A taxista Donilde Maria Oliveira, a “Nilda do Táxi” como é conhecida, de 62 anos, foi vítima de assalto durante a tarde do último sábado (18), durante uma corrida ao bairro Jardim Greenville em Três Pontas. Dois menores de 16 e 17 anos foram apreendidos e um jovem de 18 foi preso, suspeitos do crime.

Nilda recebeu a reportagem da Equipe Positiva, durante a manhã deste dominngo (19), e contou como tudo aconteceu e os momentos de terror que passou quando estava em poder dos criminosos. Ela estava no Terminal Rodoviário, onde trabalha a 26 anos, quando os dois menores chegaram. A taxista estava dormindo e quando percebeu, eles já estavam na porta do seu carro. Eles pediram que os levassem até o bairro Jardim Greenville. Naquele momento, Nilda não imaginou o que aconteceria com ela dali a pouco. Ainda mais que seria vítima de assalto por causa do horário, as 15:30. Eles entraram, um assentou do seu lado e o outro no banco de trás.

No caminho, os dois conversaram com ela sobre coisas do cotidiano. Em determinado momento, o que estava ao seu lado olhou para o comparsa atrás. Foi ela que ela desconfiou e percebeu que eles estavam de boné e usando blusa com capuz. Nilda diz ter sentido um arrepio, mas não podia fazer mais nada. Quando eles chegaram em frente a empresa Lassane, pediram que ela seguisse até um pouco mais a frente, na estrada de terra. Assim que passou da indústria, o que estava atrás deu uma gravata nela, colocou uma faca em seu pescoço e o que estava ao lado apontou-lhe um canivete. Eles determinaram que ela continuasse dirigindo. Depois, mandou que ela estacionasse e descesse. Um deles assumiu a direção e mandaram que ela entrasse no porta malas. Nilda disse que os assaltantes tinham dificuldades para dirigir, já que o carro é automático e nem mesmo conseguiram abrir o porta malas. Foi a própria vítima que teve que abrí-lo, e depois foi empurrada para dentro.

Carro da taxista levado no assalto

A taxista continua contando que um deles assumiu a direção e percebeu que o outro estava assentado no banco traseiro. Eles andaram com ela trancada no porta malas, por mais um tempo. Alguns minutos depois, pararam o veículo, mandaram que ela descesse. Um deles pegou a placa luminosa e a jogou fora, no meio do mato.

Eles pegaram a bolsa dela, viraram no banco, pegaram dinheiro, celular e lhe entregou seus documentos. Nilda pediu as chaves de sua casa que estava em um compartimento na porta e eles a entregaram. Antes de irem embora com seu carro, disseram à ela que abandonariam o carro na entrada de Varginha ou próximo do Shopping da cidade. Eles também fizeram ameaças. Disseram que se chamasse a polícia, eles iriam matá-la, pois sabem onde ela trabalha e onde ela mora.

A vítima ficou a pé e quando retornava em direção a cidade, pegou a placa luminosa que identifica como táxi, que eles haviam jogado fora no meio do mato e custa R$200. Precisando de ajuda, encontrou com um jovem vindo em sua direção. Ele estava com uma mochila nas costas, se assentou em uma área descampada e ficou observando ela passar. Nilda não falou nada e não teve coragem de falar com ele. Ela não sabia, mas este jovem de 18 anos era um dos comparsas e foi ele que estava dirigindo o carro em Alfenas.

Quando perguntamos, o que passou na sua cabeça Nilda Oliveira, disse que naquele momento não sabe o que dizer ou mesmo o que pensar. “A gente fica anestesiada, só pede a Deus para que nada aconteça com a gente”, revelou a taxista chorando. Como ela não era a primeira da fila no ponto de táxi, Nilda acredita que foi escolhida por eles por ser mulher.

Armas e canivetes usados no assalto

A busca pelos suspeitos

A Polícia Militar foi chamada, acionou o cerco em várias cidades da região. Eles conseguiram as imagens do circuito de segurança e identificaram os dois suspeitos, já bastante conhecidos no meio policial.

Em Alfenas foi feito o cerco. Assim que o veículo entrou na cidade, houve perseguição e depois de alguns quilômetros, o pneu do carro estourou e motorista, um jovem de 18 anos parou, os três desembarcaram e foram abordados. No veículo estavam as facas e o canivete usados no crime.

Eles disseram apenas que roubaram o carro para levar para Alfenas, mas não deram mais detalhes. O jovem foi preso e os dois menores apreendidos.

Os dois que moram nos bairros Santana e Eucalipto tem diversas passagens pela polícia. Eles já estiveram internados em Centros Sócio Educativos da região, mas bastaram saírem que voltaram a agir.

Imagens circuito interno de segurança. Créditos: Equipe Positiva

Taxista já foi assaltada

Esta é a segunda vez que Nilda é assaltada. A primeira vez acabou sendo vítima de um casal que solicitou uma corrida a noite para a cidade de Santana da Vargem. Ela iniciou o trajeto e no caminho, o homem alegou que a mulher estava grávida e que precisava parar porque estava se sentindo mal. Em um ponto da rodovia, ela parou o táxi, a moça desceu, o rapaz sacou um revólver, anunciou o assalto e mandou que ela não reagisse pois todos ficariam bem. Eles mandaram ela dirigir até Campos Gerais. Foram pedindo dinheiro, carteira e seu celular. Na estrada de Campos Gerais, mandaram ela parar. Nilda teve que descer, lhe entregaram uma Bíblia que carregava no táxi e levaram o carro. Ela caminhou até chegar em uma casa na beira da rodovia, onde pediu ajuda ne avisou a polícia. O veículo foi encontrado em Campo do Meio oito dias depois.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here