Fotos; Equipe Positiva

 

A Prefeitura começou na manhã desta quinta-feira (09) a fazer uma sanitização em locais de grande aglomerações em Três Pontas. Uma empresa especializada foi terceirizada para fazer o serviço. Os profissionais estão aplicando amônia quaternária de quinta geração, produto que tem um efeito importante contra bactérias, vírus e microorganismos em geral. O trabalho começou em frente a Prefeitura, desceu pelas praças Tristão Nogueira e Cônego Victor.

O médico veterinário da Vigilância Epidemiológica e secretário de Meio Ambiente, Marcelo de Figueiredo Gomes, está coordenando este trabalho e segundo ele, a durabilidade do produto tem poder residual de 72 horas após a aplicação, ou seja, se houver uma  recontaminação neste período, o produto ainda produzirá o efeito de descontaminação. A desinfecção está sendo feita em todas as superfícies, inclusive nas paredes até dois metros de altura, nos bancos das praças, corrimãos, entradas de lojas, agências bancárias, casas lotéricas, entre outros locais de grande movimento.

Segundo Marcelo Figueiredo, a necessidade desta satinização já vinha sendo discutida por causa da transmissão do Coronavírus e começou no Centro, pelo grande fluxo de pessoas, porém, a equipe da empresa irá até outros locais de grande movimento como nos pátios do Pronto Atendimento Municipal (PAM), do Hospital São Francisco de Assis, da Secretaria Municipal de Saúde, na Policlínica e alguns postos de saúde.

O secretário diz que a Prefeitura dará sequência nesta desinfecção, acompanhando os dados epidemiológicos da cidade. Até agora não há casos positivos confirmados no Município, mas a tendência é que isto ocorra agora no mês de abril. “A nossa preocupação com a transmissão é cada vez maior, por isto, mas vai utilizar de recursos que temos com alguns equipamentos do próprio setor de controle de endemias para continuar a desinfecção”, contou Marcelo Figueiredo.

Ele também esclarece que o desinfetantes que está sendo aplicado, não causa corrosão e, portanto, pode ser aplicado sobre paredes, vidros, ferragens, não é tóxico às pessoas e animais. Também não tem efeito nenhum sobre o mosquito Aedes aegypti, que transmite a Dengue. Porém, a Secretaria de Saúde continua vigilante com a incidência da doença, que causou um número muito elevado ano passado e provocou uma epidemia. Abril é naturalmente um mês que todos os anos preocupa, e apesar de haver dois ou três casos confirmados é necessário manter as atividades normais de combate ao mosquito, pois a doença é até mas grave que o  Coronavírus. “Que as pessoas permaneçam em casa e aproveitem o tempo para verificar locais que podem acumular água parada, criatórios do Aedes aegypti, para que esta situação não se repita”, alertou.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here