“A Polícia Civil de Três Pontas não fica apenas em ação policial”, define o delegado Andrey Alves Leite, ao ser concluído a comemoração do Dia Internacional da Mulher, realizada nesta segunda-feira (09).

Curiosos e curiosas ao verem aquele grande movimento em frente a Delegacia, chegavam para ver o que estava acontecendo. Ao contrário do que muitos pensaram, não se tratava de nenhuma operação, era a comemoração do Dia Internacional da Mulher, realizada pelo segundo ano consecutivo. A jovem Júlia Dixini, com seu violão transmitiu em canções, um espírito de serenidade.

Profissionais atenderam mulheres durante toda a manhã e início de tarde
Policiais civis e servidores entregaram botão de rosas e flores as mulheres em blitz

A Polícia Civil reuniu parceiros importantes para prestar serviços exclusivos gratuitos a elas, distribuiu botões de rosas e flores e levou durante toda a manhã, informações sobre os vários tipos de violência contra a mulher e os direitos delas garantidos através da Lei Maria da Penha, que cria mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

A Polícia Civil conseguiu reunir no seu evento, toda a rede de proteção oferecida na cidade, em apenas um lugar. Profissionais da Delegacia, do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), da Comissão da Mulher Advogada, da 55ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil de Três Pontas, do Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) da Fateps, fizeram atendimentos individuais e conversaram com mulheres que relataram situações que chamaram a atenção. Elas constataram que podem e devem ser denunciados, qualquer tipo de violência, não apenas a física, mas também a moral, psicológica, financeira, sexual, entre outras. “A mulher precisa se conscientizar de que ela tem os mesmos direitos que os homens e mostrar seu empoderamento”, afirmou Dra. Eliana Braga, presidente da Comissão da Mulher Advogada. A Comissão foi criada na gestão da então presidente Dra. Luciana Martins em 2016, e tem cumprindo sua função social da OAB, promovendo a defesa dos direitos da mulher, através de algumas ações.

O CREAS também colocou sua equipe a disposição, que durante o ano inteiro, oferta orientações e faz atendimentos especializados a pessoas e famílias em situação de risco devido a violação dos direitos. Em 2019, o CREAS atendeu 62 casos de violência contra a mulher, sendo a grande maioria das agressões cometidas pelos companheiros. A maior proporção dos casos encaminhados envolve violência física, psicológica e sexual. O órgão identificou que para a perpetuação destes atos é o machismo da sociedade que ainda considera mulher como submissa ao homem. O número citado acima, destaca a equipe do Centro Especializado, são de mulheres que conseguiram chegar até lá, havendo ainda as que sofrem caladas e não denunciam.

Equipes atenderam na Praça da Fonte, em frente a Delegacia

Quem vivencia relatos de violência são os profissionais que atendem no Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) da Faculdade Três Pontas (Fateps). Juntos a alunos do curso de Direito, eles auxiliam a comunidade de forma gratuita, com informações e orientações com assessoria direta em casos que envolvam o Juizado de Conciliação. É feito o ajuizamento de ações e a pacificação de conflitos, com a realização de acordos através do Juizado de Conciliação.

Durante um período do evento, o Sest Senat também montou sua tenda, distribuiu brindes e orientações. Foi uma forma de homenagear o público feminino pelo seu crescimento no ramo de transporte remunerado e pelo destaque nas estatísticas de menor envolvimento com infrações e acidentes de trânsito, em relação ao público masculino. As mulheres avançam no transporte remunerado, que era restrito ao universo masculino. Agora elas são caminhoneiras, taxistas, motoristas de escolar, de coletivos, de caminhão de lixo, pilotam motos, são motofretistas e estão em número maior nas salas de autoescolas.

A Drogaria Americana ergueu sua tenda e mexeu com a cabeça da mulherada. Funcionárias fizeram massagem para os pés, aferição de pressão arterial gratuitamente e a analise capilar. Com um aparelho foi feito o diagnóstico dos fios dos cabelos para saber a real situação em que eles se encontram e qual linha de produtos seria indicada. A máquina aumenta a imagem cerca de 300 vezes e possibilita examinar o couro cabeludo, a extensão dos fios e as pontas, e assim, detectar fragilidades em partes do comprimento e nas pontas.

Quem mexeu com o corpo das mulheres e tirou a tensão delas, foi a esteticista Júlia Beltrão. Ela fez massagem relaxante que provoca a liberação de nódulos de tensão, passou orientações sobre os cuidados com a pele, quais produtos utilizar e deu dicas sobre higienização e limpeza básica. Em sua clínica, ela realiza procedimentos faciais e corporais.

Foi uma manhã e um início de tarde que movimentou a Praça da Fonte, graças também a outros parceiros como Boticário, Som & Cia, Floras Primavera, Amor Perfeito e Yolanda Flores, Padaria Boca do Forno e o apoio da Prefeitura Municipal e da Guarda Civil Municipal.

De acordo com o delegado Andrey Alves, além das ações policiais, a Polícia Civil se preocupa em atuar no social, que é uma de suas funções – orientar, valorizar e respeitar os cidadãos. Segundo ele, o evento do Dia da Mulher é uma forma de valorizar a figura feminina. Por isto, ele agradece os colaboradores e toda a sua equipe que não deixou suas funções, mas agregou a realização deste encontro mais um ano, juntos a parceiros tão importantes.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here