A Polícia Civil prendeu nesta sexta-feira (22) Leonardo Faustino da Silva de 60 anos, que é acusado de estuprar uma deficiente intelectual de 21 anos. O crime teria acontecido em dezembro de 2017, na casa do suspeito, que morava no bairro Antônio de Brito em Três Pontas.

A justiça decretou a prisão preventiva dele. Leonardo foi encontrado pelos policiais civis na casa onde ele estava morando na Rua Imperatriz Leopoldina. Ele não resistiu a prisão e na chegada na Delegacia de Policia Civil, disse apenas que não teria praticado o estupro. Depois de ser cumprido as formalidades, Leonardo foi encaminhado ao Presídio onde fica a disposição da justiça.

Relembre o caso

Ele chegou a ser preso dias depois do crime, mas foi liberado. A avó da moça, Dona Nair Marques da Silva foi quem denunciou o estupro. Leonardo Faustino teria convidado a menina para ir até a sua casa para lhe dar pó de café. A vítima foi, mas como demorou, a avó pediu que o tio dela fosse até la ver o que estava acontecendo. O portão da casa estava trancado e quando a moça saiu, estava arrumando a roupa. Em casa, ela começou a chorar e disse que Leonardo tinha tirado a roupa dela, a beijado e deitado sobre ela. Por isto, a vítima reclamava de dores.

A Polícia Militar foi chamada, mas não encontrou Leonardo. A jovem foi levada para o Pronto Atendimento Municipal (PAM), em seguida por orientação da Delegacia de Polícia Civil de Varginha, foi encaminhada para o médico legista, foi feito exame e constatado o estupro, segundo familiares da vítima.

Leonardo era viúvo, mas antes namorou a tia da jovem durante 10 meses e por isto mantinha amizade com eles há mais de 10 anos. A Justiça expediu um mandado de prisão e cinco dias depois, a Polícia Civil prendeu Leonardo Faustino, em Varginha. Ele estava escondido em um hotel, próximo da rodoviária da cidade, onde estava escondido. Ao chegar na Delegacia de Polícia, Leonardo demonstrou tranquilidade e disse que não teria problemas em dizer sobre o caso, pois estava sendo acusado sem ter culpa alguma. Ele contou na época que estava viúvo há um ano e oito meses. Neste período, ele teve três relacionamentos, entre eles, com a tia da menina que ele está sendo acusado de abusar.

No dia em que tudo teria acontecido, o rapaz conta que a avó dela teria pedido a ele um pouco de pó de café e a menina teria ido buscar. Na casa dele, o pó estava em cima da laje. Ele e a menina entraram na casa e ele subido até lá para pegar o produto. Neste momento, o tio chamou pela menina e não sabia que o portão menor da residência estava estragado e apenas o maior aberto estava funcionando, imaginou que estivessem trancados no imóvel.

Quando ele desceu da laje, se assustou, pois a menina havia tirado a roupa. Ele até a questionou e determinou que se vestisse. Foi o que ela fez e depois foi embora. Um tempo depois, outro tio da jovem foi até a casa dele e informou que iria chamar a polícia, porque ele teria a estuprado.

Com medo, ele pegou sua moto e fugiu. Após saber da repercussão que o caso tomou, foi para Varginha e depois seguiu à casa da sua irmã em Taubaté (SP). Retornou para Varginha e foi orientado pelo seu advogado a não vir para Três Pontas e não se apresentar à polícia. Leonardo negou todas as acusações no dia e afirmou que dentro da sua casa não aconteceu absolutamente nada. “Eu espero que tudo se esclareça”.

Na versão dada à Equipe Positiva, Leonardo na época, ele revelou que não entende porque estava sendo acusado, uma vez que namorou a tia da jovem e mesmo enquanto estava casado, teve um relacionamento extraconjugal com a avó da jovem.

ASSISTA A REPORTAGEM

COMPARTILHAR