A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (09) a Operação Fake News, que apura o golpe de seguro, aplicado através de sacas de café.

Policiais civis de Três Pontas e Boa Esperança, cumpriram três mandados de busca e apreensão, na casa de sócios e de um armazém de café, no bairro Major Braz.

As investigações se iniciaram a partir do registro de um assalto, em 29 de abril, em que dois homens armados, haviam abordado o motorista de um caminhão carregado com 300 sacas de café, na MG 167, em Santana da Vargem. O produto teria saído do armazém e tinha como destino Belo Horizonte.

As investigações avançaram, os investigadores se desdobraram inclusive no feriado do dia 1º de maio e fins de semana, dado ao gravidade do crime, com o uso de arma de fogo, mediante o sequestro da vítima. Foram realizadas diligências em cidades da região, entre elas Carmo da Cachoeira, Coqueiral, e Perdões, onde o caminhoneiro disse ter sido libertado. O trabalho apontou que aqueles que eram vítimas, se tornaram suspeitos de realizar fraude contra seguro de café.

De acordo com a polícia, provas robustas apontam que eles simularam o assalto para se beneficiarem do valor do seguro. O café que teria sido levado, nem chegou a sair do armazém. O caminhão saiu vazio e em determinado momento, em um local bastante ermo da rodovia, simularam o roubo. A Polícia Civil, conseguiu imagens do monitoramento da rodovia, no local exato onde o caminhoneiro disse que havia sido abordado pelos criminosos que mostra apenas o caminhão. No dia seguinte, o veículo foi encontrado em perfeitas condições, numa estrada próxima a cidade de Coqueiral. Os investigadores também descobriram que neste local,  coincidentemente, um sítio a poucos metros de onde o caminhão foi abandonado, existe um familiar do motorista, demonstrando que o crime foi bastante planejado.

Os suspeitos ainda irão prestar depoimentos, mas durante as buscas no armazém, eles negam as acusações.

Auditores fiscais da Receita Estadual, também participaram e recolheram documentos contábeis, computadores e planilhas da movimentação do movimento. Diante da suspeita do estelionato, a polícia não descarta a hipótese de crimes de ordem tributária. A Polícia Civil apreendeu aparelhos celulares dos investigados.

O nome da operação é justamente porque a notícia do crime, é falsa, chamada de fake news.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here