Avenida Maria Josefa de Brito que dá acesso a várias empresas e a saída para a zona rura está sendo toda recapeada

 

*Ligações importantes da cidade e trechos que a muito tempo era reivindicação dos moradores receberão massa asfáltica

Uma das obras importantes para a malha viária da história de Três Pontas começou, que o asfaltamento da estrada do Foguetinho, liga a região dos Quatis, bairro que está em expansão e onde estão diversas empresas, até a rodovia MG 167, na saída para Varginha. Este início é com as máquinas retirando uma imensa quantidade de terra, abrindo a estrada e limpando para o tão sonhado asfalto chegar. O trecho de 3,1 quilômetros sempre foi bastante utilizado por veículos de grande porte, aumentou agora em que as condições estão perfeitas, mas vai ser rota de milhares de pessoas quando ganhar massa asfáltica e uma estrutura que nenhum local de Três Pontas tem.

Funcionários da Construtora Duro na Queda, já iniciaram o levantamento topográfico e a locação das metragens. De acordo com o secretário municipal de Transportes e Obras Maquil dos Santos Silva Pereira, a equipe da Prefeitura se empenhou muito para conseguir atender a todas as exigências com uma infinidade de documentos. Segundo ele a obra já deveria ter começado antes, mas a questão burocrática demandou mais tempo que esperado. O projeto sonhado e idealizado pelo prefeito Marcelo Chaves Garcia (PSD), de acordo com Maquil, tem 30 metros de largura, sendo 18 de pista dupla, 3 metros de calçada nas laterais, 6 de canteiro central onde será uma ciclovia. O local será atrativo para as pessoas fazerem caminhada e praticarem o ciclismo de forma segura. A obra foi orçada em R$5,4 milhões.

Na MG 167 e no final da Avenida Maria Josefa de Brito serão construído as rotatórias. O Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DERMG), autorizou a construção na rodovia. Quem chegar de Varginha e precisar pegar a estrada do Foguetinho terá que obrigatoriamente ir até o trevo da Avenida Prefeito Nilson Vilela e retornar. Quem sai dela para sair da cidade não terá problemas.

O obra tem o prazo de um ano para ficar pronta, mas existe uma chance de terminar antes. A medida que o empreendimento vai avançando e as medições forem feitas, a Caixa Econômica Federal vai liberando os recursos que foram financiados. Os outros vem de emenda parlamentar e de recursos próprios. O secretário esclarece que a instituição financeira que liberou a verba exigiu no contrato que duas ruas do Centro fossem recepeadas. A Administração decidiu por fazer a melhoria na Rua Dona Isabel que está com o asfalto bastante assoreado e também na Rua Marechal Rondon, onde o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) está fazendo a substituição da rede de água que é bastante antiga, ainda de amianto e frequentemente se rompe e causa o corte do fornecimento por causa da sua religação. Maquil justifica que assim como a obra no Centro, o asfaltamento do Foguetinho vai causar transtornos, mas é para a melhoria e a população é que vai ganhar. Ele inclusive chama a atenção e pede que os motoristas redobrem a atenção ao passar pela estrada, que está com máquinas e homens e a poeira pode atrapalhar a visão dos condutores. “A gente quer pedir paciências às pessoas, porque haver interrupções no trânsito por causa das obras”, antecipou.

Ruas serão recapeadas outras abertas e asfaltadas

Há muitas ruas e trechos que serão abertas e recapeadas. No bairro Turmalinas três trechos serão recapeados nas ruas Sebastião Xavier de Brito, Guido Mendes, Ari de Brito e Ítalo Duarte. A Avenida Maria Josefa de Brito, a partir da “Curva do Santinho” está sendo recapeada, assim como a Rua Pará, no bairro Santa Edwirges e a Adolfo de Paula Pereira, no São Judas. O prazo para a empresa contratada realizar o serviço é pequeno e o serviço não é demorado. No prolongamento da Avenida Conceição Queiroz Marinho, onde a estrutura para o asfalto ser colocado já foi feita, chamado de “salgamento” também vai ser logo asfaltado, mas depende da Caixa Econômica, por isto, vai demorar mais um pouco. Neste local foi feita a rede pluvial que não existia.

A Travessa Antônio Mesquita Campos, no bairro João Piedade Campos que sai da rodoviária e vai até o Supermercado ABC vai ganhar a melhoria. No trecho asfaltado será feito recapeamento e o restante o asfalto será colocado, dando mais mobilidade naquela região que ficou bastante movimentada. As ruas Vereador José Murad e Prefeito Mário Justiniano Costa, no bairro Esperança serão asfaltadas. Lá existem casas a bastante, mais ainda é de terra, que quando chove faz com que desça uma quantidade enorme de terra na Avenida Oswaldo Cruz. Como a rede pluvial está sendo feita isto não vai mais ocorrer.

No bairro Vila Marilena, o prolongamento das ruas que dão acesso a Avenida JK, ao lado do Parque Multi Uso serão abertas. Na Rua Aureliano Alzamora já existia postes de iluminação, mas os moradores precisam conviver com terra e mato para chegar em casa. Assim como na Rua Antônio Vieira Campos, que não tinha sequência abaixo da Avenida Senador Josino de Brito. As máquinas já fizeram a abertura e o Saae já fez inclusive a ligação de água nos lotes existentes. Maquil não quis estipular um prazo determinado por causa de tantas emergências que surgem, mas disse que está tudo certo para isto acontecer.

Está no cronograma da Secretaria de Obras, o asfaltamento da rua paralela a Avenida Conceição Marinho, no bairro Chácara Catumbi. Ela é de terra, dá acesso a apenas duas ruas, mas é uma ligação importante e reivindicada pelos moradores a bastante, onde se acostumou a jogar lixo e entulhos. Lá não vai demorar, mas não tem dia definido ainda para começar, mas ele promete que será breve.

Na Rua Alagoas está sendo feito uma intervenção importante que é a colocação de manilhas para escoar a água da chuva, que antes corria em cima do asfalto, que se deteriorava com facilidade. Está sendo feito mais uma rede pluvial junto com o Saae, que está demando trabalho redobrado com os problemas que foram surgindo.

Escola Agrícola até o Quilombo vai ter asfalto

Quem vai para o Distrito do Quilombo Nossa Senhora do Rosário, vai ter asfalto do trecho da Escola Agrícola até o Quilombo. O asfaltamento de toda a estrada é um sonho e depende de muita vontade política de outras esferas. Enquanto isto, a Prefeitura vai fazendo aos poucos o asfalto de uma das estradas vicinais mais movimentadas da zona rural. Em frente a Escola já tem asfalto. Com recursos disponibilizados por emenda parlamentar, que já estão na Caixa, aguardando apenas trâmites burocráticos serem concluídos, para asfaltar pouco mais de 2 mil metros e acabar de vez com a poeira e o barro

Estradas rurais

Para o secretário de Obras as estradas rurais estão boas e poucos lugares ainda falta a equipe chegar. São três equipes com três patrol’s, porém uma está em manutenção aguardando uma peça que está difícil de ser encontrada. Ele revela que o trabalho não para e produtores tem ajudado doando cascalho que é uma dificuldade muito grande. As vezes, os servidores ainda deparam com produtores na divisa das estradas que não deixam as máquinas entrarem e as vezes nem adianta conversar.

Dois anos de muito trabalho

O secretário Maquil Pereira avalia que em dois anos a frente da pasta considerada o coração da Administração, ele está muito feliz por tudo que está conseguindo fazer. Ele atribui a liberdade que o prefeito dá para ele e os servidores trabalharem e também a dedicação dos funcionários. “Quero parabenizar a turma do Almoxarifado, da Secretaria de Obras, os engenheiros da Prefeitura, a equipe que temos no Cemitério que está trabalhando também o Covid-19. Estou assustando o quanto a nossa turma está trabalhando”, destacou. Ele admite que como seres humanos todos falham um pouco as vezes e o maquinário também. Maquil reconhece que não é possível agradar a todos, mas frisa que na atual Administração as secretarias tem trabalhado bastante de forma conjunta, uma ajudando a outra.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here