*Prefeitura fechou o local, por não ter alvará, várias irregularidades como o acúmulo de diversos materiais recicláveis, inclusive com risco de incêndio

A Polícia Civil cumpriu dois mandados de busca e apreensão expedidos pela justiça, na manhã desta quarta-feira (1º), após investigações que apuram a receptação de materiais furtados em um ferro velho. Os alvos foram na casa do proprietário e no estabelecimento que ficam nos bairros Vivendas do Bosque e Azarias Campos.

De acordo com a polícia, as investigações começaram em fevereiro deste ano e os investigadores descobriram que a prática criminosa já acontecia bem antes disso. Autores de furtos que são usuários de drogas, eram incentivados a fazerem os furtos e levarem para o estabelecimento que é de um pastor evangélico, que adquiria os materiais por preço bem abaixo do mercado, por se tratar de produtos de crime e depois revendia para empresas do ramo fora da cidade. Só um dos investigados responde a pelo menos 7 furtos, que eram realizados em casas e estabelecimentos comerciais na mesma região, entre os bairros Olavo Lima, Santa Tereza I e II e Vivendas do Bosque. O dono inseria fiação elétrica, cabos de alta e baixa tensão, junto com os materiais adquiridos de forma lícita.

Na casa do dono do ferro velho, no bairro Vivendas do Bosque, os policiais apreenderam R$560 em dinheiro e um cofre que estava trancado. No estabelecimento, no bairro Azarias Campos, foram encontrados uma quantidade enorme de plásticos, fiação, cobres entre outros. Durante o tempo em que a polícia permaneceu no local, diversas pessoas foram fazer a venda de materiais. Quatro funcionários chegaram para trabalhar de manhã, demonstrando que o estabelecimento mantinha um grande movimento. Foram apreendidos diversos cadernos com várias anotações de compras e vendas.

O ferro velho funcionava de forma ilegal, com diversas irregularidades, sem alvará da Prefeitura e nenhuma autorização de qualquer órgão. Acumulava uma grande quantidade de materiais recicláveis dentro e fora do estabelecimento. A fiscalização da Prefeitura lacrou o local. Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente Marcelo Figueiredo Gomes, os moradores do bairro já haviam feito diversas denúncias dado ao mau cheiro e as consequências que o acúmulo destes materiais trazem como o aparecimento de baratas, ratos, escorpiões e o mosquito Aedes aegypti que transmite entre outras doenças a Dengue. Sem falar o risco enorme de incêndio. Embora a Prefeitura incentive a atividade de reciclagem, de forma legalizada, o ferro velho está funcionando a céu aberto, totalmente inadequado para o armazenamento destes materiais e oferecendo risco de incêndio.

O dono do estabelecimento fará a retirada de todo o material, inclusive no terreno em frente. O suspeito responderá pelo crime de receptação inicialmente em liberdade.

Um cofre que estava na casa do dono do ferro velho foi apreendido
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here