Por Loui Jordan

Na última sexta-feira (17), a seleção brasileira de Futebol foi o assunto da vez. Em meio ao término das quartas de final da Copa do Brasil e a última rodada do primeiro turno do brasileirão, Tite convocou a primeira leva de jogadores do novo ciclo até o Qatar. Os amistosos serão em setembro contra Estados Unidos dia 7 e El Salvador dia 11. Ambos os duelos terão os Estados Unidos como palco. Você pode imaginar que alguns nomes foram criticados ou discutidos pelos torcedores ou por aqueles que acompanham a rotina do futebol, mas não, mais que criticar os nomes, a pergunta que se estabelece após a lista ser divulgada é: o que o Tite e a CBF fizeram com o futebol no Brasil?

Os Convocados

Goleiros: Alisson (Liverpool), Hugo (Flamengo), Neto (Valencia).

Defensores: Dedé (Cruzeiro), Felipe (Porto), Marquinhos (PSG), Thiago Silva (PSG), Fabinho (Liverpool), Fagner (Corinthians), Filipe Luís (Atlético de Madrid), Alex Sandro (Juventus).

Meio-campistas: Andreas Pereira (Manchester United), Arthur (Barcelona), Casemiro (Real Madrid), Fred (Manchester United), Lucas Paquetá (Flamengo), Philippe Coutinho (Barcelona), Renato Augusto (Beijing Guoan).

Atacantes: Douglas Costa (Juventus), Everton (Grêmio), Roberto Firmino (Liverpool), Neymar (PSG), Willian (Chelsea), Pedro (Fluminense).

Os erros nas escolhas

O erro não se aplica apenas na questão técnica ou de algum nome não gostável, trata-se da total ausência de bom senso. Primeiramente que Tite se pronunciou pela primeira vez após a eliminação na Copa do Mundo, a maioria das coisas que se ouvia na Rússia, voltou a ser ouvida, temas como Neymar e privilégios foram debatidos. O que importa agora é que Tite terá chance de tentar de novo, pelo jeito começou errado.

Vamos direto ao ponto: Tite não deveria convocar Dedé, Fagner, Paquetá, Everton e Pedro. Os motivos são simples: Copa do Brasil e Campeonato brasileiro, só isso. O Brasil é o único país que não para as atividades primárias em datas FIFA, isso é esdrúxulo. Evidente que a maior culpa sobre isso é da Confederação Brasileira de Futebol, no entanto Tite faz parte dela, ele querendo ou não, somente ele poderia deixar o clima menos constrangedor e nocivo.

O torcedor em sua maioria, está concentrado nas competições domésticas de seus clubes. Cruzeiro, Flamengo e Corinthians entrarão em campo desfalcados por jogadores que são pilares dentro da estrutura de cada clube. O melhor zagueiro que atua no futebol brasileiro não prestará serviços ao seu time, Dedé fará falta ao sistema defensivo de Mano Menezes. Paquetá e Fagner não entrarão em campo no duelo das semifinais da Copa do Brasil também, aliás a Copa do Brasil é tida como o torneio de maior valor econômico e tem sido muito prestigiada, contudo a CBF e seus pupilos conseguiram desvalorizar a competição.

Jogadores como Everton e Pedro, jovens promessas que fazem a alegria dos torcedores de Grêmio e Fluminense, perderão rodadas do brasileirão, que lástima. O único que evitaria esse “mal-entendido” é Tite, o treinador respeitado e com crédito, poderia ter feito sua lista “europeia” até o final do ano, nomes como Malcon, Militão, Talisca, Richarlison e Miranda por exemplo, não fariam falta a seus clubes na Europa, afinal de contas, lá se respeita a data de amistosos. Bom lembrar que o Brasil irá bater de frente com seleções como El Salvador e Estados Unidos, testes que não servem de base para nada.

Dúvidas ou convicções

Tirando a parte do constrangimento, nomes como Hugo, o próprio Fagner e Renato Augusto não fazem o menor sentido. Tite está pensando na Copa América em 2019 aqui no Brasil. Torcedor, não há motivo para pânico, espera-se que os jogos das copas e campeonatos do Brasil parem para o evento.Assim espero. Pois bem, para Hugo será um teste? Ele será goleiro do Brasil no Mundial sub-20, provavelmente foi chamado devido à ausência de Ederson do City, a justificativa foi absolutamente oportunista.

Renato Augusto e Fagner são nomes incertos para a Copa, claro que Tite está formando um elenco para as competições mais próximas, nomes é que não faltavam. Se Tite depende da Copa América para se manter no cargo é mais um erro de gestão. Muitos se perguntaram de Gabriel Jesus, acredito que ele volte a seleção, talvez Tite o deixou “quieto” e conta com o atacante promissor que fez um mundial abaixo da expectativa.

Enfim, mais um ciclo se inicia, com ele as perspectivas de melhoras e de brinde, a filosofia deficitária do futebol nacional. Os Clubes têm culpa? Sim, entretanto a maior culpa é da confederação e daqueles que lá trabalham, pois de alguma forma participam e compactuam de suas decisões. O futebol no Brasil continuará sendo desprestigiado pelo embaraçado “grupo” que o comanda.

 

 

 

COMPARTILHAR

Comentários