A Polícia Militar conseguiu prender na noite desta terça-feira (03), dois jovens de 22 e 24 anos, que estavam cometendo uma série de furtos na sede da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis, a Atremar, em Três Pontas.

Durante o período da manhã, a PM foi chamada na associação para registrar mais um furto no Distrito Industrial. Após oficializar o crime no boletim de ocorrências, os policiais buscaram imagens do circuito de segurança de estabelecimentos em torno do barracão e verificaram que os ladrões se tratam de pessoas já bastante conhecidas no meio policial pela prática de furtos.

Já a tarde, denúncias feitas por populares, apontavam que haviam dois rapaz na associação furtando novamente. A PM planejou a chegada ao barracão e apesar da dificuldade por se tratar de uma área de mata nos fundos, os militares cercaram a área. Os dois tentaram fugir saindo correndo, mas não conseguiram e acabaram presos.

De acordo com o Sargento Walter da PM, as margens do córrego que fica entre os bairros Azarias Campos e o Distrito Industrial, os policiais encontraram nas buscas, cerca de 200 bag’s vazios, que são frutos de doações principalmente de produtores rurais à associação. As guarnições precisaram utilizar a Patrulha Rural para transportar a sacaria que ficou abarrotada.

Membros da associação foram até o local e demonstraram indignação e revolta com a frequência de que os furtos estão sendo realizados. A presidente Marilei de Fátima Miranda revela que eles levam de tudo, principalmente os materiais mais caros, como  cobre, alumínio e metal, que são recolhidos debaixo de sol e chuva pelos associados todos os dias e são doados pelas pessoas diretamente na Atremar. “A gente depende da venda destes materiais, para levarmos renda para as nossas casas”, explicou.

A tesoureira Maria Rosa e a presidente Marilei de Fátima, ficaram agradecidas com o trabalho da PM

A tesoureira Maria Rosa Lúcia Pereira, disse que do dinheiro que eles ganham precisam retirar para repor o que está sendo levado pelos bandidos. Recentemente furtaram toda a fiação do barracão e até o botijão, que eles utilizam no fogão para esquentar as marmitas no horário do almoço, também foi embora.

Revoltada, Maria Rosa defende que eles são trabalhadores, exercem uma função à cidade e ao meio ambiente sem serem reconhecidas e estão tendo seus diretos usurpados pelos bandidos. “A gente trabalha de dia e eles furtam a noite”, enfatizou em entrevista. Ainda segundo ela, o prefeito Marcelo Chaves se comprometeu que a Prefeitura irá ajudar a melhorar a segurança no local.

Os dois suspeitos foram levados para o Quartel, juntamente com o material apreendido e depois encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de plantão de Varginha, onde foi ratificada a prisão em flagrante da dupla.

A Atremar existe desde 2003 e atualmente conta com 17 associados.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here