumiu a chefia do Cartório Eleitoral, porém, foi auxiliada por aqueles que lhe trouxeram apoios fundamentais e a moveram a aprender sempre mais. Com isso veio a maturidade e a confiança mostrando com o tempo que fez as escolhas corretas nos momentos difíceis porque não abandou seus princípios. Por fim, concluiu agradecendo ao marido Alessandro Miari, que nunca a deixou de desistir, a juíza Dra. Raíssa que sempre confiou nela, a sua família, amigas e a Dra. Aline pelo reconhecimento, confiança e o gesto de carinho.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here