A Câmara Municipal realizou sessão ordinária na noite desta segunda-feira (30), com sete projetos de leis, sendo dois com o pedido de votação em caráter de urgência. Com a ausência justificada do vice presidente da Câmara, Antônio Carlos de Lima (Antônio do Lázaro – PSD), o vereador Érik dos Reis Roberto (PDT), ocupou a cadeira dele na Mesa Diretora.

No Pequeno Expediente, antes da pauta, os vereadores manifestaram sobre diversos assuntos. O vereador Roberto Donizetti Cardoso (DEM), pediu informações à Prefeitura sobre a obra de asfaltamento da estrada do Foguetinho. Ele quer saber qual trecho foi licitado, já que segundo o vereador, tem máquinas e funcionários do Município trabalhando no local e o investimento total de R$5,5 milhões, entre recursos próprios, financiados e de emenda parlamentar.

Robertinho também lamentou o ato de vandalismo que destruiu bancos instalados na Avenida Oswaldo Cruz, na manhã de domingo (29) e disse que é preciso que se tome providências e a Prefeitura volte a fiscalizar as aglomerações em bares, já que a Secretaria de Saúde parou.

O vereador Geraldo José Prado (Coelho – PSD), pediu providências quanto a falta de sinalização no bairro Eldorado, onde acidentes estão acontecendo inclusive pela falta de calçadas para as pessoas andarem. Outro assunto abordado por Coelho foi a Covid-19. De acordo com ele, terminaram as Eleições e os municipios e estados voltaram a falar da pandemia. “O país não pode parar mais, temos que conviver com o vírus, tomando os devidos cuidados, de usar máscara, lavar e higienizar as mãos, talvez fechar os bares mais cedo. Mas como vamos cercar os jovens indo para a Avenida?” questionou. E continuou “e nas filas dos bancos, dentro dos supermercados, farmácias, até aqui na Câmara hoje está cheia, não existe o vírus??”. A Prefeitura precisa fiscalizar na visão dele, porém, cada cidadão precisa fazer sua parte e cuidar de si.

Érik dos Reis também falou do assunto, mas abordou que outras patologias e cuidados com a saúde foram deixados de lado, e afirmou novamente que o país não se preocupou com a saúde mental das pessoas, visto as consequências da pandemia.

Sérgio falou da questão do movimento dos bares

Sérgio Eugênio Silva (Cidadania – foto), também falou dos bares e minimizou que não tem como culpar os proprietários por causa das aglomerações. Inclusive, atualmente o estabelecimento mais criticado no momento, não admite esta questão. A Polícia Militar também já informou que é dificil de controlar, inclusive por causa de efetivo e fere o direito das pessoas de irem e virem, mas Sérgio disse que as viaturas fizeram passagens períodicas na Avenida e apreendeu veículos que estavam com som alto, importunando as pessoas. Para ele, é preciso cobrar do Poder Público e ser justo.

Sérgio que é fiscal sanitário, participou da reunião com os donos de bares e alegou que as medidas anunciadas já são adotadas, inclusive foram até ampliadas agora com a tolerância de funcionamento até a 1 hora da madrugada.

Maycon Machado cobrou melhorias na sinalização de alguns pontos da cidade

O presidente da Câmara Maycon Douglas Machado (PDT), reforçou a questão da melhoria da sinalização no bairro Eldorado, acrescentando que entende da dificuldade em se fazer uma faixa elevada, mas cobrou um estudo nos pontos da cidade em que a situação é precária, já que não existe nenhuma sinalização. É o caso de um cruzamento de acesso a três vias, que dão acesso aos bairros Vivendas do Bosque e Santa Tereza I e II.

Maycon terminou parabenizando a direção da Escola Caic pela iluminação de Natal instalada no prédio, que ficou todo iluminado.

Compra de carro para a GM e dinheiro para controle zoonoses

Os dois primeiros, dos sete projetos votados estavam na Câmara com o pedido de votação em caráter de urgência. Um é uma abertura de crédito adicional, diante de anulações no valor de R$7.720,00, para fazer a contrapartida de um recurso financeiro vindo de um convênio com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança de Minas Gerais, para a compra de uma viatura para a Guarda Municipal de Três Pontas. O outro é a anulação da emenda parlamentar impositiva do vereador Luis Carlos da Silva (PP), votada ano passado, no valor de R$15 mil, que vai para aumentar a subvenção social para o controle de zoonosses. Os dois foram aprovados sem discussão nenhuma.

Outros projetos

Aprovados também por unanimidade; a incorporação de uma área rural de 13,0864 hectares ao perímetro urbano do município de Três Pontas, para ser loteada na região noroeste, que fica a frente do bairro Nova Três Pontas I. O vereador Donizetti Benício Baldansi (PSD), diz estar preocupado com o abastecimento de água da cidade, diante do seu crescimento em loteamentos. Coelho também seguiu a mesma linha, citando problemas antigos que os moradores enfrentam. Já Érik focou a qualidade dos serviços prestados pelo Município. É que a cidade foi expandindo, o número de habitantes aumentando e o quantidade de servidores que cuidam da manutenção da cidade só foi diminuindo ao longo dos anos. Com a presença de alguns servidores do Almoxarifado na Câmara, o pedetista classificou-os como heróis, como já havia feito outras vezes. Em termos de infra estrutura, mencionou que os bairros Padre Vitor, Santa Inês, Santa Edwirges, Santa Margarida e Aristides Vieira foram asfaltados, mas faltou neles questões básicas como a rede pluvial. “O município tem que se preocupar com obras simples, básicas, que fazem a diferença na vida das pessoas e não obras faraônicas”, relatou Érik.

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), também pediu alteração em seu orçamento, suplementando R$103 mil, para custear despesas com a aquisição de materiais elétricos, marmitex, portas, janelas, persianas e corrimão, entre outras despesas, a fim de atender as necessidades da Autarquia.

O orçamento da Secretaria Municipal de Saúde também foi alterado com uma abertura de crédito adicional no valor de R$150.300,00, com o intuito de criar fichas para manutenção de despesas de pessoal da Secretaria Municipal de Saúde.

Os vereadores também aprovaram a inclusão no Orçamento, de um montante de R$54.813,00, que está chegando do Fundo Estadual de Assistência Social, para auxílio financeiro no enfrentamento ao Covid-19, para aplicação em ações de saúde e assistência social. Maycon lembrou que o dinheiro será aplicado na compra de cestas básicas para famílias carentes e Coelho elogiou a atuação da Secretaria de Assistência Social. Sérgio lembrou novamente que os prefeitos não tem o que reclamar, porque os recursos estão chegando sem parar, basta o gestor saber investir.

Por último na pauta, alguns vereadores parabenizaram a iniciativa dos voluntários que trouxeram e mantém em Três Pontas o Observatório Social do Brasil (OSB). A Mesa Diretora da Câmara apresentou a proposta que declara OSB como utilidade pública municipal. A Associação tem ações voltadas para aspectos sociais, organizacionais, filantrópicos, sem cunho político ou partidário.

O Observatório Social em Três Pontas foi fundado em setembro de 2019, é filiado ao Sistema OSB desde outubro do ano passado e iniciou as atividades em novembro do mesmo ano. O objetivo é contribuir para a melhoria da gestão pública.

Tribuna Livre

A sessão da noite somente foi concluída, após o uso da Tribuna Livre. O morador Hélio Andrade Pelegrini, protocolou na Câmara e atendeu as regras para falar, levando algumas demandas da cidade. Entre os pedidos, está a solução para o alagamento da Avenida Oswaldo Cruz e a compra de EPI para os servidores que trabalham na limpeza da cidade.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here